Diário Tarológico: Temperança / 9 de Espadas

Olá, pessoal!
 
A partir de hoje vou ter o prazer de dividir com o yub as atualizações do blog de tarot. Para começar, compartilho com vocês uma experiência que tive ao tirar o arcano do dia. Como de costume, tirei um arcano maior e outro menor. Saíram a temperança e o nove de espadas.


Quando a temperança rege o meu dia, tudo é muuuuito lento, minha disposição teima em não dar as caras, minha paciência é minuciosamente testada. É que a temperança pede isso mesmo: tempo. Pede da gente a sabedoria de respeitar o ritmo certo (e devagar devagarinho) das coisas para que elas se ajustem, se reconciliem, se reencontrem.
 
Este arcano vem depois da morte, a carta que recomenda profundos divórcios. Após a separação, vem a hora de um novo ajuste (temperança). Percebam que a carta traz um anjo com um pé na água e outro na terra, enquanto ajusta o conteúdo de duas taças até o equilíbrio perfeito da mistura, sem a menor pressa de chegar ao final (mas em profunda sintonia com a cadência do processo).

 
Já o 9 de espadas representa o medo de que o pior aconteça. Aquele clima de pavor que fica rondando a cabeça da gente. Se ele sai como arcano do dia, das duas uma: ou deixamos de fazer algo com medo que dê errado ou fazemos algo de forma precipitada numa tentativa (geralmente frustrada) de fazer as coisas darem certo. E no fim, percebemos que o pesadelo nem era tão assustador assim… ou seja, tempestade em copo d’água.

No dia em que saí com essa dupla, precisava chegar ao trabalho mais cedo. Acordei cedo, me arrumei cedo, tomei café cedo. Ia dar tudo certo. Quando eu estava pra sair, minha mãe me ofereceu carona até a avenida principal, onde tenho mais opções de ônibus. Disse que não precisava porque tava cedo e meu bus ia passar na hora. Acontece que o ônibus atrasou (temperança).

Eu fiquei preocupadíssimo, achando que ia me atrasar e levar uma super bronca das chefes (9 de espadas total em ação). Fiquei com tanto medo (9 de espadas), que fui andando até a tal avenida, só pra pegar o mesmo ônibus, afinal. Acabei chegando no meu horário de costume mesmo e nem teve o estresse que eu achava que ia rolar. Mas nesse dia, ainda teve mais: de noite, fui ao cinema com uma amiga. Ia dormir na casa dela, só que minha mãe, que tinha viajado, ligou me pedindo pra dormir em casa pra minha avó não ficar sozinha. Fiquei receoso e voltei (9 de espadas outra vez junto com a necessidade de conciliação da temperança).

Quer dizer, pintaram diversos atrasos (temperança), muito medo de experiências ruins (9 de espadas), necessidade de fazer conciliações pra não ser nem tão lá nem tão cá (temperança outra vez) e o eterno clima de tempestade em copo d’água (9 de espadas). Vez em quando, o tarot é assim, bastante literal e óbvio de tão evidente.

Beijo grande,
Yuri Assis
Equipe Yub de Tarot

O 6 de Copas no Tarot: o passado se apresenta no presente.

No Sábado passado, tanto eu quanto a Cris saímos com o 6 de Copas como Arcano do Dia. Achei muito interessante. E logo me veio o possível significado – e interpretação prática – dessa Carta para o que viveríamos nesse dia.

O 6 de Copas é um Arcano associado ao saudosismo. Lembranças do passado, memórias, situações que vivemos, pessoas que convivemos em épocas pretéritas ganham evidência quando essa Lâmina surge.

Sábado foi o dia do Chá de Fraldas da Sophia. Ou seja, reencontraríamos VÁRIAS pessoas que não víamos há anos. E assim aconteceu, intensamente – com muita gente.

Beijãozão nocês…
Yub

O Tarot presente no novo filme Sherlock Holmes!

Sexta-feira passada, logo após almoçarmos no Boulevard Shopping, eu e a Cris decidimos assistir Sherlock Holmes 2.

E não é que tive a grata surpresa de ver uma cena em que o Tarot se mostrou belamente presente?

Pois é… Holmes vai se consultar com uma vidente cigana. Porém, ele mesmo pega o Tarot dela e começa a tirar carta por carta de seu baralho. E, o melhor, a interpretar CORRETAMENTE!!

Holmes tira O Louco e fala da confusão, da incerteza – típicas características desse Arcano.

Logo em seguida, tira o 2 de Copas e fala de uma aliança, de um acordo – totalmente apropriado com os significados dessa carta.

E, por último, tira O Diabo (vide imagem acima). Essa carta representa seu inimigo, o vilão deste atual filme.

Muito legal… Gostei! 😉

Beijãozão nocês…
Yub

Diário Tarológico: Mago / Rainha de Copas

Ontem saí com o par de Arcanos Mago / Rainha de Copas. Vou compartilhar com vocês alguns eventos dessa minha terça-feira. E mostrar o quanto um mesmo simbolismo pode ser aplicado a várias situações.

O Mago simboliza o início de um ciclo. É o primeiro Arcano Maior. É a carta de Número 1 – dos inícios.

A Rainha de Copas tende a representar uma mulher. Todas as Rainhas, seja de que naipe for, quando aparecem como Arcano do Dia, indicam a forte possibilidade de uma mulher ter uma influência forte no seu dia.

O naipe de Copas envolve o campo psíquico, emocional, inconsciente, psicológico.

Ontem, eu iniciei (Mago) uma parceria com uma querida aluna (Rainha de Copas): a Cecília Santos.

Domingo eu havia lhe enviado um e-mail. Eu lhe propus escrever o Horóscopo do Dia no blog de Astrologia. Porque estou atolado de trabalho (mapas, consultas de tarot, bem como novos projetos com o Personare). Sem contar que minha filha está prestes a nascer e eu não poderia garantir que conseguiria toda santa manhã escrever o Horóscopo do Dia.

Vou, claro, manter os blogs atualizados constantemente. Mas só não poderei garantir o horário em que escreverei. E como Cecília é a minha melhor aluna do curso de Astrologia via internet – e tem um estilo de interpretar e abordar essa arte muito semelhante à minha, ela foi a que me veio à mente em primeiro lugar quando percebi a necessidade de delegar certas tarefas.

Vcs não viram a qualidade do Horóscopo do Dia escrito por Cecília? Veja aqui o de hoje:
http://yub-interpretacoesastrologicas.blogspot.com/2012/01/horoscopo-desta-4afeira-dia-110112-voce.html

Ontem também iniciei um novo ciclo (Mago) no que tange a lidar com meu inconsciente, meu lado psíquico, interno (Rainha de Copas), uma vez que foi a primeira sessão deste ano com meu psicólogo junguiano.

E também fiz malabarismos (Mago) para dar conta das diversas atividades (Mago) de um corrido (mago) dia para levar minha esposa (Rainha de Copas) a um médico pela manhã e outro à tarde nesta fase final de gestação em que as visitas médicas aumentam consideravelmente. E também para honrar um projeto que iniciei (Mago) com duas mulheres (Rainha de Copas) do Personare.

Eis as diversas formas de manifestação do par Mago / Rainha de Copas que mostram a riqueza de possibilidades interpretativas e vivenciais de cada Arcano…

Beijãozão nocês…
Yub

Diário Tarológico: Temperança / 2 de Ouros – paciência na conciliação.

Hoje eu tirei o par de Arcanos Temperança / 2 de Ouros. E logo no café da manhã recebo o telefonema da imobiliária que estou finalizando uma parceria. Devolvi as chaves na 2a.feira. E a vistoria por parte deles detectou alguns pequenos detalhes a serem reparados. Coisas simples.

Enquanto trabalho pela manhã, a Cris foi pegar as chaves para irmos à tarde no apartamento olhar esses detalhes. O 2 de Ouros pede flexibilidade, jogo de cintura e diplomacia para resolver pendências práticas, materiais, financeiras ou profissionais. No caso, práticas.

Já A Temperança pede diplomacia, paciência e habilidade de conciliar divergências.

Esse é um típico par de Arcanos em que o Arcano Maior e o Menor são semelhantes e acentuam os atributos um do outro.

Arcanos 2 pedem a consciência do outro. E, muitas vezes, parceria, apoio mútuo. Eu também tive de ficar em casa porque virá mais um cara fazer o orçamento das persianas que queremos colocar no novo apartamento. Ou seja, eu e a Cris nos dividindo nas tarefas e nos apoiando mutuamente para lidar com essas questões materiais.

Então, vamos ver o que este dia de negociações, acordos e ajustes de pequenos detalhes práticos ainda me reserva…

Beijãozão nocês…
Yub

Mudança Residencial e A Morte: A simplicidade do essencial!

4a.feira da semana passada (dia 28/12/11), eu e a Cris estávamos envolvidos com o processo de mudança residencial. No fim da 6a.feira, dia 30/12/11, terminamos esse processo, pois o novo apartamento se tornou organizado para morarmos. Tudo nos seus devidos lugares.
Ontem à noite, fizemos nosso primeiro Culto no Lar na nova residência. Após abrirmos numa passagem aleatória do Evangelho Segundo o Espiritismo e refletirmos a respeito, nós estudamos um capítulo do livro UM MODO DE ENTENDER: UMA NOVA FORMA DE VIVER, do Hammed.
Ontem foi a vez do Capítulo 13 – SIMPLICIDADE. Ao ler o conteúdo do mesmo, eu logo fiz a associação entre a Simplicidade e o Arcano 13: A Morte.
Essa Carta simboliza MUDANÇAS. Não é à toa que a derradeira mudança é a morte, literalmente. E nos faz associar MUDAR a tudo o que é essencial. Tanto é que o que é mais estrutural em nós é o esqueleto. E o que é supérfluo permeia e pavoneia o essencial. São as várias partes dilaceradas pela foice da Morte e que se encontram jogadas e espalhadas ao redor do esqueleto da carta (vide acima). Parecem partes do corpo de um rei e de uma rainha. Pois há duas cabeças com coroa decepadas e no chão da carta.
Os rostos e partes do rei e da rainha podem simbolizar as aparências, as superficialidades, enfim, aquilo que decora o essencial, nos atraindo. Pode ser o consumismo que nos seduz para apresentarmos posses que serão vistas pelos outros e que poderão nos proporcionar o reconhecimento social (rei e rainha). Podem nos oferecer a falsa sensação de importância, de nobreza, de superioridade (rei e rainha).
Na mudança, por aqui ter menos espaço que no outro apartamento, eu me vi forçado a doar muitas roupas, por exemplo. E vi a quantidade de roupas que eu guardava, acumulava, desnecessariamente. Fui aplicando a foice da morte no meu orgulho, no meu apego, na minha possessividade. E fui sentindo a liberdade que o essencial proporciona. O prioritário nos deixa simples. A simplicidade do essencial nos proporciona uma sensação deliciosa de prazer, riqueza (são os tufos de plantas que florescem na carta).
“Quando nos livramos de tudo o que é inútil e secundário, passamos a tomar consciência do que verdadeiramente temos e precisamos. Abrir mão dos trastes, de informações desnecessárias e de objetos em desuso exercita o desapego e facilita-nos a libertação dos ecos do passado.” HAMMED
Beijãozão nocês e uma EXCELENTE semana…
Yub


O Tarot às vezes é literal! O exemplo dO Eremita!

Vê o objetivo que o Eremita segura com a mão direita? Sabe qual é?

Parece uma lamparina, né? Ou mesmo um lampião… Em alguns baralhos, é uma vela.

Enfim, é um objeto que emite luz. E se espalha para um curto espaço à sua frente. Não é um farol, um holofote. Cobre pequenas distâncias. As que estão mais próximas dele e da pessoa que ele simboliza quando sai em nosso jogo de Tarot.

Nos tempos de hoje, poderia ser muito bem representado por uma lanterna, por exemplo.

Na segunda-feira, dia 19/12/11, eu saí com O Eremita como Arcano do Dia.

Sabe o que aconteceu aqui em casa?

Eu precisei usar a LANTERNA!!! porque a luz foi embora (caiu a energia elétrica aqui na região).
😀 

Beijãozão nocês…
Yub

O Pendurado: submeta-se ao se entregar à Vida = pagar mico!!!

Ontem foi o chá de fraldas da Sophia lá na faculdade da Cris. Sua turma de Psicologia nos emocionou com muito carinho, uma interação bacana e, claro, muitas fraldas!!! Obrigado pessoal! Sou fã desta turma!!

Mas o que isso tem a ver com o Arcano 12 do Tarot?

 

Como muitos sabem, eu tiro um par de Arcanos por dia. E ele representa a dinâmica que viverei. Ontem, 2a.feira, dia 05/12/11, saí com o par: Pendurado / 3 de Ouros.

Tem uma frase do Joseph Campbell que descreve bem o que esse Arcano simboliza. A frase está no final deste trecho escrito pelo autor em O Poder do Mito (após essa transcrição falarei sobre o que vivi ontem lá no chá de fraldas, conectando com o Tarot).

