Reflexões sobre as discordâncias dos Signos de Gêmeos, Libra e Aquário

Signos de Ar

Você já reparou quando conversa com um Libra, um Aquário ou um Gêmeos? Já reparou no quanto esses Signos gostam de DISCORDAR??

Eu lembro da época em que cursei Filosofia na PUC/MG (de 1996 a 1999). Voltávamos uns 10-15 alunos no mesmo ônibus: o antigo 4001 (que virou 4111 aqui em BH).

Hora reunia dois sentados e mais dois no banco de trás e dois no da frente. Juntava com quem estava em pé ao lado das duplas. E  a prosa corria solta.

Uma das coisas mais engraçadas que tinha era a seguinte situação.

Um começava a defender uma ideia. Naturalmente, o outro discordava. No meio do trajeto, sem nem perceber, o primeiro estava defendendo a ideia do segundo e este passava a argumentar a favor do que era inicialmente contra. A dialética era tão forte que rolava quase que instintivamente essa dinâmica. Era hilário!!! Quando percebíamos essa mudança de ponto de vista, ríamos até!!

Daí passei a reparar melhor no nível de discordância de cada Signo de Ar: Gêmeos, Libra e Aquário.

Sabe o que percebi?

O Signo de Aquário, o Elemento Ar e a Saúde no Mapa Astral

Signo de Aquário

 

Ontem tive uma experiência com minha filha Sophia (uma aquariana). Já havia experimentado essa estratégia astrológica algumas vezes nestes dois anos de vida dela. E reforçou a eficácia dessa ação.

Os signos do Elemento Ar são: GÊMEOS, LIBRA e AQUÁRIO. Aquário é o “vento que traz novos tempos.”, como escreve meu amigo João Acuio: http://saturnalia.com.br/tag/aquario-2/

Ontem Sophia estava bastante irritada (tudo bem que os trânsitos dessa quarta-feira ativavam aspectos bem desafiantes dos dias de hoje para todos nós: Marte em Libra, Vênus retrógrado em Capricórnio, Urano em Áries, Plutão em Capricórnio, Júpiter em Câncer). Ela estava implicando demais com suas duas primas, as quais ela ADORA!

Quando minha filha fica com esse estado de espírito alterado, eu, obviamente, tento conversar, dar carinho, mostrar compreensão. Porém, nada disso estava adiantando. Então, me lembrei de outras vezes que ela encontrava-se fora de seu estado natural de ser. E o que havia feito.

Chamei Sophia e minhas sobrinhas para dar uma volta. Íamos sair na rua, à pé. O objetivo? Tomar um AR. Sentir a liberdade de movimentar. Receber a brisa e o vento em nossos rostos.

O que aconteceu?