Como Persistir E Quando Desistir De Nossos Sonhos? O Tarot mostra!

Imperador

Joguei o Tarot para mim mesmo no início do ano para uma questão associada a um profundo desejo que eu vinha nutrindo há alguns anos. Querendo saber se neste 2014 eu conseguiria realiza-lo.

Porque eu já estava cansado de busca-lo. Já considerava como uma baita ilusão. Encontrava-me desanimado e disposto a desistir de continuar tentando.

Saiu o par IMPERADOR / 8 DE COPAS na Casa 1 do Péladan.

Recentemente, uma aluna nova do curso de tarot via internet (que já é minha cliente há mais tempo), muito perceptiva e com belas sacadas tarológicas, fez um jogo em que tirou esse mesmo par, o qual retratava seu relacionamento amoroso.

Ela vem desejando retornar a relação com um ex-namorado. Não consegue se abrir para outras pessoas, mesmo diante de tantos impedimentos com este que sonha viver (e também cansada de tanto bater nessa mesma tecla).

Pude, então, compartilhar com ela o que agora aprofundo nesta reflexão a respeito da arte de conquistar o que se quer (Imperador) ao se desistir do que tanto sonha e idealiza (8 de Copas).

Parece contraditório, né? Como isso acontece? Qual prevalece? O Arcano Maior ganha do Menor? Ou ambos atuam em conjunto?

8 de Copas como Arcano do Dia? Prepare-se para desistir de algo…

Tem um tempo que fico impressionado com os dias em que o 8 de Copas sai pra mim. Ele – simbolicamente – é considerado o arcano do Abandono.

E o que é o abandono senão a desistência de algo? Ao desistir de algo, você o está abandonando…

O detalhe é que essa desistência trabalha algo mais profundo em nós. O desapego. O sair do controle. Você desiste de algo. E para isso acontecer, você tem que abandonar a postura controladora, de sonhar que as coisas sejam sempre perfeitas e terminem do jeito que você idealizou.

Ontem, por exemplo, quando gravei a ENTREVISTA com a Astróloga Daniela Scheifler, para o novo PODCAST de Astrologia no blog de astro, passei por isso.

Ao terminar a prosa, ao invés de eu interromper a ligação, finalizando-a no skype, eu me desconectei do skype.

A questão é que o Skype Recorder – programa que uso para gravar essas prosas – só desliga quando há um STOP na ligação. Percebi isso ontem, quando fui abrir o arquivo de áudio da entrevista logo ao desconectar o skype.

Ao fazer isso, clicando no arquivo, dava uma mensagem que ele ainda estava aberto. Tentei abrir o skype recorder. E também não dava certo.

Porém, já tinha dito para minha esposa que eu já estava saindo para pega-la, já que a deixei com minha filha e chegara o horário de busca-las.

E a angústia da gravação ter sido perdida?? Do programa ter dado pau e eu perder a espontaneidade da conversa ao propor para a Dani uma outra entrevista?? Eu tinha de reiniciar o computador antes de sair…

Fiz isso. Eu precisava ver se o arquivo estava lá, se o áudio estava beleza, se não tinha perdido tudo… Eu precisava ver que estava tudo perfeito. Eis o controle do 8 de Copas.

Porém, o que acontece? Parece que a pressa em abrir logo o programa, reiniciar o computador, etc. só atrapalhou. rsrs Porque fui clicando nos programas antes do windows ter reiniciado por completo. E só atrasou, deu pau.

Não tinha como. Eu não poderia mais ficar esperando o computador abrir e eu achar o arquivo. Tive de abandonar não apenas as atividades aqui, mas o meu controle de estar tudo bem antes de poder sair.

Fui. E no ir, tive de trabalhar o desapego. Senão eu bateria no trânsito, pois minha mente estaria dispersa, focada na possibilidade de ter perdido o arquivo…

Peguei minhas esposa e minha filha e voltamos para casa. Ao chegar aqui, passei bons momentos de angústia, viu? rsrs Porque não achava o arquivo nem a pau. Até falei com a Dani, perguntando se ela tinha gravado nossa prosa. Afinal, ela grava as consultas virtuais com seus clientes de astrologia. Ela provavelmente teria gravado nossa prosa também.

