Detalhes sobre os conflitos do dia-a-dia! Enamorado e o Arcano MENOR que o acompanha!

É muito interessante notar quando o Enamorado dá o ar de sua graça em nosso jogo de tarot, seja como Arcano do Dia ou em alguma Casa de algum Método utilizado. É conflito na certa!

– Porra, justo na carta que fala do amor, da união, da paz e da harmonia, rola um atrito, um conflito?

– Exatamente!

Pra que haveria de sair o Enamorado com esse potencial de conciliação se não houvesse uma desunião na parada?

Se ele sai, é porque você precisará entrar em acordo com o outro para se entenderem. É inevitável. Experimenta aí e depois me conta… rsrs

Agora, o que colore as dinâmicas envolvidas neste jogo de divergências que pede conciliações?

É o Arcano MENOR que o acompanha.

É impressionante o quanto o ARCANO MENOR mostra o quão predisposto a brigar ou a conciliar estou quando o Enamorado sai como Arcano do Dia… Ou que as pessoas que interagem comigo estão.

Ontem mesmo saí com Enamorado / Rainha de Espadas. Tenho vários feedbacks para compartilhar… rsrs

Logo de cara fiz uma cobrança a uma mulher com a qual lido com certa regularidade em meu trabalho. Sim, eis a Rainha de Espadas aí: uma mulher. E notei que ela ficou um pouco irritada com o que pedi a ela, a fim de ser resolvida certa pendência. Usou de argumentos contundentes para justificar (Rainha de Espadas) o que para mim era um detalhe a ser ajustado.

Depois eu comecei a dialogar por email com uma cliente que me procurou com urgência para eu escolher
uma – dentre duas – data mais favorável para o casamento dela e seu noivo. Negociamos os detalhes desse processo. E aí, quando íamos fechar o negócio, ela me diz que o seu noivo decidiu por uma data, a qual teria de ser aquela, já que os parentes dele moram em outra cidade.

Interessante, né? Enamorado = união. Mulher = Rainha. Negociação = Enamorado. Busca de um acordo = Enamorado.

OBS.: E aí eu noto a importância dos outros pares de Arcanos do dia. Sim, tem esse par que eu tiro explicitamente. Mas olho o par que ficou no topo do baralho de cada monte: dos Arcanos Maiores e dos Menores. E o que ficou embaixo.

Saí com a Roda da Fortuna / 4 de Espadas no topo de baixo. E o que aconteceu? Uma mudança súbita (Roda da Fortuna), bem no estilo Roda da Fortuna: quando tudo parecia que iria ocorrer de um jeito, ocorre de outro. Quando tudo parecia que iríamos entrar em acordo, o noivo dela avacalhou. E eu fiquei imobilizado (4 de Espadas) diante dessa surpresa e decisão súbita (Roda da Fortuna) dele. Fiquei sem poder fazer nada (4 de Espadas).

Mais tarde, uma aluna do curso de Sinastria via internet (Sinastria = Relacionamentos = Enamorado) me manda um email. Ela me comunica o quanto anda desanimada com o rumo que sua relação vem tomando, dando um banho de água fria nela – que estava tão empolgada… Eis aí uma Rainha de Espadas frustrada pelo que está rolando na sua relação (Enamorado).

Depois veio uma nova contato do facebook querendo que eu faça uma previsão de Tarot para ver se o Atlético/MG conseguirá superar o Newell’s Old Boys na semana que vem e seguir na Libertadores. Ela (Rainha) está lá angustiada (Espadas) na dúvida (Enamorado) se seu Galo conseguirá ou não reverter a desvantagem do primeiro jogo na Argentina.

E, claro, a minha maior necessidade de conciliação (Enamorado) foi direcionada para o terreno da Rainha de Espadas: para mulheres controladoras, dotadas de poder, curiosas, inteligentes, questionadoras e com uma ambição e tanto para realizar aquilo que desejam.

Obviamente que tive de ser diplomático (Enamorado) para não dizer de forma tão dura certas opiniões e discordâncias (Rainha de Espadas) minhas, tais como:

Ao dizer para essa noiva que eu não faço mudança de nome, não recomendando que a mulher adote qualquer sobrenome do marido (e que numerólogos que propõem a mudança de nome só querem tirar dinheiro dos clientes que acreditam em mudanças mágicas).

E que não tem jeito de eu ficar fazendo previsões ou interpretações gratuitas a todo mundo que vem me pedir.

E que percebi a enrolação e uma certa falsidade em certas informações passadas para mim de outras duas mulheres que me procuraram mais cedo (a Lua em Gêmeos estava em quadratura com Netuno: Lua = mulher. Quadratura = desafio. Netuno = enganação. Gêmeos = uso das palavras).

E que sou cruzeirense e quero que o Galo se foda mesmo na Libertadores… rsrs

Bem, é isso. Beijãozão nocês…
Yub

A diferença entre Mago (ENGANO) e Lua (ILUSÃO) em jogos de Tarot para o AMOR.

Conversava sobre o Mago com uma querida aluna que está se mostrando bem interessada neste início de curso de Tarot via internet.

Após ter enviado para ela a aula sobre esse Arcano, ela usou um adjetivo repetidamente sobre essa Carta. O adjetivo era: ILUSÃO. O Mago “ilude”.

E eu não fiquei confortável com o Mago recebendo essa função: daquele que ilude. Eu lhe disse que “eu não vejo o Mago iludindo e nem iludido. ILUSÃO é mais Estrela e Lua, principalmente Lua.”

Por quê?

Porque vejo o Mago enxergando bem o lado bom e o lado mal, o lado bacana e o lado ruim das coisas. E vai no que der vontade, mesmo sabendo que é perigoso o lado ruim, entende? Ele está consciente. Mas prefere agir de seu jeito embusteiro sem julgar como errado.

E aí percebi a necessidade de deixar bem claro essa diferença entre o MAGO e a LUA. Entre ENGANAR
(Mago) e ILUDIR (Lua).

Basta lembrar daqueles carinhas que ficam no centro da cidade, numa praça bem movimentada, usando suas habilidades manuais para esconder uma bolinha dentro de três tampinhas. Ficam passando a bolinha por estas e deixam em uma. E pedem para alguém adivinhar debaixo de qual está a bolinha. E apostar ali.

Esse carinha está aparentemente ILUDINDO os outros… mas, na verdade, está ENGANANDO. Enganar é uma palavra mais apropriada para o Mago, porque ele está consciente do que está fazendo.

A Lua, muitas vezes, “engana” sem estar consciente de que está “enganando”, porque ela acredita numa ILUSÃO. Ou seja, está se iludindo e iludindo outros, e não se enganando. Percebem a diferença?

Sempre alerto aos meus clientes que me procuram para as consultas de tarot via internet para seus relacionamentos afetivos para ficarem espertos com a Lua. Se sai a Lua para a pessoa parceira, esta está com MUITAS ILUSÕES a respeito do consulente. Pode, por exemplo, considerar que o consulente é sua alma gêmea, é perfeito e será a pessoa de seus sonhos. Ou seja, está se iludindo porque não tem ninguém assim, já que todos somos humanos e naturalmente imperfeitos.

Já se sai o Mago, existe o risco do consulente ser enganado pela pessoa parceira, já que esta – CONSCIENTEMENTE – pode estar ENROLANDO o consulente.

OBS.: é bom deixar claro que o Mago e a Lua têm diversos significados de acordo com seus simbolismos. Não é uma receita de bolo… mas é bom prestar atenção para essas facetas enganadoras e ilusórias de Mago e Lua quando estes saem em seus jogos de Tarot – para si e seus consulentes.

Por exemplo: o Mago pode simbolizar a aspiração de iniciar uma relação e os mil projetos para que a relação dê certo. A Lua pode simbolizar o quanto a pessoa parceira e o consulente têm um vínculo de alma, um nutre, alimenta e satisfaz emocionalmente o outro. E por aí vai.

Beijãozão nocês…
Yub

Morte, Roda, Julgamento e Torre – Por que nos assustam tanto?

É maravilhoso aprender novas facetas ou aprofundar em certos aspectos dos Arcanos, graças principalmente à prática de jogar o ARCANO do DIA! Como isso nos ensina…

Eu vinha reparando um detalhe que no curso do Nei (Naiff) aqui em BH em Abril ficou mais claro. Nossa reação diante das dinâmicas dA Morte, dO Julgamento, dA Roda da Fortuna e dA Torre é bem definida pelo NAIPE do Arcano MENOR que acompanha uma dessas Cartas…

Percebia em mim que quando os naipes de OUROS e PAUS estavam juntos a esses Arcanos, minha reação era mais natural, mais sabiamente aceitadora. Porque quando esses Arcanos saem representando nosso dia, pode esperar: sua ROTINA ou PLANEJAMENTO irão para o espaço!! 😀

Mas quando saio com esses NAIPES, minha reação a essas mudanças cotidianas são serenas.

– Ok, é necessário fazer isso agora OU isto que estou querendo fazer não terá jeito de ser feito MAS não dá, tudo bem. Então, vamos fazer o que rola de fazer; vamos sair da rotina de boa; esse planejamento não deu certo, então, vamos tentar isso.

Porém, quando os NAIPES de COPAS e ESPADAS saem juntos com um desses Arcanos, aí eu esperneio,
reclamo, fico puto, revoltado, enfim, não reajo bem às surpresas e saídas da rotina…

E aí entra algo bem interessante. Ou melhor, duas coisas.

A primeira é que esses Arcanos assustam tanto, porque indicam MUDANÇA. Algo sairá diferente daquilo que planejáramos ou estava sendo encaminhado QUANDO Torre, Morte, Julgamento, Roda da Fortuna aparecem em nossos jogos de Tarot.

Eles pedem para sairmos da zona do conforto, nos abrir para outras experiências, acolher o novo e os inesperados, enfim, PARAR DE RESISTIR às mudanças.

A segunda coisa é que os NAIPES de OUROS e PAUS aceitam melhor a vida como ela é, a realidade. Por isso nossa reação diante das mudanças e alterações de planos que esses Arcanos de mudança representam é mais lúcida, espontânea, sábia.

Já quando os NAIPES de COPAS e ESPADAS saem, nossa reação é imatura, ficamos frustrados porque as coisas não correrão como desejamos… e não reagiremos bem a esses imprevistos e mudanças.

Beijãozão nocês…
Yub

A aceitação é o desistir de querer ter controle sobre tudo e todos. E os Arcanos Menores de número 8.

Conversava com a Cris ontem, na hora do almoço, sobre certas questões que estamos percebendo. E ficou bem claro – visceralmente sentido – que quando temos a REAL atitude de ACEITAÇÃO, aí sim a cura pode acontecer. 
E quando digo CURA, não estou me referindo exclusivamente à de uma DOENÇA (somatização explicitamente presente, tal como um câncer, uma doença crônica, etc.). Estou me referindo a uma POSTURA DOENTE (imatura) diante da vida como um todo. 
Porque ACEITAR do fundo da alma uma situação é RECONHECER que não adianta fugir, nos iludir ou querer controlar algo ou alguém para que as coisas saiam do jeito que queremos. E isso é visto como uma DERROTA. Aceitar, muitas vezes, é DESISTIR de querer controlar. É um abandono da ilusão de controle. 
E foi aí que me dei conta… Tenho percebido quando sai o 8 de Copas ou o 8 de Espadas em meus jogos, tal como no Arcano do Dia, que eles indicam a necessidade de DESISTIR de algo que estou querendo a todo custo. Ou que um vício (padrão de comportamento compulsivo) está atuando e que precisa ser abandonado. 
Há necessidade de abandonar algo… geralmente uma atitude obcecada por algum resultado… Pede o relaxamento da ambição de controlar e de direcionar as forças da vida para determinado fim. 
O 8 de Copas, por exemplo, pede para desistirmos de uma ilusão de que obteremos satisfação emocional por meio de uma pessoa ou de um sonho há muito imaginado… 
O 8 de Espadas pede para não sermos mais aprisionados por determinado medo ou compulsão. É o momento de parar de repetir um comportamento que, no fundo, nos aprisiona e nos fixa em determinada meta ou etapa de nossa vida. 
O 8 de Ouros pede para desistirmos de uma situação que aparentemente nos deixa seguros, acomodados numa segurança, tal como num emprego que nos dá grana mas retira nossa paixão, nossa vitalidade, nosso prazer… E pede que aprendamos um novo ofício. 
O 8 de Paus pede para desistirmos de uma posição de conquista arduamente obtida e mantida. Tal como um time de futebol que ralou para alcançar o topo da liderança e para mantê-la até conseguir ser campeão. E que um novo campeonato se inicia. E não dá mais para se postar de campeão já que a atual competição começa com todos os times do zero, sem vantagem alguma. 
Enfim, os Arcanos de Número 8 simbolizam bem a importância de ACEITARMOS a realidade e buscarmos retomar a jornada de um outro jeito, por uma outra via, abandonando as ilusões. É uma perda… sem sombra de dúvida. Mas uma perda altamente compensatória e benéfica para nosso amadurecimento e para buscar algo que realmente nutrirá nossa alma. 
Beijãozão nocês…
Yub

Carro e Cavaleiros: As decisões súbitas e impulsivas para evitar a angústia da espera e o sofrimento

Cada dia que passa noto o quanto nós detestamos esperar… A angústia da espera é o que nos faz precipitar decisões. Optamos por certas vivências de forma reativa, impulsiva, imprudente – apenas para correr para bem longe de um impasse, de uma situação que não se resolve e vem se arrastando.

Não temos maturidade e nem sabedoria para esperar a solução se apresentar do próprio conflito, do próprio impasse. Eu sei… é realmente muito incômodo ficar ali sufocado pela angústia da incerteza… Então, qual é a nossa reação?

Vamos tomar uma decisão. Quanto mais rápida, melhor. Fundamentalmente para ficarmos livre daquele estado angustiante de incerteza e de falta de clareza… E nessa precipitação, acabamos gerando consequências desastrosas. Muitas vezes, nos amarramos ainda mais nos nós em que estávamos quando achamos que apenas uma radical decisão nos libertaria dos mesmos. Doce ilusão… As amarras ficam ainda mais fortes. Ou a possibilidade de resolver aquele inicial impasse foi definitivamente para o saco…

O que está me proporcionando mais claramente essa percepção são recentes jogos voltados para o campo afetivo (Templo de Afrodite) de algumas clientes e amigas…

Em dois desses jogos, o Carro saiu como representando o FUTURO DA RELAÇÃO (Casa 7 do Templo de Afrodite). E em ambos uma das partes tomou uma decisão que surpreendeu. Eis o Carro. A coragem de tomar uma súbita decisão para movimentar algo que não se suportava mais manter.

Outro detalhe que mostra essa pressa em ficar livre da espera angustiante é a forte presença dos Cavaleiros (seja de paus, de espadas, de copas ou de ouros). Os três primeiros são mais vistos…

Os Cavaleiros e o Carro são bem semelhantes… Eles mostram essa disposição em arriscar, em tomar decisões muitas vezes impactantes, chocantes, impulsivas, corajosas ou imprudentes…

No caso de uma cliente querida, no jogo como um todo já estava visível a IMPOSSIBILIDADE dela e dele ficarem juntos. E no jogo dele havia uma renca de Cavaleiros (Cavaleiro de Espadas e Cavaleiro de Paus). E na Casa 7 – Carro + Cavaleiro de Copas. E ele rapidamente tomou um outro rumo (Carro e Cavaleiros). Ele simplesmente ficou noivo de outra!!!

Eu via ele tomando esse novo rumo… mas não imaginava que seria tão rápido assim… Taí mais uma lição. Quando há a forte presença de Carro com Cavaleiros ou alguns Cavaleiros marcando presença no Templo de Afrodite, pode saber, a rapidez deles se unirão e a velocidade será muito maior para vir aí uma precipitada decisão. E poderá chocar…

Só a prática ensina e mostra detalhes reveladores. Eu AMO a experiência do aprendizado que vem com os feedbacks de minhas clientes… OBRIGADO a vocês!! MUITO OBRIGADO!!

Beijãozão nocês…
Yub

O Tarot e As cartas "voadoras" = muitas mensagens em conjunto!

Todo dia pela manhã eu tiro um par de Arcanos para me mostrar como será o respectivo dia. De vez em quando, ao embaralhar o monte dos Arcanos Maiores e depois os Menores, algumas cartas voam. Vão parar no chão. E eu considero que são estas as representantes do meu dia.

Ontem, Domingo, eu carregava minha filha no colo. E resolvi embaralhar cada maço com ela. E pedi:

– Sophia! Tira uma carta aqui pra mim.

Ela tirou do monte dos Arcanos Menores o SEIS DE ESPADAS

Aí lhe apresentei o maço dos Arcanos Maiores. E pedi, ao abrir em leque, mais uma vez para ela tirar uma carta. 
Só que desta vez ela puxou um tanto e três caíram ao chão. 
Imperador, Lua e Julgamento. 
Nunca tantos Arcanos representaram meu dia… rsrs 
Fui tocando o barco. Mais à noite, lendo o blog de um amigo meu, o Lexey (Alexey Dodsworth), me envolvi em significativas reflexões sobre o meu atual momento existencial. Sobre minha fé. Escrevi a respeito agorinha lá no blog de astrologia. Está aqui, caso queira mais detalhes: A Lei da Atração, Trânsitos de Plutão e a Crise Existencial
É impressionante o quanto O Imperador retrata uma situação que será marcante mais ao fim do dia. E nos jogos de Tarot de meus clientes, percebo que o fim do tempo perguntado é que “materializará” (Imperador) a questão abordada. 
Tenho também outro exemplo. No ano passado, uma amiga querida, a Ju, perguntou se o Atlético/MG iria ser campeão do Campeonato Brasileiro. E saiu o Imperador na Casa do resultado final. Diante do cenário dos pares de Arcanos pelas três Casas do Método usado, eu lhe disse que o Atlético não seria o campeão. Mas que conquistaria a vaga para a Libertadores. E essa conquista seria no fim do campeonato, provavelmente na última rodada. 
E o que aconteceu? Esse Imperador foi a realização no fim do prazo: não somente na última rodada, mas o jogo do Galo já tinha acabado. Dependia do Grêmio não ganhar do Inter lá no clássico gaúcho. E houve o empate. Esse jogo terminou após a partida do Atlético/MG. 
A Lua é um mergulho no inconsciente, em nossos medos e expectativas. E o Julgamento é um renascimento, o qual gera um maior comprometimento e responsabilidade na vida. Fruto da maturidade conquistada. E o 6 de Espadas é uma travessia. Reconhece-se os erros e resignadamente busca-se uma mudança, uma nova experiência, uma outra margem existencial. 
Se você ler o que escrevi no post lá no blog de astrologia, você entenderá 😉
Beijãozão nocês…
Yub

Torre e o Naipe de Espadas: libertando-se dos padrões controladores!

Eu espero que eu tenha morrido, tal como o moço desta carta: o DEZ DE ESPADAS!!

Porque eu costumo escrever um conto (de suspense/policial) em um dia. Minha ansiedade de logo terminar me impele a concluir rapidamente algo que comecei a escrever. No máximo, em um final de semana. Porém, travei uma verdadeira luta contra mim mesmo do dia 12 de Fevereiro ao dia 26 de Fevereiro de 2013.

Há mais de um ano, creio eu, não escrevia um conto lá no blog. E no dia 26 de Fevereiro, eu publiquei este: http://www.yub-contosdesuspense.blogspot.com.br/2013/02/minha-timidez-e-negra-toda-vestida-de.html

Eu o terminara no dia 25 de Fevereiro. Mas não quis publicá-lo. Preferi esfriar a cabeça e relê-lo totalmente no dia 26, antes de expô-lo no blog. Por quê?

Porque nos quatorze dias que comecei, desenvolvi e terminei o conto MINHA TIMIDEZ E A NEGRA TODA VESTIDA DE BRANCO, eu aprendi muitas coisas… A principal, creio eu, foi viver sob a espada do conflito entre o que eu queria e o que meu inconsciente sugeria.

Agora entendo o quanto Jung falava que suportar o conflito dos opostos não é fácil… E o quanto nos amadurece… Vi nesse processo de publicar o conto uma metáfora de meu processo de individuação. E o atrito entre seguir o que algum complexo (padrão de comportamento que se repete, gerando um desperdício de energia) dita ao meu ego – e os ditames do Self (Si Mesmo/Deus Interno).

Justo no dia 25 de Fevereiro, eu saí com o par TORRE / 10 DE ESPADAS como os Arcanos do Dia.

Eu não sabia que terminaria meu conto neste dia. Só fui descobrir o significado (e o alvo-mor do significado) desse par de Arcanos à noite, quando o finalizei.

E foi realmente uma libertação (Torre) o doloroso processo de concluir (10 de Espadas) esse conto. Só alguns dias depois, na terapia, descobri que o buraco era muito mais embaixo. O que eu estava vivendo era a experiência de, quem sabe, me libertar (Torre) de um padrão comportamental negativo que pode chegar ao fim (10 de Espadas): o de querer ter o controle; no caso, sobre o processo criativo.

Geralmente, eu tenho a ideia toda na cabeça. Como o conto irá começar, se desenvolver e ser finalizado. Mas neste não. Eu só tinha, inicialmente, a imagem do começo dele: um rapaz preso no banheiro por conta de uma imensa timidez. Escondia-se ali quando recebia visitas em casa. Apenas isso em mente.

E já coloquei essa ideia logo no primeiro parágrafo. E agora? O que escrever mais? Para onde esse conto irá? Como será concluído? Simplesmente, não sabia. E ousei passar pela angústia de não saber e de querer colocar as mãos ansiosas sobre o conto e forçá-lo a ser de um jeito tal. Mas não adiantou nada. Não tinha a mínima noção de como espremê-lo para dar um resultado tal. Porque eu nem sabia que resultado seria este. Apenas sabia que esse rapaz iria matar.

Percebi que esse processo de viver o dia e me abrir para as ideias sobre qual a próxima cena era algo desafiante, estimulante. Minha mente queria entrar em ação e logo elocubrar a respeito do COMO e O QUE escreveria. E isso me fazia ficar atento e alerta. Quanto mais eu vivia intensamente determinada tarefa e situação de meu dia-a-dia, mais eu me conectava a receber de minha intuição qual seria a próxima etapa de desenrolar do conto.

E estas ideias surgiam “do nada.” Uma – que me trouxe várias outras – ocorreu quando fui mijar. Foi quase uma revelação.. rsrs Foi muito bacana…

Então, se eu aplicar essa atitude ao escrever o “conto” da minha vida, aí sim, o potencial de TORRE / 10 DE ESPADAS poderá se manifestar de uma forma muito mais profunda, existencial e transformadora. E eu conseguirei me libertar de padrões comportamentais negativos, especialmente no que tange ao complexo psicológico do CONTROLE.

Beijãozão nocês…
Yub

Jogos de Tarot sobre amor: os Arcanos 4 e o apego a um relacionamento já morto

É impressionante o quanto tenho visto nos jogos de Tarot voltados para o Amor que tenho jogado para meus clientes o seguinte detalhe.

Os Arcanos Menores de Número 4 (4 de ouros, 4 de paus, 4 de espadas e 4 de copas) simbolizam o forte apego de um dos parceiros. É a possessividade e a não aceitação de que algo mudou. Muitas vezes, a relação já até acabou (vide o exemplo de uma cliente amiga querida mais abaixo neste post), mas um dos parceiros não aceita e continua ali, apegado, agarrado, querendo prender o outro.

Os Arcanos 4 são os mais resistentes à mudança. Eles se aferram ao que foi conquistado no passado e tentam manter essa conquista a todo custo. Tentam prender, não soltam, ficam apegados. Aprisionados na relação e tentando aprisionar o outro.

Geralmente, são muito focados na segurança que o outro representa para si. Muitas vezes, sentem-se como se o chão tivesse ruído sem a presença do outro, sem o vínculo com o outro.

O 4 é teimoso à beça. Por isso teimam em insistir que ainda são namorados, noivos, casados. Mesmo com o outro falando explicitamente que a relação acabou…

Minha cliente autorizou a divulgação de seu Templo de Afrodite. Claro que não revelando seu nome e nem o de seu parceiro.

Eis os pares de Arcanos para cada um.

MINHA CLIENTE                                                SEU PARCEIRO (e agora ex)
Casa 01: temperança / rei de paus                Casa 02: louco / 4 de ouros
Casa 03: diabo / as de ouros                         Casa 04: morte / 4 de paus
Casa 05: força / 10 de espadas                      Casa 06: lua / 7 de espadas
                                               Casa 07: julgamento / as de copas

Quando ela me encomendou a consulta de Tarot via internet, ela e ele estavam em crise. Ela via os problemas e ele não. Custou a admitir. E aceitou fazer terapia de casal para tentar resgatar (Julgamento) o amor (as de copas). A Casa 7 – o futuro da relação – mostrava essa perspectiva. 

Mas todo o processo que envolveu o antes da terapia e o durante foi muito desgastante para minha cliente. Ela percebeu que não tinha mais como se relacionar, porque alguns objetivos que ela tinha para a relação, que são primordiais para ela em termos de família, não eram aceitos nem comungados por ele. Como engravidar, por exemplo. 

Ele não queria. Ela queria MUITO. E, claro, vários outros detalhes e divergências desgastando a relação.

Porém, veja lá os Arcanos dele!! Além dos apegados 4 de ouros e 4 de espadas, ainda tem a apegada LUA… Ele não aceita que a relação acabou, quis intensificar a frequência na terapia de casal. 

Ela já viu que deseja apenas a amizade (Temperança). E quer a todo custo (Força) colocar fim a esse sofrimento (10 de espadas), porque seu amor acabou (10 de espadas). 

O detalhe é que ainda está ligada a ele materialmente (Diabo + as de ouros). Eles têm patrimônio (ouros) em comum que precisam ser divididos. Agora, ele com aquele 4 de ouros ali, vai empacar e não vai querer perder nada, inclusive materialmente. Ele ainda quer preservar não somente os bens em comum, mas a relação, pois está apegado à segurança (4 de ouros) que ela representa para ele. 

Enfim, esse é um exemplo de caso envolvendo os Arcanos Menores de número 4 que ressaltam essa questão do apego a alguém e a uma relação, não admitindo que ela terminou, que acabou. 

Beijãozão nocês…
Yub 

Arcano do Dia: Conselho ou Previsão?

Eu sempre joguei o Arcano do Dia (tirar uma carta ou um par/Maior + Menor) pensando COMO SERÁ O MEU DIA?? No final de semana que o Nei Naiff veio aqui em BH, ele disse que tirava o Arcano do Dia como um CONSELHO para esse respectivo dia.

Qual a diferença?

O COMO SERÁ O MEU DIA? é uma PREVISÃO. Mostra o que ocorrerá.

O CONSELHO é um ACONSELHAMENTO do Tarot sobre qual postura deverei ter no dia.

Pra mim, no fundo, ambos falam a mesma coisa. Ou melhor, a opção que jogo (Como será o meu dia) abarca ambos. De que forma?

Vou dar um exemplo.

Num determinado dia, eu tirei o par Sacerdotisa / 5 de Ouros. Ou seja, já sabia que o dia seria lento (Sacerdotisa). Por quê? Porque me faltaria – ou às situações em que me envolveria – recursos, capacidades e funcionalidades práticas (5 de Ouros).

Sabe o que me aconteceu neste dia?

Estávamos de carro e tínhamos a consulta mensal com a pediatra da Sophia. Na hora de apertar o controle remoto do portão eletrônico da garagem, eu apertava e… NADA!!! Apertei teimosamente capricornianamente várias vezes e…NADA!!

Desci do carro e fui em direção à entrada do meu bloco (são quatro blocos aqui no prédio). Meu objetivo era bater no apartamento do síndico e ver se ele me ajudava. Porém, no caminho, eu encontrei com uma morada do primeiro bloco. Ela acabara de descer de seu apartamento e colocava algumas coisas no carro dela. Seu marido sairia para trabalhar.

Eu lhe perguntei se sabia abrir o portão eletrônico no modo manual, porque não estava abrindo com o controle remoto.

Foi então que ela me disse:
– a luz acabou de ir embora. Estamos sem energia elétrica.

Putz… eu chegaria atrasado na consulta…

Ela disse que não sabia abrir o portão no modo manual, mas que o marido provavelmente saberia. Ele não sabia… 5 de Ouros total! Sem capacidade, sem recursos, um repertório de habilidades repleto de limitações.

Ela bateu no apartamento do síndico do bloco dela. O cara chegou da janela e me explicou como fazer para abrir o portão manualmente. Deu certo. Mas chegamos um pouco atrasado (Sacerdotisa) no consultório.

Ou seja, se o par de Arcanos do Dia me mostrava que o dia seria de lentidão (Sacerdotisa) por falta de recursos práticos, materiais, objetivos, burocráticos e palpáveis (5 de ouros), nele já estava embutido o conselho:

Tenha paciência (Sacerdotisa) e procure analisar (Sacerdotisa) como aprender (Sacerdotisa) a superar certas limitações, carências práticas e dificuldades objetivas e materiais (5 de Ouros).

Resta saber se o Conselho do Dia também dá certo para as PREVISÕES. Ou seja, se sai um Pendurado e, portanto, pede para a pessoa ficar mais na dela, sem se socializar neste dia e sem tantas atividades, será que externamente o cotidiano tem essa marca também? Ou, por exemplo, chove de convites para sair e badalar, mas a pessoa com o conselho dO Pendurado, se nega a ir e prefere ficar em casa para não se deparar com obstáculos que a aprisionariam (Pendurado) na rua, na balada??

Se alguém aí tira o Conselho do Dia e puder me responder essa dúvida, agradeço!

Beijãozão nocês…
Yub

Sim, a vida joga Tarot para mim!

Sim, a vida joga tarot para mim!
Olá Pessoas!
Vim dar pitacos no blog de astrologia para comentar algo muito curioso que acontece comigo: a “vida”, digamos assim, joga tarot para mim! E como isso acontece? Eu acho arcanos! Normalmente de arcanos menores, é claro, aquelas cartas que costumamos usar para jogar baralho. E sim, as cartas aparecem nos mais variados e inusitados lugares, sozinhas ou em grupo. E cartas dos mais variados tamanhos também. Não tem uma periodicidade definida. Ás vezes posso ficar semanas ou meses sem achar nada. Ás vezes acho toda hora, a notícia vem minuto a minuto. Acredito que todo mundo tropece com seus arcanos por aí, e nunca tenha prestado muita atenção. Eu quando estou muito agoniada com alguma situação fico de olho pra ver o que vem por aí.
E como essa história começou? Pois é, lá vinha eu caminhando pela rua quando pimba! Dei de cara com o arcano maior do Imperador, do deck de Marselha, lá no chão, olhando para mim! Obviamente não pude resistir, catei e levei comigo. Alguns dias depois achei outra carta (um arcano menor, que não me recordo agora), dias depois outra, e outra…
Com o tempo passei a observar que minha vida, depois de encontrar alguma carta, mostrava a tonalidade da energia dessa carta. Louco não? No começo achei curioso, fiquei intrigada, e passei a fazer quase um investigação científica sobre a coisa, ficando sempre bem atenta aos “sinais” (no meu caso bem escancarados), e hoje confesso que já introjetei na minha vida essas dicas que o destino me traz.
Olha o exemplo: estava eu muito infeliz no emprego, querendo muito sair de lá. Pedi demissão. No dia seguinte indo ao trabalho, dei de cara com um Ás de Paus. O que o Ás de Paus de traz? Oportunidades à vista, potencial para novos negócios, entusiamo. No decorrer do dia meu telefone tocou com o convite para uma entrevista de emprego.
Fui à entrevista. Quando estava indo para casa… Ás de Espadas: possibilidade de novos projetos, muita elaboração mental, muitos planos, uma certa ansiedade e angústia. E foi isso mesmo que moveu meus dias, porque apareceu outra proposta de emprego e eu fiquei agoniada tentando equilibrar o encerramento do trabalho que estava e ainda esperando ver qual oportunidade se concretizaria. No decorrer da semana, uma das empresas marcou uma segunda etapa do processo seletivo. Quando estava indo realizar os testes… um 6 de paus! Resultado? Vitória! Hoje mesmo, vindo pro novo trabalho, dei de cara com um 7 de paus e um 5 de ouros: competitividade e um certo prejuízo financeiro, respectivamente. Já comecei a verificar minhas contas para checar gastos desnecessário.
 
Eu no fim das contas uso essas “dicas” como uma bússola do que pode vir por aí e de como posso lidar com isso, afinal a energia de um arcano não é determinante e sempre podemos escolhê-la vivenciá-la ou não!
Bitocas!
Cecilia Santos
Equipe YUB de Astrologia
(agora dando palpite na Tarologia)