Ebook sobre SATURNO finalizado!!!

Saturno

 

YESSS!!! Terminei agora o meu primeiro EBOOK!!! Chama-se:

*** SATURNO: QUAIS SEUS MAIORES MEDOS E COMO SUPERA-LOS PARA REALIZAR OS SEUS GRANDES SONHOS (105 páginas!!) ***

Obs.: eu farei algo diferente com ele. Farei uma parceria com quem quiser!! Pois se você topar, ao vendê-lo a seus contatos (tal como colocando em seu site),  ganhará uma comissão de 50%!!! Se ele custar R$60,00, por exemplo, você receberá R$30,00 por venda. Vamos supor que venda para 10 pessoas em cada mês, receberá R$300,00 de comissão. 😉

No final de Maio ou início de Junho, começarei a vendê-lo aqui no site. Manterei vocês informados! 

Agora é ter foco para finalizar o segundo ebook: ASTROLOGIA PARA TODOS (em fase de edição: cortes, cortes e mais cortes)

Beijãozão nocês…
Yub 

Reflexões sobre Saturno em Escorpião: a responsabilidade de quebrar tabus

escorpião

Saturno vem transitando pelo “famigerado” Signo de Escorpião. Você já deve saber o quanto Escorpião é considerado o “coisa ruim” da Astrologia, não é mesmo?

Não por acaso ele rege tudo aquilo que degrada a sociedade: dinheiro, sexo, poder, violência e manipulação psicológica.

Ou seja, o que é considerado ruim, feio, fedorento, negro e tabu é atribuído a Escorpião. Por isso a Casa 8 (seu domicílio zodiacal) era tão detonada pela Astrologia Antiga. Não se via pelos antigos um pingo de qualidade positiva neste local. Ali se joga todos os detritos, todas as merdas da natureza humana. Escorpião e a Casa 8 = sombra (aquele lado que fazemos de tudo para ignorar, negar, fugir, mas que habita nosso ser mais íntimo; e, pasmem, nos comanda… rsrs).

O detalhe é que Saturno traz tudo à tona. Escancara tudo na prática da realidade do dia-a-dia, nua e cruamente. Ou cruelmente… rsrs

Não por acaso estamos diante de acontecimentos (pessoais, sociais e coletivos) que têm nos assombrado… Cada situação mais sinistra que a outra (tal como prender uma pessoa em um poste e degradá-la ali mesmo).

Não creio que a quadratura Urano em Áries e Plutão em Capricórnio mereça a autoria zodiacal de todas essas atrocidades e insanidades que nossa raça humana vem estampando. Talvez essa quadratura tenha um peso mais sombrio JUSTAMENTE porque Saturno (regente de Capricórnio, o qual faz parte dessa quadratura) se encontra em Escorpião… Mas isso é assunto técnico e não vale a pena gastar muito tempo com isso.

O importante é saber que até o fim de 2014, Saturno estará por Escorpião. Ali ele retornará entre JUNHO e SETEMBRO de 2015.

E é aí que entram algumas percepções e reflexões que tenho atingido.

Quer ler? Então, vem comigo!

Matthew McConaughey e o trânsito de Saturno em Escorpião sobre quem é de Escorpião

Você já assistiu “Clube de compras Dallas”?

Fiquei impressionado INICIALMENTE com a aparência de Matthew McConaughey. Sim, este fortão aqui:

Matthew Antes

 

Veja como ele ficou no papel do portador de HIV Ron Woodroof:

Matthew Depois

 

Como a vida imita a arte, logo pensei: Isso é efeito de SATURNO em algum trânsito forte na vida de Matthew McConaughey!

Dito e feito! Veja o MAPA NATAL do ator:

O Trânsito de Saturno sobre a geração Urano em Escorpião (quem nasceu 1974-1981)

Geração Urano em Escorpião

Hoje acordei – sabe-se lá por que – com a vontade de escrever sobre as pessoas que têm URANO EM ESCORPIÃO. Ainda mais que o trânsito de Saturno por Escorpião tem mexido de forma bem impactante com elas – as que nasceram de SETEMBRO de 1975 a NOVEMBRO de 1981 (bem como de OUTUBRO de 1974 até ABRIL de 1975).

Saturno é um cara interessante… Ele pede a vivência na prática (sim, na realidade do mundo material, cotidiano) do que quer que ele toque no Mapa Natal. E, atualmente, a experiência efetiva e objetiva de Saturno sobre URANO EM ESCORPIÃO para essa geração citada acima.

E o que isso de fato representa na vida dessas pessoas?

Trabalhando nossas feridas no trabalho. Eis Saturno

Fico impressionado com o quanto o Signo e a Casa Astrológica (bem como os aspectos) envolvendo o Saturno presente em nosso Mapa Natal estão diretamente sendo vividos em nosso trabalho.
Saturno é visto explicitamente na nossa escolha profissional. 
Por exemplo: Machado de Assis, Jorge Amado e Nelson Rodrigues têm Saturno em Gêmeos. Gêmeos é o comunicador. Simboliza aquele que tem habilidade para usar as palavras de forma atraente. E todos eles são escritores. Ou seja, trabalharam (Saturno) notoriamente com a comunicação (Gêmeos).
A questão é que eu fiquei me perguntando o porquê de Saturno ser vivenciado em nosso trabalho.

Por quê?

Um dos atributos de Saturno diz respeito à ferida de nossos pais e/ou avós. Ele tende a indicar uma frustração paterna ou materna. Pode mostrar uma ambição que nossos pais ou avós tinham. E não conseguiram realizar. 
Essa herança vem parar em nosso colo. Bem, falando de Saturno, podemos dizer que vem pesar sobre nossas costas. rsrs É o peso que temos de carregar. É nossa cruz. Vê o símbolo de Saturno neste post? Identifica a cruz ali presente? 
Pois é… Mas será que precisa ser um peso? Será que precisa ser um fardo, uma cruz nesse sentido?
Depende… De quem? De cada portador de Saturno… Ou seja, de cada um de nós.
Reparo o quanto Saturno pode indicar uma ambição nossa que, inicialmente, é uma compensação para uma ferida paterna. Como se tivéssemos de resgatar um sofrimento vivido por nossos pais ou avós. Redimir a dor dessa figura parental. 
O problema é que se a gente entra nessa, a gente vai viver Saturno de um modo muito opressor, repressor. Isto é, com um elevado teor de DEVER, de OBRIGAÇÃO. E aí que tudo pode travar mesmo. 
Alguém com Saturno em Libra pode se forçar a ter um relacionamento justo, harmonioso e bacana com a pessoa parceira, tal como seus pais tiveram. Sim, Saturno pode representar algo que os pais ou avós realizaram de forma belíssima!! E daí fica aquela sensação de frustração por ser difícil vivenciar no nível de qualidade que nossos pais e avós viveram no passado. É como um filho que segue a mesma carreira do pai ou da mãe e tem sobre si a sombra do sucesso do pai ou da mãe sendo um obstáculo à sua trajetória profissional.
Então, o DEVER e a OBRIGAÇÃO estarão presentes do mesmo jeito: quer os pais tenham realizado essa ambição saturnina ou não. Sempre poderá ser visto como um peso sobre nossas costas. 
Se enxergarmos que precisamos vivenciar Saturno para termos uma baita sensação de AUTORREALIZAÇÃO e não para redimir uma culpa paterna ou uma obrigação a vivenciar tão competentemente quanto pais e avós fizeram, isso ajuda pra caramba. É libertador. 
A pessoa que tem Saturno em Sagitário, por exemplo, não será professor porque os pais ou avós foram. Não buscará a carreira acadêmica ou jurídica apenas para agradar ao pai ou ao avô – que pode ter sido um grande juiz ou advogado. Irá porque perceberá o quanto ambiciona conhecer as leis que regem a conduta humana. E o quanto tem o dom de ensinar, de transmitir seu saber, de aplicar a lei. 
De todo modo, para curar a ferida herdada dos pais ou avós pela frustração saturnina ou para atingir no mínimo o mesmo nível de eficiência e produtividade saturnina que eles, essa experiência estará atrelada ao campo profissional. Ali treinaremos, praticaremos e aperfeiçoaremos a expressão de nosso Saturno Natal – diariamente.
Esse processo é uma constante alquimia até nos tornarmos mestres na expressão de nossos dons saturninos. E é muito mais prazeroso quando vivido com a ambição de alcançarmos uma bela sensação de AUTORREALIZAÇÃO – por termos enfrentado nossos medos e limitações. E por termos gradualmente atingido uma competência ímpar…
Beijãozão nocês…
Yub

Saturno: que tipo de inveja você tem? Você sente inveja de quem?

Tenho observado o quanto Saturno (em que Signo e Casa ele está; e com qual planeta ele forma um aspecto astrológico) representa o tipo de inveja que tendemos a sentir. 
E tenho me perguntado por quê? 
Como Saturno representa algo muito importante para nós, queremos ser respeitados pela expressão dos talentos associados a ele em nosso Mapa Natal. E como tendemos a sentir um certo desconforto e dificuldade na expressão do mesmo, nos inclinamos a ter inveja de quem expressa essas características que ambicionamos dominar. 
Sendo assim…
Quem tem Saturno em Áries (ou na Casa 1 ou em Aspecto com Marte) tende a sentir inveja de quem é corajoso, independente, pioneiro. Tem inveja de quem enfrenta a vida sem tantas defesas, desconfianças e bloqueios autorrepressores. 
Quem tem Saturno em Touro (ou na Casa 2 ou em Aspecto com Vênus) tende a sentir inveja de quem tem muita grana, trabalha por prazer sem ralar tanto. Tem inveja de quem é belo, de quem é bonito, de quem tem um corpo lindo. Tem inveja de quem tem segurança profissional, estabilidade financeira e muitas posses e bens materiais.
Quem tem Saturno em Gêmeos (ou na Casa 3 ou em Aspecto com Mercúrio) tende a sentir inveja de quem é inteligente, de quem sabe se comunicar bem, de quem é sociável e sabe se comportar levemente nos intercâmbios sociais e intelectuais. Sente inveja de quem tem muitos conhecimentos, sabe conversar sobre qualquer assunto e tem habilidade tanto para escrever quanto para falar. Tem inveja de quem lê bastante, estuda muito e compartilha várias informações.
Quem tem Saturno em Câncer (ou na Casa 4 ou em Aspecto com a Lua) tende a sentir inveja de quem tem família, de quem tem um vínculo nutritivo com a mãe e as mulheres. Sente inveja de quem tem é um amparo para os familiares, de quem tem casa própria, de quem lida bem com as emoções (tem maturidade emocional) e sabe expressar seu lado yin: protetor, cuidadoso, sensível e imaginativo.
Quem tem Saturno em Leão (ou na Casa 5 ou em Aspecto com o Sol) tende a sentir inveja de quem tem filhos ou lida de forma espontânea, natural e lúdica com as crianças. Sente inveja de quem é artista, criativo, autoconfiante e naturalmente expressivo. Sente inveja de quem vive a vida com alegria, desfrutando prazerosamente de cada situação ou conquista. Sente inveja de quem sabe se expor com naturalidade e ocupar facilmente uma posição de destaque, brilhando ou liderando. 
Quem tem Saturno em Virgem (ou na Casa 6 ou em Aspecto com Mercúrio) tende a sentir inveja de quem tem saúde, de que não tem doença crônica. Sente inveja de quem é organizado, limpo e cuida bem do corpo, tendo uma integração corpo-mente-espírito! Sente inveja de quem é prestativo, produtivo, útil e é competente e respeitado profissionalmente. 
Quem tem Saturno em Libra (ou na Casa 7 ou em Aspecto com Vênus) tende a sentir inveja de quem é casado, de quem tem um relacionamento maduro, de quem sabe tanto dar quanto receber afeto. Sente inveja de quem tem senso artístico, de quem sabe ser diplomático, conciliador e sociável. Sente inveja de quem tem uma vida social prazerosa, é popular e encantador. Sente inveja de quem sabe ver o outro lado e ser justo. 
Quem tem Saturno em Escorpião (ou na Casa 8 ou em Aspecto com Plutão) tende a sentir inveja de quem é profundo, maduro emocionalmente e corajoso no processo de aceitar seu lado sombra (o nosso lado B). Sente inveja de quem mergulha em suas intenções e em seus medos. Sente inveja de quem tem o poder de renascer mais forte das crises. Sente inveja de quem tem o poder emocional, sexual e financeiro. Sente inveja de quem é um agente catalisador de mudanças na vida das outras pessoas. 
Quem tem Saturno em Sagitário (ou na Casa 9 ou em Aspecto com Júpiter) tende a sentir inveja de quem tem curso universitário, tem fé, é viajado, faz sucesso no estrangeiro ou tem um reconhecimento no exterior. Tem inveja de quem sabe falar várias línguas, é professor, domina as leis e conhece várias culturas. Tem inveja de quem sabe expandir seus horizontes, busca novas experiências. Sente inveja de quem encontrou um propósito, um sentido maior na vida. Sente inveja de quem é sábio e transmite com didática o seu saber.
Quem tem Saturno em Capricórnio (ou na Casa 10) tende a sentir inveja de quem é respeitado profissionalmente, tem sucesso, fama e reconhecimento. Sente inveja de quem tem poder ou influência social. Sente inveja de quem ocupa um cargo de autoridade e sabe lidar com as responsabilidades pessoais e profissionais de forma madura. Sente inveja de quem tem a capacidade de realizar metas ambiciosas, concretizando planos com organização e habilidades executivas.
Quem tem Saturno em Aquário (ou na Casa 11 ou em Aspecto com Urano) tende a sentir inveja de quem tem muitos amigos, é popular, ocupa uma posição de influência em algum movimento social. Sente inveja de quem tem um papel de destaque na sociedade ou de quem criou um sistema original e útil para a sociedade. Sente inveja dos inovadores, das pessoas originais ou de líderes de algum grupo ou ideal social. Sente inveja daqueles que têm projetos futuros de cunho humanitário. 
Quem tem Saturno em Peixes (ou na Casa 12 ou em Aspecto com Netuno) tende a sentir inveja de quem tem imaginação, de quem tem fé, de quem sabe lidar com os sonhos, com o reino psíquico, com as emoções de forma natural, sábia e madura. Sente inveja de quem ajuda as pessoas, de quem se doa para os outros e oferece um amparo para os sofredores e mais carentes. Sente inveja de quem é artista ou é sensível. Tem inveja de quem sabe ser humilde e receptivo ao Fluxo dos Acontecimentos. Sente inveja de quem sabe meditar ou entrar de alguma forma em sintonia com Deus/Vida/Espiritualidade. Sente inveja dos médiuns.
Beijãozão nocês…
Yub 

Saturno: a realização de suas ambições ou de seus pais??

Já é difícil desenvolver bem o talento saturnino. E aí, quando conseguimos e estamos expressando de forma bacana nosso Saturno, vem a vida e nos mostra uma verdade tão dura e crua quanto saturno…

Esses talentos do Signo/Casa/Planeta em Aspecto com Saturno que estamos desenvolvendo não é uma real ambição nossa. É “culpa” de uma frustração de nosso pai ou de nossa mãe – ou de ambos ou de nossos avós (Saturno é os pais/avós). São as figuras de autoridade que colocam (ou não) a lei (do superego /certo ou errado) em nossa mente. Saturno representa a base, a estrutura de nossa vida (= a família/pais).

Tenho percebido certas ambições me moverem no que tange à escrita (e comunicação) que são, no fundo, uma tentativa de compensar uma frustração paterna e/ou materna. Tenho Saturno Retrógrado em Gêmeos na Casa 3 em oposição a Mercúrio.

Quando me deparei com essa percepção na terapia, eu me lembrei de algumas pessoas conhecidas (parentes, amigos, clientes, alunos, pessoas famosas/celebridades) e o Saturno de cada uma.

Enxerguei determinadas pessoas com Saturno na Casa 10, por exemplo, buscando – ou abominando – uma posição de poder e de autoridade (Casa 10) por causa da frustração (Saturno) da mãe e do pai (Saturno) de não terem conseguido um papel de maior respeitabilidade e reconhecimento social (Casa 10).

Vi outras que têm Saturno em Leão ou na Casa 5 com a ambição (Saturno) de terem filhos ou de desenvolver um talento criativo (tal como tocar um instrumento musical) porque o pai ou a mãe não puderem se dedicar tanto aos filhos ou por terem reprimido um dom artístico.

Herdamos as frustrações de nossos pais. E geralmente tendemos a ir ao extremo oposto daquilo que eles viveram.

Por exemplo: o pai foi um grande bosta, passivo, apático e inseguro. O filho aparenta ser um monstro de autoconfiança, autoridade e dinamismo. Sim, quem disse que ele tem Saturno na Casa 1, acertou. Ou o oposto. O pai foi um dínamo de energia, ousado, corajoso e assumindo grandes responsabilidades em seus projetos. E a filha não arrisca, não ousa, não busca a independência, se recusa terminantemente a andar com os próprios pés/recursos pessoais. Ela tem Saturno em Áries.

Aquela pessoa que tem trocentos amigos, na verdade, conhecidos, já participou ou participa de inúmeros grupos (virtuais ou presenciais). Tem Saturno na Casa 11. E o pai foi praticamente um eremita, um antissocial, um cara que não confiava em ninguém e não tinha uma amizade sequer.

Saturno parece funcionar por compensação. E seja qual for o extremo assumido por nós, estaremos ou realizando uma ambição que, no fundo, era de nossos pais e que eles se frustraram de alguma forma (quer não realizando-a ou a realizando de forma frustrante) – ou nos recusando a vivenciar esta área saturnina, tentando nos comportar da maneira oposta à de nossos pais. Mas ambos são as duas caras de uma mesma moeda. A da herança parental nos conduzindo pela vida, nos controlando, dominando e se impondo tiranicamente sobre nós.

Então, fica o questionamento:

SATURNO: até que ponto o desenvolvimento desses dons saturninos estão a serviço nosso ou da realização de sonhos não concretizados de nossos pais? Não basta encarar os medos e desenvolver tais talentos saturninos. É preciso saber a nossa intenção de assim o fazer. Fazemos por nós ou por nossos pais, querendo agradá-los ou compensar algo que eles viveram em excesso?

Beijãozão nocês…
Yub

Saturno: primeiro o dever, depois o prazer? Neil Gaiman me ensina a escrever.

Ontem eu me dedicava a continuar escrevendo um conto de suspense. Há muito tempo não crio um para o blog de contos. Cheguei num ponto que não conseguia mais avançar. Travei. Não sabia como continuar para se chegar ao final pretendido.

Então, fui dar uma volta com a Mel (minha cachorrinha) num local aqui embaixo do prédio. Enquanto ela cheirava cada cantinho, fazia xixi mil vezes e curtia os momentos de liberdade, eu caminhava lendo o livro O MISTÉRIO DA ESTRELA, do gênio NEIL GAIMAN.

É uma estória tão despretensiosa que, quando vi, fui fisgado por ela. Em vários trechos, eu soltava altas gargalhadas em pleno pátio da garagem. E fiquei me perguntando:

– Como Neil Gaiman consegue dizer coisas tão despretensiosas de uma maneira tão mágica e fascinante? Não tem o nível de densidade psicológica, questões de magia e mistério no nível que gosto – tal como em SANDMAN -, mas não consigo parar de ler. Nunca consegui passar da página 30 de livros como este. É um livro aparentemente infantil, quase uma espécie de conto de fadas. E eu aqui, lendo essas bobagens como se fosse a coisa mais importante da minha vida.

Há escritores que escrevem livros. E há escritores que contam uma estória. Considero estes verdadeiros artistas da palavra, verdadeiros escritores. Porque o que eles escrevem parece sair de forma fluida, natural, espontânea. Quase sem um pingo de esforço.

Aí eu me questionei:

– Será que as pessoas notam leveza na minha escrita? Ou percebem o esforço hercúleo que é parir cada vírgula?

Logo associei essa reflexão com meu Saturno em Gêmeos (na Casa 3 e em oposição a Mercúrio em Sagitário).

Saturno é o peso. Gêmeos é a leveza. Saturno é o esforço. Gêmeos é o brincar com as palavras. Como são opostos… Um é o que o outro não é.

Ôh conflito danado unir Saturno e Gêmeos numa brincadeira séria de escrever…

Ao ralar para escrever um conto de suspense ontem, eu percebi o quanto preciso trabalhar minha palavra para chegar a fluir de modo tão fácil quanto parece (e sinto) aqui nos blogs de astrologia, de numerologia e de tarot.

Mas aí eu me lembro dos meus anos iniciais escrevendo nas listas do yahoogrupos e nos blogs… Nossa, era um parto também. Um esforço homérico. Como escrevo há anos nos blogs e quase que diariamente, não tinha como não virar uma escrita fluida, natural.

É isso que preciso persistir quase que diariamente – o que NÃO faço – para poder escrever meus romances policiais. E aí me pergunto:

– Será que primeiro tenho de escrever sobre temas que são como um DEVER no meu caminho de vida para só então poder escrever algo que me dá prazer? Mas é um prazer escrever sobre numerologia, astrologia, tarot, minhas experiências oníricas, existenciais, etc.

Porém, é diferente. Sinto que tenho uma responsabilidade a cumprir ao escrever sobre essas ferramentas de autoconhecimento. Um dever social que tenho. Preciso prestar este tipo de serviço primeiro. Porque assim eu ajudo muita gente.

E diminuir meu tempo de dedicação aos blogs não é visto de bom grado por mim. Quantas pessoas eu deixarei de ser útil para me dedicar a um projeto utópico e que satisfará quase que exclusivamente a mim?

Eis aí o conflito DEVER x PRAZER que eu atribuo a Saturno… Não me sinto ainda com a consciência tranquila para reduzir a prática de um tipo de escrita e aumentar o de outro. Ou será simplesmente uma baita desculpa de minha parte para não passar pelo árduo e doloroso processo de praticar um outro uso da palavra. Um outro colorido comunicativo…

Creio que seja. Porque tenho cumprido com todos os meus afazeres em termos de escrita e ainda conseguido tempo para escrever um conto. Por que não posso fazer isso para um romance policial, continuando nesse ritmo? Tem sido prazeroso. Saturno em Gêmeos quer simplesmente escrever e dominar os mais variados estilos e ferramentas no uso produtivo e eficiente das palavras…

O prazer pode acompanhar o dever. Assim o dever se tornará prazeroso e o prazer se tornará uma responsabilidade agradável de se cumprir. Talvez isso seja a vivência mais bela de Saturno… Talvez…

Beijãozão nocês…
Yub

Saturno: é a vida que nos rejeita ou somos nós que nos sentimos rejeitados?

Neste fim de semana, eu mais uma vez percebi uma dinâmica a respeito de Saturno. Compartilho a reflexão depois de descrever o evento.

Minha filha está na idade de andar apoiada pela mão até conseguir andar por conta própria. Então, não está lá muito com vontade de ser carregada por ninguém. Ela quer sentir o gosto da liberdade de caminhar por suas próprias pernas.

Neste final de semana, ela se socializou bastante, tanto no Sábado quanto no Domingo. E nesse último, ela ficou bastante tempo com duas amiguinhas daqui do prédio. Uma delas tem Saturno na Casa 5 (em Áries) e a outra tem Saturno na Casa 3 (em Touro).

A que tem Saturno na Casa 5 teve a iniciativa de aproveitar a esticada dos bracinhos da minha filha ao querer colinho e a pegou no colo. No mesmo instante, começou a chorar e quis ir para o chão novamente. Essa amiguinha dela falou:

– Acho que nenhuma criança gosta de mim e vai querer que eu a carregue.

Como eu já sabia desse Saturno na Casa 5 dela, tinha consciência de que ela já tem essa predisposição a se sentir rejeitada (Saturno) por crianças (Casa 5). Eu abaixei e falei nos olhos dela:

– Você reparou que hoje Sophia não quis ir para o colo de TODO mundo, inclusive o meu em diversas vezes? Ela não quis ir apenas no seu. Ela simplesmente quer andar.

Cada posicionamento astrológico simboliza uma expectativa de que a vida seja daquele jeito em determinada área ou em relação a certos temas.

E vamos ler os eventos do dia-a-dia sob essa ótica, sob essa lente que já trazemos conosco. Porque somos inclinados a reagir dessa forma.

Para mudar essa predisposição, ainda mais quando é negativa, tal como esta associada a Saturno, é preciso tomar consciência dessa inclinação comportamental que temos. E ver que, na grande maioria das vezes, nossa expectativa de sermos rejeitados em determinadas circunstâncias e com certos estilos de pessoas, é que acaba gerando em nós a sensação de rejeição. Nós lemos assim um evento que carrega em si algum tipo de “link” com um ponto vulnerável de nossa personalidade (no caso, Saturno).

A minha filha rejeitou um tanto de colo. Mas foi no colo de quem tinha Saturno na Casa 5 que tal rejeição tomou uma proporção maior. E não foi uma rejeição pessoal, contra essa garota, porque era com ela que minha filha mais brincava durante toda a tarde e assim continuou depois desse evento.

Mas pergunta se essa garota percebeu esse detalhe? Não… sua lente está programada para ver a rejeição (no 1% das vezes em que brincavam juntas) e ignorar as 99% de vezes em que brincavam de forma super legal…

Beijãozão nocês…
Yub

Saturno: só se vence o medo NA PRÁTICA.