“Existe alguma coisa em sua vida que não tenha acontecido por acaso? É uma questão de estar apto a aceitar o acaso. O último anteparo da vida é o acaso – o acaso do encontro dos seus pais, por exemplo. Acaso, ou o que parece ser acaso, é o meio através do qual a vida se realiza. O problema não é reclamar nem explicar, mas lidar adequadamente com a vida que desponta. Declara-se outra guerra em qualquer parte, você é engajado no exército, e lá se vão cinco ou seis anos de sua vida, com toda uma longa série de acontecimentos imprevisíveis. O melhor a fazer é tomar tudo como se tivesse sido sua intenção; e com isso você invoca a participação da sua vontade. “
Quero chamar a atenção para a frase final, a qual deixei em negrito. Foi o que fiz ontem, quando a Cris disse que a Joana e a Anastácia queriam conversar comigo. Elas me propuseram uma brincadeira, com direito a pagar prenda (de vestir-me como uma gestante) à medida que eu errasse cada pergunta feita sobre esse universo da gestação e do recém-nascido.
Logo me lembrei do Arcano que vivia ontem: O Pendurado. E topei. “O melhor a fazer é tomar tudo como se tivesse sido sua intenção; e com isso você invoca a participação da vontade.”
Nosso ego é muito defensivo. E, principalmente, muito resistente a qualquer situação nova, diferente, especialmente se poderá ridicularizá-lo. Nosso ego é muito sério. Ele tem dificuldades de ter humor, principalmente consigo mesmo.
O Pendurado vem simbolizar justamente a submissão do ego a uma vontade maior: à da Vida. Para quem é religioso: à de Deus.
A existência torna-se muito mais prazerosa quando a gente se entrega, rende a nossa vontade a uma Vontade infinitamente superior. Saímos da tentativa inútil e desgastante de querer controlar tudo e todos, cada mínimo detalhe do dia-a-dia. E se feito com humor, melhor ainda. Prazer e diversão na certa diante do inevitável.
Talvez por isso o Pendurado esteja com uma feição tão serena, desprendida e até mesmo bem humorada. Pois parece que um sorriso se forma nos lábios dele. Essa peculiaridade é mais notória nO Pendurado do Tarot de Marselha:
Querem ver o processo o qual me submeti (Pendurado) ontem? Eis:

E o Três de Ouros nesta situação? O 3 de Ouros representa os primeiros resultados visíveis de um projeto (arrecadar fraldas para a Sophia) graças ao esforço conjunto de uma equipe (no caso, dessa turma querida de Psicologia). Aqui o 3 de Ouros:

Beijãozão nocês…
Yub

Steve Jobs e o Arcano 13 do Tarot: A Morte!

Steve Jobs anunciou que deixará cargo de presidente da Apple (Foto: Reuters)

Ao ler algumas matérias sobre a morte de Steve Jobs, ocorrida ontem, dia 05/10/11, eu me deparei com este link (o qual me apresentou o trecho a seguir):

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/10/confira-frases-marcantes-do-co-fundador-da-apple-steve-jobs.html

“Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que eu encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida. Por que quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira para eu saber evitar em pensar que tenho algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.” – discurso durante formatura em Stanford, 2005″

Quando o li, fiquei maravilhado. Porque Steve Jobs falou de maneira objetiva e certeira sobre a dinâmica do Arcano 13 do #Tarot: A Morte.

Essa Carta vem mostrar o quanto “(…) quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante.”

A Morte vem ceifar o que é supérfluo para deixar apenas o essencial, “o que realmente é importante.” 

Isso é desprendimento. Isso é desapego. Isso é sabedoria. Isso é o que Steve Jobs conseguiu acessar, sentir e viver. Tenha bela passagem, caro inovador…

Beijãozão nocês…
Yub

Combinações Tarológicas: a dança dos Arcanos

Quando um par de Arcanos é formado, uma música começa a tocar. Na verdade, a mistura de dois instrumentos. Algumas vezes, forma uma sintonia legal. Outras, há um desafinar.
Isso revela que o par pode ser formado por Arcanos que se harmonizam ou que se conflituam. Mas pedem para ser tocados juntos. E o problema não está em cada um desses instrumentos que se unem. Está em quem toca. Cabe ao consulente – cada um de nós diante de um jogo de Tarot – aprender a tocar o ritmo compatível de cada instrumento, de modo a uni-los numa sinfonia bacana.
Mundo / 9 de Espadas, por exemplo, formam um par que implica em serenidade e ansiedade. Como unir ambos? O Mundo é a resolução natural, espontânea e compreensiva de algo. Ou a conclusão de uma meta. E esta realização é feita naturalmente. Sabe-se que tem de fazer e faz. 
O 9 de Espadas já é uma preocupação. Há uma ansiedade e uma expectativa preocupante. 
Então, o Maior (Mundo) predominará? Ou seja, a tranquilidade e naturalidade para se concluir algo prevalecerá? Ou o Menor (9 de Espadas) será mais observável e sentido? Isto é, a preocupação será mais notada?
Nem um nem outro. Ambos! A música não é feita apenas de um instrumento, por mais que um deles pode APARENTAR se destacar no som da sinfonia. 
No caso do Mundo / 9 de Espadas, haverá uma disposição em realizar uma meta com naturalidade (Mundo), embora com uma certa ansiedade e preocupação (9 de Espadas). Essa mistura heterogênea formará a substância da vivência simbolizada por esse par de Arcanos. 
Beijãozão nocês…
Yub