P.S.: Eu te amo – Renascendo das Perdas!

 
Sempre gostei da frase: “Depois da tempestade, vem a bonanza.” Sempre admirei pessoas que ressurgiram das cinzas: seja de uma perda amorosa, de um fracasso financeiro, de uma doença, enfim, de alguma experiência que as jogaram de cara na lama e, depois, renasceram.
 
Sempre observei com olhos mais atentos as pessoas que passaram por profundas e intensas experiências, perante as quais foram exaustivamente testadas e, aos poucos, ressurgiram e ganharam uma magnífca força, uma compreensão mais certeira a respeito da natureza humana e da vida.
 
Talvez por isso tenha gostado tanto deste filme: P.S.: Eu te amo. É a estória de uma mulher que perdeu o seu jovem marido e, junto com ele, a vontade de viver. Holly (personagem de Hilary Swank) perdeu não apenas o Gerry (Gerard Butler), mas também o seu norte. Ficou sem rumo, sem um direcionamento na vida.
 
Holly não parava em nenhum emprego. Trocava de trabalho assim como quem troca de roupa. Na verdade, como o próprio filme mostra, Holly não tinha descoberto ainda a vocação, o trabalho sobre o qual se dedicar apaixonadamente. Sua insatisfação profissional repercutia em seu relacionamento amoroso. Ela cobrava absurdamente de Gerry um crescimento profissional e financeiro. Projetava nele suas angustiantes inadequações profissionais. Gerry crescia. Gerry cresceu profissionalmente.
 
Ele, de certa forma, era a única pessoa que mostrava – com um primoroso bom-humor, um alto astral contagiante e uma força incrível – a Holly o que ela própria estava fazendo consigo mesma ao não tentar descobrir sua vocação e segui-la com paixão.
 
Porém, Gerry morre. Holly perde a bússola que ele representava para ela. O trauma de sua mãe a assombra. Esta (Kathy Bates) foi abandonada pelo marido. Holly tinha 14 anos qdo seu pai as abandonou. Com a perda de Gerry, viu a história de sua mãe se repetir em sua própria vida… Quantas vezes não atingimos a mesma encruzilhada que nossos pais alcançaram e ali não conseguiram ir além, deixando essa “maldição” para nós??
 
Holly teve vontades de definhar e morrer. Fazia isso a cada dia durante um tempo. Até que em seu aniversário de 30 anos (retorno de saturno?), recebe uma gravação de Gerry. Ele lhe enviaria, diariamente, algumas cartas. O objetivo dele é nortear Holly a encontrar seu caminho. Ele quis ser o norte para a Holly por intermédio dessas cartas.
 
Gerry sempre pedia a Holly que observasse os sinais. Tais sinais seriam realmente a bússola de sua vida, principalmente para encontrar sua vocação. O filme vai se desenrolando magistralmente, numa montanha russa de emoções: ora extraindo de nós gargalhadas incontroláveis, ora nos jogando nas mais intensas emoções envolvendo perda, relacionamentos, tristeza, rejeição, medo, etc.
 
Além disso, o filme é recheado de um humor negro fenomenal, às vezes surpreendentemente chocante e inusitado. Óbvio que associei o filme ao script existencial do signo de Escorpião e de Sagitário. Não posso contar mais sobre ele, mas posso dizer que esses símbolos astrológicos foram muito bem evidenciados na estória.
 
Lembram da frase que iniciei tal e-mail? Depois da tempestade vem a bonanza. Pois é… depois da perda (escorpião) vem os novos horizontes que se apresentam a nós com mais clareza (sagitário) a fim de descobrirmos qual o caminho a seguir no futuro (sagitário). Podemos, obviamente, substituir escorpião por casa 8 e sagitário por casa 9.
 
De todo modo, quem aqui muitas vezes não passou por aquele abismo, encarando perdas, traições e a escuridão emocional para, logo em seguida, renascer e tomar um novo rumo na vida, seguindo determinado norte. Eis a dinâmica casa 8/casa 9.
 
Seguindo nossa intuição, com espírito de aventura, coragem de ousar e atentos aos sinais da vida presentes nos mais banais eventos cotidianos, enxergamos significado nas perdas de outrora e arriscamos nos embrenhar numa nova jornada. Eis também a dinâmica casa 8/casa 9; escorpião/sagitário.
 
Todos nós temos esses signos em nosso Mapa Natal. Talvez seja ali – nessas áreas de nossa vida (Casas astrológicas em que escorpião e sagitário se encontram em nossa carta natal) – que vivenciaremos essas circunstâncias tão bem focadas no filme P.S.: Eu te amo.
 
Que tenhamos a inspiração de prestar atenção aos sinais da vida que povoam o nosso dia-a-dia a fim de segui-los rumo a novos horizontes, dispostos a uma nova jornada de superação das perdas ao seguir esse norte. Lembremos, portanto, de que, sempre, depois das densas tempestades emocionais, a bonanza vem, nos acenando uma possível expansão existencial. Talvez não exista nenhum evento tão forte quanto este para angariarmos maior sabedoria na vida…
 
obs.: suponho que Holly tenha Saturno em Sagitário em aspecto com Urano e/ou Plutão e/ou na Casa 12. Tenha Ascendente em Capricórnio (tentem descobrir numa frase que se repete duas vezes no filme. Frase em que ela se diz ser a … do casal…) e Libra na Casa 10 (não posso falar agora qual a vocação que ela se enveredou, mas quem assistir poderá validar tal associação com o perfil libriano… rsrs). Vênus também em Sagitário na casa 12.
 
Beijãozão nocês…
Yub
Yubertson Miranda – Astrólogo, Numerólogo e Tarólogo 
Formado em Filosofia pela PUC/MG e Simbologista
=============================================
LEIAM O ESTUPRADOR DE ALMAS, o primeiro romance
policial-filosófico de Yubertson Miranda:
=============================================

Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Be Sociable, Share!

About YubMiranda

Sou Astrólogo, Numerólogo e Tarólogo. Formado em Filosofia pela PUC/MG (1996-1999) Simbologista e pesquisador da Psicologia Analítica (psicologia junguiana).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

For spam filtering purposes, please copy the number 3235 to the field below: