Nos auto-sabotamos OU nos auto-protegemos???

 

 
Muitas vezes, consideramos um fracasso, uma doença ou um acidente como uma baita auto-sabotagem ao que poderíamos conseguir, conquistar e vivenciar.

 

Quando um desejo chega, encontra nossa vontade de realiza-lo. Porém, para realmente usufruirmos ou mantermos a realização de um desejo, precisamos passar pelas nossas crenças.

 

Nossa crença é compatível e reforça o que viveremos com a realização desse desejo?? Se sim, provavelmente aproveitaremos deliciosamente as consequências desse desejo realizado. Se não, fatalmente nos depararemos com algum impedimento à conquista ou manutenção do que foi desejado.

 

Esse impedimento é um obstáculo à vivência do que desejamos. Há no Tarot o Arcano 12: O Pendurado:
 
 



 

 
 
 Este Arcano simboliza um impedimento. Vem depois do Arcano 12: A Força. O que muito desejamos (Força) pode se deparar com um obstáculo (Pendurado).

 

Tal Carta também mostra a importância de enxergarmos tais impedimentos ao que desejamos sob uma nova perspectiva. Uma visão diferente, mais profunda.

 

E é isso que estou propondo: será que os impedimentos aos nossos desejos são auto-sabotagens que armamos pra nós OU são uma magnífica atitude auto-protetora de nosso inconsciente?

 

Podemos observar o caráter de proteção de uma aparente auto-sabotagem em pessoas que, por exemplo, vivem o Ano Pessoal 8. Muitas vezes, uma pessoa que está neste ciclo simbolizado pelo 8 em sua vida acaba se auto-sabotando quando está prestes a ter um sucesso, uma promoção.

 

Ela, na iminência de conseguir uma função profissional de maior autoridade, por receio de fazer mau uso do poder que virá nesse cargo, inconsciente se sabota, “criando”, por exemplo, um acidente no trânsito que a deixa no hospital durante vários meses. Como a promoção era urgente na empresa, ela, por conta de sua estadia no hospital, perde a oportunidade, então, de assumir essa maior responsabilidade. E outra pessoa é indicada ao que seria o seu posto.

 

Veremos que o medo – mesmo que inconsciente – desta pessoa, de não saber administrar o papel de maior autoridade e o poder advindo dele, criou meios de evitar que ela assumisse aquela função executiva na empresa. No fundo, ela sabia que não daria conta da pressão, dos desafios e de ter uma posição de comando. Além do salário bem maior – o que poderia subir-lhe à cabeça.

 

Os efeitos turbulentos e destrutivos que possivelmente se produziriam caso tal pessoa num ciclo 8 assumisse esse cargo seriam muito danosos. E, para evitar as conseqüências desastrosas desta falta de preparo dela em lidar com uma situação tão poderosa assim, o jeito foi anular esta oportunidade, não realizar esse possível desejo, enfim, impedir que esta conquista se efetivasse.

 

Essa auto-sabotagem (“criar” um acidente para evitar fazer uso indevido do poder e da autoridade), no fundo, foi uma baita auto-proteção para evitar efeitos negativos na vida desta pessoa. Ela (seu ego/sua personalidade), não estava preparada para dar conta de tais desafios. E, por isso, preferiu ainda não conquistar este sucesso, esta promoção outrora pretendida.

 

Por que será que, muitas vezes, as pessoas dizem querer se envolver num relacionamento amoroso e, quando chega a oportunidade de criar um vínculo efetivo com alguém, algo ocorre que “sabota” a relação?

 

Por que será que, muitas vezes, as pessoas dizem querer mudar de emprego, fazer um novo curso na faculdade a fim de adentrar numa nova área de atuação profissional e, quando chega a oportunidade de viver esta experiência, ela se mantém no emprego e desiste do novo curso e da nova área de trabalho?

 

Eu vejo nesses casos, nos impedimentos que vão contra ao inicial desejo, uma proteção do inconsciente que cria tais obstáculos a fim de não permitir uma vivência na qual a pessoa ainda não se encontra preparada.

 

Demanda-se um trabalho de auto-observação (autoconhecimento), provavelmente terapêutico, de investigação das causas (internas) desses aparentes processos de auto-sabotagens criados por nós (mesmo que inconscientemente) para não obtermos o que tanto desejávamos. Na verdade, tais sabotagens são tremendamente vitais, como processos de auto-proteção.

 

Através de tais impedimentos (Pendurado), procuraremos enxergar as coisas de um outro âmbito, mais profundamente (Pendurado) e, assim, adentrar no próximo Arcano: A Morte. Por intermédio das mudanças, muitas vezes dolorosas (Morte), perceberemos as causas desses bloqueios auto-sabotadores criados por nós. Novos hábitos e posturas (Morte) nos permitirão estar preparados para usufruirmos a conquista/realização de um desejo que outrora nos foi negada diante de uma protetora auto-sabotagem.

 

Beijãozão nocês…

Yub

 


Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Be Sociable, Share!

About YubMiranda

Sou Astrólogo, Numerólogo e Tarólogo. Formado em Filosofia pela PUC/MG (1996-1999) Simbologista e pesquisador da Psicologia Analítica (psicologia junguiana).

One comment on “Nos auto-sabotamos OU nos auto-protegemos???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

For spam filtering purposes, please copy the number 3905 to the field below: