O predomínio dos Naipes num jogo de Tarot

Tem sido bem bacana, na prática com o Tarot, observar o predomínio de determinado Naipe num jogo. E o quanto é significativa a informação que essa predominância tem a nos dizer sobre determinada questão ou sobre o momento do consulente.
No Mandala, por exemplo, se existe o predomínio do naipe de Espadas, o processo mental estará acentuado. Muita vontade (muitas vezes, egoísta e impulsiva) de fazer valer a sua opinião, as suas ideias e de obter o que se deseja. E isso poderá gerar muita competição, críticas e conflitos acirrados. Em termos básicos, o que tenho observado é que comunicação, sociabilidade e muitos estudos estarão em alta durante a validade do respectivo Mandala com esse predomínio. E muitos desafios intelectuais.
Quando existe o predomínio do naipe de Ouros no Mandala, o consulente poderá estar focado nas questões práticas, materiais e financeiras. Ou bem resistente a qualquer nova experiência, pelo desejo em manter tudo seguro. Seu poder de realização também está forte.
Quando o naipe de Copas predomina no Mandala, por exemplo, a tendência é acharmos que será um período de muito romance. Se a pessoa não está se relacionando, imaginamos que ela namorará. Mas não é bem assim que tenho percebido. O que mais noto de importante neste predomínio do naipe de Copas é o quanto a pessoa se recusará a fazer algo que não a satisfaça. Ela pode até, passivamente, fazer. Mas ficará muito triste e insatisfeita. Porque o naipe de Copas demanda uma busca por aquilo que satisfaz nossa alma. Queremos nos sentir satisfeitos emocionalmente, nutridos por situações e relações que realmente tragam aquele bem-estar em nosso íntimo.
E quando o naipe de Paus predomina, nossa disposição, dinamismo e inspiração estarão bem notórios. Queremos expansão, novos desafios e novas experiências. Tendemos a ficar mais abertos ao destino. E com uma postura mais corajosa para nos envolver com o novo, seguindo nossa intuição e criatividade.
É de se esperar que num Templo de Afrodite, por exemplo, tenha-se o predomínio do naipe de Copas. Não por causa de uma aparente conexão entre Copas com relacionamento, mas, sim, porque a gente quer que a pessoa parceira esteja satisfeita e nutrida emocionalmente (copas) ao se relacionar conosco. E porque nós queremos estar satisfeitos (Copas) num relacionamento amoroso (Templo de Afrodite). E quando esse predomínio de Copas não ocorre?
Bom, obviamente que dependerá dos pares de Arcanos presentes no Templo de Afrodite. Mas um predomínio do naipe de Ouros num jogo sobre relacionamento amoroso tende a mostrar o quanto uma pessoa pode ser uma fonte de segurança e estabilidade para outra. Também já vi clientes minhas, na verdade, mais interessadas no poder financeiro, no dinheiro (Ouros) da pessoa parceira. Justamente porque valorizam muito mais a questão material e a segurança por ela representada numa relação.
Observo que quando o naipe de Espadas predomina num Templo de Afrodite, isso tende a ser indício de que há muita luta, muito embate na relação. Um fica querendo controlar, mandar e ser superior ao outro. Falta humildade. Ninguém reconhece que está errado perante o outro. E isso torna a relação bastate tensa, competitiva e marcada por brigas. Muito conflito. Ou simplesmente muito sofrimento na relação – e os específicos Arcanos Maiores que saíram mostraram de que tipo é essa dor predominante.
um Templo de Afrodite marcado pelo predomínio de Paus, por exemplo, vai mostrar uma empolgação e tanto entre o casal. Um estimula o outro a crescer. Pode rolar uma competição também. Porém, uma competição no sentido de trazer mais estímulo e tesão no relacionamento. Um querendo que o outro se expanda. E que a relação tenha esse clima empolgante de crescimento mútuo. Há uma confiança maior no outro e uma disponibilidade em se arriscar a viver esse relacionamento com coragem, prazer e inspiração.
Então, basicamente, eis algumas possibilidades de quando notamos o predomínio de  um naipe em determinado jogo de Tarot.

Beijãozão nocês…

Yub