 
Nesta nova turma do curso via internet sobre Saturno, o qual faço vários questionamentos interpretativos nas Aulas 01, 02 e 03, tenho recebido várias respostas a tais perguntas. Depois da aula 04 (a última do curso) é que irei prosear por email com cada aluno(a). E aí trocaremos muitas figurinhas bacanas. 
Mas já nesta etapa de receber esse belo compartilhar de cada um(a) sobre como vivem Saturno, eu comprovo o quanto esse medo saturnino só é superado NA PRÁTICA!!! Seja em que Signo Saturno estiver, em qual Casa for, esse bloqueio na expressão de tais talentos (Signo) e no lidar com as atividades dessa área (Casa Astrológica) só é superado quando vivemos diretamente situações práticas que demandam a vivência desses dons saturninos. 
Um exemplo: tenho Saturno na Casa 3. Custei a tirar a carteira. Porque não gostava de dirigir. Nunca tive essa atração por carros com meus primos e amigos tinham. Não aprendi a dirigir cedo como eles. Nasci em 72 e fui conseguir minha habilitação em 2008. 
E há uns três meses, meus pais passaram aqui em casa. Tínhamos combinado de eu, a Cris e a Sophia irmos no carro até o aniversário que os dois iriam e, depois, o carro ficaria conosco no final de semana. Meu pai já passou a chave para mim logo de cara. Eu dirigiria o carro dele com ELE ali ao lado. 
Desde 2008, isso só acontecia na noite de Natal, em que meu pai chapava o melão e eu – como não bebo – dirigia o carro, deixava ele e minha mãe em casa e ia com o carro dele para minha casa. Porém, neste ano de 2012, fui obrigado a passar por essa experiência de dirigir com mei pai ao lado. Isso pode ser desconfortável para qualquer um, imagine para alguém que tem Saturno na Casa 3… 
Então, pelo fato dele ter feito uma cirurgia que não lhe autorizava a dirigir após a mesma, pois precisava ficar quase um mês sem dirigir, lá fui eu pegá-lo no hospital e levá-lo até sua casa. Não tinha como fugir, enrolar ou passar para uma de minhas irmãs (uma mora em Joinville e a outra tinha de levar sua filha ao dentista).   Tive de encarar o medo NA PRÁTICA!!! Isso é Saturno. E quanto mais você foge de enfrentar o medo, mais ele se torna monstruoso, mais forte. 
Saí do hospital Vila da Serra e fui até o bairro Carlos Prates. Ufa! Medo superado. E o reforço positivo continuou quando comecei a levá-los ou buscá-los de certos aniversários, a fim de ficar com o carro deles. 
E nesses dia, há uns três meses, quando fui guiar o veículo para levá-los a uma festa, já acostumado e confiante de dirigir com meu pai ao lado, aconteceu mais um desafio apresentado por CHaturno… rsrs
Numa subidona aqui perto de casa, fui reduzir da 2a para a 1a marcha porque os carros à frente estavam lentos. Ao pisar no acelerador para continuar subindo nessa marcha, o barulho de acelerar tomou uma proporção gigantesca, com o pneu cantando. Eu olhei rapidamente para baixo, estranhando o que estava acontecendo. Porque eu não estava mais apertando o pedal de acelerar. E o carro gritando como se estivesse apertando o acelerador até o talo. 
Claro, meu pai achou que eu estava acelerando demais e provocando aquilo tudo. Eu disse: 
– Não estou fazendo nada disso. O carro simplesmente está acelerado. 
Tratei de levá-lo para a direita,  o estacionei e desliguei a chave. Meu pai, claro, trocou de lugar comigo. Viu por si próprio que o carro estava acelerando mesmo sem pisar no acelerador. 
Pôrra!! Essa experiência justo quando estava dirigindo com meu pai ao lado?!?!? Que pôrra de subida maldita!!!
O carro foi rebocado e depois levado à oficina. O acelerador estava sujo e foi ajustado. 
Então, cerca de uma semana depois, eu fui até a casa de meu pai e peguei o carro para ficar com ele no final de semana. Eu, Cris e Sophia passamos no Shopping. Na volta para nossa casa, resolvi cortar o caminho e passar por uma rua. Ela é íngreme bagarai. Uma subidona, daquelas que têm placa avisando o perigo do carro derrapar. 
Quando comecei a subir, falei para a Cris e para mim mesmo:
– Agora é hora de superar o trauma da subida… a marca que aquele episódio do acelerador deixou em mim. 
Justo numa subidaça! Ao reduzir da 2a para a 1a, eu engoli em seco e desta vez foi meu coração que acelerou. Mas fui. Era esta subida que eu precisava subir.
Pronto. Ufa! Deu certo! O carro não deu pau novamente. Subi. 
Foi aí que me lembrei dos pilotos de fórmula 1 e de motovelocidade. Todos falam que se você teve um acidente, é fundamental vc voltar à pista novamente, imediatamente! 
Por quê? Porque se deixar passar uma oportunidade de superar o medo na prática, você vai começar a pensar. E pensar demais só trava. A gente vai imaginando o pior e criando um monstro (medo) maior do que ele na verdade é. 
Isso é Saturno. Tem um bloqueio, tem uma limitação, tem um medo a superar. Não fique esperando estar tão preparado quanto seu medo saturnino fica lhe dizendo para estar. Basta “saber dirigir”. E vai. Não fica pensando demais, achando que ainda não está preparado, que ainda tem muito a melhorar para poder enfrentar uma situação. Não. Saturno ensina que o medo é superado na prática. Você precisa vivenciá-lo efetivamente, ali, numa situação concreta. É isso que vai te dar a confiança de continuar experimentando. E, nesse processo, se aperfeiçoando. Quando você ver, você se tornará mestre nesta arte… 
É isso que meus alunos e alunas me ensinam. Sou MUITO grato por eles compartilharem suas experiências comigo. Os exemplos práticos dos medos que têm e como eles fizeram para superar muitos destes medos.  Enfim, AGRADEÇO a cada um(a) que me ensina e comprova o quanto Saturno é um mestre que exige a superação de medos e limitações na prática.
Foi aí que entendi o porquê do verdadeiro mestre ser aquele que CRIA SITUAÇÕES para um discípulo viver. Porque não será por meio de teorias ou explicações que alguém demonstrará que sabe algo. Ele só conseguirá mostrar que sabe NA PRÁTICA, na vivência real, cotidiana, em uma situação do dia-a-dia.
Beijãozão nocês…

Yub