Mas aí eu pensei. O que é a pior coisa que pode acontecer? Eu ter de fazer uma nova entrevista com a Dani. Então, pronto. Relaxei. Abandonei o controle de tudo ser perfeito e não ter um percalço sequer. A vida não é assim. E a ilusão do naipe de Copas não quer admitir que a vida é cheia de imperfeições, obstáculos, erros, etc.

Ralei um pouquinho até conseguir achar o arquivo no Windows explorer e abri-lo. Estava lá, bonitinho. A gravação tinha sido feita e arquivada. UFA! 😀

Eis o 8 de Copas: a desistência e o abandono, mais do que de alguma coisa ou pessoa, mas do controle sobre tudo e todos, para que a vida seja perfeita, sem nenhum percalço…

Beijãozão nocês…
Yub

8 de Copas: O abandono de algo ou do modo de realizá-lo?

Sabe aqueles quadros de “funcionário do mês” que costumamos ver em empresas como McDonald’s quando vamos comprar um lanche? Pois é… Às vezes, algumas Cartas se destacam em nossa prática com o Tarot. Alunos diferentes fazendo questionamentos semelhantes sobre  um mesmo Arcano. Clientes trazendo questões diferentes, mas apresentando determinados Arcanos comuns que preponderam nesses jogos. Um mesmo Arcano saindo como Carta do Dia diversas vezes numa semana ou num mês. Um Arcano que se repete em mais de um Mandala, numa mesma Casa ou numa das Casas de mesmo Elemento (como na Casa 2 num Mandala, na Casa 6 no próximo Mandala).
Quando esse destaque de um Arcano ocorre, eu gosto de buscar me aprofundar nos significados dele. É o que venho me dedicando no que diz respeito ao OITO DE COPAS. 
Como pode notar no desenho da Carta (do baralho de Rider-Waite), uma pessoa se afasta, deixando para trás uma bem ordenada fileira de taças. Mas há uma brecha na disposição dessas taças. Há um vão. Parece que falta uma taça para preencher esse espaço vazio. E acima a Lua se coloca diante do Sol, encobrindo-o.
Um dos atributos mais propagados no meio tarológico a respeito do 8 de Copas é o ABANDONO. Uma cliente minha está com o 8 de Copas na Casa 6 – a área do trabalho. Ela está abandonando (8 de Copas) um trabalho (Casa 6). Este não a satisfaz mais. Ela trabalhava no ramo de informática e sempre sonhou em fazer psicologia. Ou seja, quer trabalhar com algo que realmente se sinta apaixonada, envolvida e satisfeita (naipe de Copas). Terá um longo caminho pela frente, de reconstrução profissional. 
Há um outro ponto que tem se apresentado a respeito do 8 de Copas. Você sabe o que tem me chamado a atenção no funcionário de destaque do mês, ops, no Arcano que está em evidência em minha prática tarológica atualmente? Que o 8 de Copas pode ser NÃO o ABANDONO DE ALGO, mas, sim, o ABANDONO da ***FORMA*** como vinha se dedicando à realização de algo. 
Vai demorar para reconstruir esse caminho? Sim, vai! Mas o sonho não é abandonado. Percebe-se facetas ilusórias sobre o modo como se desejava realizá-lo e as abandona. Tudo em prol de uma nova maneira de realizar o que tanto almeja. Eis uma faceta do 8 de Copas que tem se mostrado em minha experiência com o Tarot. 
Então, acho louvável – e ponderado – dizer para determinado cliente que, quando o 8 de Copas está dando o ar de sua graça em seu jogo de tarot, não quer dizer que é para ele abandonar tal sonho, tal desejo. Ajude-o a identificar se ele não está se iludindo quanto a uma realização mágica de que sonha. E o que pode abandonar de hábitos ilusórios, a fim de reconstruir uma nova postura quanto a ir em busca do que tanto almeja. 
Beijãozão nocês…
Yub