Como Fluir Com As Oportunidades Da Vida? A Temperança do Tarot nos ensina

Temperança

No sábado (de 17 às 22 horas), eu fui à casa do Fernando Rocha Nobre. Lá ele apresentou o Cinema Comentado para um grupo de pessoas.

Cinema Comentado

O filme foi THE SARAPOV APPROACH:

The Saratov Approach

E logo em seguida abriu para o debate. A prosa foi espetacular. Várias percepções compartilhadas entre nós. E belos questionamentos cutucadores feitos pelo Fernando. E, o melhor pra mim, linkando com a Psicologia Analítica (“junguiana”).

Anotei várias perspectivas e perguntas em meu bloco de anotações.

No Domingo, recebi – para almoçarmos juntos – os meus amigos Dudu, MD, Kél, Julinho, Drizinha e Ju.

Como sempre ocorre, filosofamos bastante sobre a vida, espiritualidade, questões de sincronicidades e cocriação, estava doidinho para logo abordar os temas polêmicos proseados no sábado à noite no Cinema Comentado.

Eu saíra com a Temperança como Arcano do Dia.

Aí eu percebi com mais clareza algo que pode parecer contraditório a respeito do Arcano 14 do Tarot. O fato de ser um Arcano considerado lento e ao mesmo tempo de ansiedade.

Já venho notando que a Temperança pode ser rapidaça. E não tão lenta quanto nós Tarólogos costumamos dizer.

Porque dependerá do “tempo interior.”

Quando algo está “temperado”, devidamente ajustado, essa Temperança terá cumprido o seu propósito. E se manifestará rapidamente.

Mas se os ajustes a serem feitos para a harmonização entre o tempo interior e o exterior não estiverem efetivados, então, a demora poderá existir. E junto a ansiedade. A pressa em querer que a harmonia aconteça.

Todavia, toda essa ansiedade mostra que o tempo interior e o tempo exterior não estão em harmonia. Ou seja, os ajustes ainda não foram feitos. E a demora persistirá até estes ocorrerem.

O detalhe é que estes ocorrem muitas vezes sem a intervenção direta entre as pessoas, tal como ocorre no Enamorado (através de diálogos a respeito das divergências e atritos entre elas).

A Temperança é um tipo de ajuste mais INTERNO. Apenas quando o consulente se harmoniza com o tempo externo, no sentido de fluir com as oportunidades. Ou seja, quando a gente consegue estar em ressonância com as situações externas, em harmonia com o que está acontecendo, estamos em paz. E basta fluir com estas circunstâncias, abertos e receptivos para quando a oportunidade de vivenciar o que tanto desejamos surja dessa conjuntura de experiências.

Então, logo quando o pessoal chegou aqui e a prosa teve início, eu já tava doidinho segurando a ansiedade para introduzir os assuntos.

Daí vi que o caminho não era por aí. Faltava um contexto, um assunto ou situação que puxassem a necessidade de abordar aqueles temas.

Relaxei. Flui com a conversa. Deixei o tempo externo estar apropriado. E me desprendi. Pode ser que ele não me apresentasse essa oportunidade de conversar sobre o que eu tanto queria com meus amigos. Tudo bem. Eu vou aproveitar o que rolar aqui, naturalmente.

Então, bem mais à frente de nosso encontro, surgiu explicitamente a oportunidade. Era o meu “gancho” para soltar o verbo e os assuntos que vem me impactando… Foi SENSACIONAL!!

Eis a Temperança em ação. Quando o tempo interno e o tempo externo se encontram, eles fluem por meio de um mesmo rio até o Oceano.

Beijãozão nocês…

Yub

Quando os conflitos devem ser resolvidos INTERNAMENTE ou EXTERNAMENTE?

Tenho percebido que, muitas vezes, um conflito precisa ser resolvido internamente. E, por isso, nem precisa se deparar com uma outra pessoa para haver entendimento. A própria resolução interna já gera em nós uma postura harmoniosa dentro do relacionamento. 
Em outras ocasiões, por mais que trabalhemos em nós a compreensão do porquê o outro nos incomodou e o que eu preciso resolver internamente para melhor resolver a questão EXTERNAMENTE, o ajuste demandará um embate com a outra pessoa. Por mais que eu faça essa análise de meus erros, de minhas expectativas, de meus valores e do que é correto pra mim, ainda assim, nesses tipos de conflitos, preciso resolver de fato EXTERNAMENTE.
São três os Arcanos que até então atribuo a conflitos. Sim, todos os arcanos no fundo retratarão certos TIPOS de conflitos. Mas o significado que estou dando aqui, agora, para CONFLITOS, diz respeito às OPOSIÇÕES e DIVERGÊNCIAS dentro de um relacionamento (parceria, sociedade, etc). 
E os três Arcanos que mais mostram a importância desses AJUSTES na interação com o OUTRO são:
  • ENAMORADO
  • JUSTIÇA
  • TEMPERANÇA

Porém, pelo feedback que tenho recebido de alguns clientes que encomendam comigo a consulta via internet de Tarot, mais especificamente o Templo de Afrodite para ver a dinâmica da relação deles com paqueras, namorados, maridos, amantes, etc., tive uma percepção mais detalhada de algo bacana. E isso se comprovou com minhas experiências com o PAR DE ARCANOS DO DIA. 

Vi claramente que ENAMORADO e JUSTIÇA revelarão a IMPORTÂNCIA de um CONFLITO ser resolvido na base do DIÁLOGO, da CONVERSA, do ACORDO com uma outra pessoa. São ajustes EXTERNOS que precisam ser feitos.
Já a Temperança não. A TEMPERANÇA vem mostrar que o que precisa ser AJUSTADO é o conflito INTERNO. Não tem tanta desarmonia com o outro. Se tiver, é por conta de uma DESARMONIA INTERNA. Por exemplo, a dúvida se expresso uma insatisfação ou não para a outra pessoa. E não precisa explicitar essa dúvida para o outro. Ela poderá muito bem ser resolvida INTERNAMENTE, dentro de um processo de auto-análise. 
Agora vou ficar mais atento quando A TEMPERANÇA surgir para os próximos TEMPLOS DE AFRODITE que jogar. E também quando ela aparecer em meus próprios jogos de Tarot, tal como o Arcano do Dia. 
Falarei para o consulente e para mim mesmo que precisamos ter um olhar mais voltado para o que em nós está CONFLITANTE em relação ao OUTRO. E o que podemos fazer para compreender e resolver essa divergência INTERNA. Assim, fazendo esse ajuste INTERNO, naturalmente adotaremos uma postura mais serena, tranquila e compreensiva em relação ao OUTRO. 
Beijãozão nocês…
Yub

A Temperança e o ajuste no tempo

Sabe aquelas duas taças na mão do Anjo da Temperança? E sabe o que pode acontecer com o líquido contido em cada uma delas?
Quando uma taça está cheia, quase transbordando, derrama-se o líquido na outra quando esta está quase vazia. E vice-versa. Fica nesse movimento constante de ajustar o líquido das taças para que haja um equilíbrio no volume de ambas.
E o que isso quer dizer em termos práticos no nosso dia-a-dia quando A Temperaça sai em nosso jogo de Tarot?
Quer dizer que, às vezes, precisamos correr. Às vezes, precisamos esperar. E a corrida (ou atraso) e a espera (antecipação) são movimentos que visam ajustar o nosso tempo cotidiano para estar em sincronia com o tempo maior: o tempo certo e apropriado para que cada coisa aconteça.
Vivi isso na 6a.feira, quando saí com o Arcano 14 como Arcano do Dia.
Resolvi pela manhã algumas burocracias de uma forma fluida, terminando cada tarefa no momento certo para iniciar outra. Até que, em determinado momento, precisei correr para pegar o ônibus que me levaria a um compromisso. Corri, peguei e cheguei no exato instante onde precisava estar em determinado momento.
Essa vivênvia me fez perceber que o significado costumeiro de PACIÊNCIA e MOROSIDADE para a Temperança não é tão apropriado assim para esse Arcano. Isso tende a ocorrer quando não estamos em harmonia com o momento presente. Aí acabamos ansiosamente acelerando o ritmo dos eventos e, com isso, nos desarmonizando com o mesmo.
Mas quando buscamos estar em harmonia com o ritmo e o tempo das coisas, ora somos levados a correr, ora a esperar e, nesse movimento de ajustamento, buscar essa integração com o tempo maior: aquele que une o tempo interno e o tempo externo.
É bem bacana perceber esses detalhes na Temperança. E estar mais consciente deles quando essa Carta aparece no nosso jogo de Tarot.
Beijãozão nocês e uma EXCELENTE semana…
Yub

A Temperança e o tempo certo das coisas…

Cada dia que saio com a Temperança como o Arcano do Dia, mais eu percebo o quanto ela não representa A PRIORI demoras, atrasos, etc.

Ela demanda um ritmo interno de moderação e equilíbrio. É difícil pra caramba estar nesse estado de espírito. Mas quando conseguimos, puxa, a gente vive um dia em que as coisas vão se encaixando harmoniosamente e nos proporcionando oportunidades para realizar aquilo que planejamos de um modo muito tranquilo.

Eu creio que o mais importante na Temperança é vencer a ansiedade, a pressa. Se conseguimos, seja através da meditação, de se seguir a intuição, de estar aberto às oportunidades, etc., a vida deste dia flui maravilhosamente.

É como se um dia com o colorido da Temperança demandasse de nós uma atitude “tai chi chuan” de seguir o fluxo e fluir com este.

Beijãozão nocês…
Yub

A Temperança: desfrutar a vida repleta de conflitos e problemas!

Geralmente, quando sonhamos com dois elementos (objetos, pessoas, etc) semelhantes, isso é indício de que estamos vivendo uma fase de conflito evidente em alguma área de sua vida. Os detalhes do sonho, contexto, dinâmica dos personagens oníricos, mostrarão em que área e outras preciosidades desse conflito.
O 2 é a divisão. Há um lado. Há outro. Eles aparentemente se divergem. E buscam a completude, a resolução dessa separação, dessa divergência. E para resolvermos essas pendências, diferenças e atritos, é fundamental termos paciência. Encarar os conflitos com naturalidade. Fazem parte da vida.
E também precisamos da paciência para esperar o momento certo/apropriado que nos mostrará as oportunidades e ferramentas para estabelecermos uma união/complementação e AJUSTE nesse conflito.
Quando nós aprendemos a desfrutar desses impasses e atritos, ou seja, sem a pressa, a impaciência e a imposição da vontade para resolvermos na marra o que está desarmonioso, isso nos permite estar em harmonia com o ritmo do tempo que envolve tal situação/relação conflitante.
Tudo isso diz respeito à Temperança. Ela é aquela que tem a sabedoria de aguardar o tempo certo de ajustar certas divergências. Enquanto isso, vai desfrutando de cada situação, com uma paciência típica de quem conhece os ciclos da vida. E não precipita a resolução dos problemas e dos atritos.
A Temperança sabe que quando forçamos a barra em algo, mais resistência geramos no processo de maturação existencial e na reação das pessoas com as quais estamos divergindo. Não precipitar, eis o lema da Temperança.
Ironicamente, quando tal Arcano sai, é justamente quando sentimos aquele bichinho incômodo da pressa, da impaciência. Porque queremos logo ficar livres da angústia do conflito, da falta de solução e resolução de um problema.
E a vida sempre tem problemas. Sempre há conflitos. Não adianta estressarmos querendo resolver logo um impasse achando que depois disso voltaremos à tranquilidade, à paz. Não existe paz estática. A paz é dinâmica, uma conquista diária de superação de conflitos – internos e externos.
Eis o que A Temperança nos ensina. A desfrutar da vida, sabendo encarar com naturalidade os problemas, as divergências, as oposições e os atritos. Tudo tem seu tempo. Não adianta apressar o rio, ele corre sozinho.
Beijãozão nocês…
Yub

A Temperança: a necessidade da harmonia interior

Perceba no desenho que o anjo da carta Temperança está misturando dois líquidos. A mão direita segura uma taça e a esquerda outra. Cada uma tem em si um líquido. Em alguns Tarots, há dois rios que se encontram e fluem em união.
Eis, simbolicamente, a grande necessidade representada pela Temperança: de unir. Só que muitas vezes consideramos que essa união é EXTERNA. A resolução diplomática e estratégica de determinados conflitos, por exemplo.
Porém, os conflitos externos são reflexões das dicotomias internas. Somos seres duais, conflitantes internamente. Pensamos algo e dizemos outra coisa. Desejamos duas coisas diferentes ao mesmo tempo. Não sabemos o que almejamos, porque nossa razão nos mostra algo e nosso coração outra.
Assim, quando A Temperança surge no Tarot, isso é indício de que há divergências internas que precisam ser conscientizadas. O conflito interior demanda resolução. Porque senão poderá ser projetado externamente e gerar conflitos com outras pessoas.
A Temperança me lembra bem a arte de cozinhar. É a tarefa de misturar substâncias heterogêneas e, ao uni-las, gerar uma alquimia que cria uma nova substância – fruto desse encontro entre o divergente.
Então, saibamos misturar os ingredientes internos do pensamento, do sentimento, do querer, unindo-os de modo a gerar uma substância psíquica, emocional, física e mental mais harmoniosa quando a Temperança surgir em nosso jogo de Tarot.
Beijãozão nocês…
Yub

Enamorado e Temperança: os conciliadores!

Parece que com Saturno em Libra, a responsabilidade de atuar como conciliador está mais presente na sociedade como um todo. Ou não sei se é só comigo… ainda mais que estou com esse trânsito em minha Casa – a das parcerias. Ou se porque vivi o Mês Pessoal 2 neste mês de Janeiro. E o 2 simboliza a arte de conciliar.
Em Março, observarei se continuo saindo com O Enamorado e A Temperança como Arcanos do Dia de forma bastante repetitiva conforme ocorreu neste mês de Janeiro. 
Essas duas cartas, pelo que tenho observado, são as que melhor descrevem o estilo diplomático de ser. Em dias que estou com ou outro desses Arcanos em vigência, é impressionante como estou bem conciliador. A oportunidade de unir pessoas ou metas comuns entre duas ou mais pessoas se faz bem atuante no meu dia.
A diferença é que quando O Enamorado é o “diplomático da vez”, há uma maior dúvida e receio de gerar conflitos ao atuar como conciliador. E demanda-se uma conciliação mais externa.
Já quando A Temperança tá na área como Arcano do Dia, há uma maior impaciência para agir como diplomático. A irritação e vontade de brigar, de soltar o verbo de forma mais agressiva, por exemplo, estão preponderando. E demanda-se uma conciliação mais interna.
De todo modo, Enamorado e Temperança representam bem essa postura conciliadora. As situações diárias nos exigem mais a expressão dessa diplomacia quando um ou outro é o Arcano do Dia.
Beijãozão nocês….
Yub