Reflexões sobre Saúde/Doença – A Sabedoria do Corpo

Nesses tempos em que JÚPITER em Peixes faz OPOSIÇÃO a SATURNO em Virgem, nada melhor do que refletir sobre SAÚDE/DOENÇA. Ainda mais que Virgem e Peixes têm uma associação bem direta a esse tema (são signos que têm como domicílio no Mapa Natal as Casas Astrológicas ligadas à saúde: Casa 6 e 12).
Em Março deste Ano de 2010, eu vivia o Mês Pessoal 3. Este é um Ciclo propício para sermos criativos e nos comunicar com muita expressividade. Desde o início de Março até quase o final do mês, minha garganta arranhou e ficou me incomodando pra caramba. Tive dor de garganta. Daquelas que dói ao engolir saliva. Estava apenas do lado esquerdo da garganta. Mas não me deu febre nem me fez ficar desanimado.
Gosto MUITO de fazer associações simbólicas com cada evento do dia-a-dia. E admiro livros como A METAFÍSICA DA SAÚDE (do Gasparetto), A Doença como Caminho, etc. Mas o mais espetacular que já li até hoje encontra-se como imagem do início deste post aqui no blog: o livro A JÓIA NA FERIDA. É, claro, um livro de PSICOLOGIA ANALÍTICA. Sou fã dos livros da COLEÇÃO AMOR E PSIQUE da Editora Paulus.
Eu aproveito a sabedoria contida nesses livros para tentar decifrar quais as mensagens que meu inconsciente está me enviando através de algum SINTOMA NO MEU CORPO. E já venho reparando o quanto a DOR DE GARGANTA está associada (pelo menos no meu caso) a desenvolver a autoexpressão criativa – seja por meio da escrita, da fala, enfim, de alguma ferramenta comunicativa.
Eu me trato com HOMEOPATIA há quase dois anos. E venho também obtendo belas conexões entre essa arte-ciência e meu estado de saúde, meus processos internos e externos. Tanto é que o livro A PSIQUE E SUBSTÂNCIA (a homeopatia à luz da psicologia junguiana, de Edward C. Whitmont) é um dos melhores que já li sobre essa ponte consciente-inconsciente através do corpo.
Quando mergulhei em mim para identificar se eu estava reprimindo a necessidade de me expressar com mais criatividade, eu compreendi que fazia sentido a dor de garganta ter se manifestado nessa época. Eu tomei consciência do meu profundo desejo de desenvolver o novo produto de NUMEROLOGIA do PERSONARE (que ainda não posso revelar qual é, mas que já tínhamos planejado desde 2009 a desenvolver neste ano de 2010).
Quando recebi o sinal verde da galera do PERSONARE – justamente no final de MARÇO!!! – para criar o conteúdo deste novo produto de NUMEROLOGIA e comecei a escrevê-lo, minha dor de garganta sumiu como que por encanto. IMPRESSIONANTE. Comprovei, na prática, que o SINTOMA (dor de garganta) era um sinal do inconsciente sobre algo que estava preparado para viver (criar/escrever o novo produto de NUMEROLOGIA para o PERSONARE).
Nesse mês de Abril, tive um outro sintoma. Há anos (nem me lembro quando foi a última vez) não tinha diarréia. Desde quando estou com a Cris (cinco anos de relacionamento), não tive diarréia. E tive agora. Dois dias seguidos. Fui ao meu homeopata e proseamos a respeito. Foram caindo várias fichas. Principalmente através do meu atual momento de vida (na época, LUA CHEIA EM ESCORPIÃO, envolvendo minhas Casas 2 e 8). Ou seja, a Diarréia, MUITO PROVAVELMENTE, estava indicando um processo de DESAPEGO. Isso se confirma através da NUMEROLOGIA também: vivo o ANO PESSOAL 9, o qual tem como lição primordial o DESPRENDIMENTO/DESAPEGO.
Ajudado pela HOMEOPATIA e também por essa COMPREENSÃO do meu atual momento (o qual fica mais claro com o que a ASTROLOGIA, A NUMEROLOGIA E O TAROT me mostram), a diarréia só durou dois dias. E estou trabalhando as questões que preciso me desapegar (e que estou com dificuldade para conseguir esse intento).
Jogar o MÉTODO de TAROT conhecido como MANDALA de três em três meses é MUITO bacana. Porque os Arcanos que saem, principalmente nas Casas 2 e 6, mostram essas questões associadas a saúde. E, o mais bonito, conseguimos identificar PADRÕES de COMPORTAMENTO que geram SINTOMAS FÍSICOS através de ARCANOS que se repetem ao aparecer numa mesma Casa do MANDALA.
Porém, essa é uma reflexão que demandará explicações mais técnicas-didáticas sobre o TAROT e sua SIMBOLOGIA. E preferirei fazer isso num outro post aqui no Blog! Aguardem! 😉
Beijãozão nocês…
Yub
Be Sociable, Share!

Tenho vênus em gêm. na casa 11 e em oposição a saturno em sagit. na 5, além de marte em capric. na 7, e sinto mta dificuldade em manter relacionamentos, apesar dos mtos outros aspectos sentimentais no meu mapa. Serei capaz um dia de manter um casamen

Te entendo.

O lance com Saturno em termos afetivos (em aspecto com VÊNUS´; e CAPRICÓRNIO NA CASA 7) é de persistir. E a cada experiência frustrante, a cada dor, a cada rejeição e a cada rompimento afetivo, vc se conhecer melhor e adquirir mais maturidade afetiva.

Assim, vc estará amadurecendo para atrair relacionamentos mais satisfatórios. Pode até demorar (vai depender do quanto investe em sua maturidade afetiva), mas vc tem uma grande chance de se relacionar de uma maneira muito satisfatória, com alguém que realmente lhe proporciona prazer.

Porque com SATURNO é assim: vale a pena a gente perseverar e enfrentar as resistências, sempre com maturidade, consciência, lucidez e determinação. Porque os efeitos/os frutos desse processo saturnino são deliciosos. Valem a pena. Proporcionam MUITA satisfação e prazer.

obs.: falo por experiência própria (tenho VÊNUS EM SAGITÁRIO EM OPOSIÇÃO A SATURNO EM GÊMEOS e sou CAPRICORNIANO). ;-)))

Beijãozão nocê…
Yub

Ask me anything

Be Sociable, Share!

Bom dia Yubertson. Como astrólogo o que vc aconselha pra lidar bem com a semiquadratura entre Lua e Saturno?

Eu aconselho a ter muita consciência de suas emoções: o que te faz sentir segurança, o que te nutre, o que te proporciona bem-estar emocional?

E nas situações em que vc obter distanciamento, repressão e rejeição emocionais, buscar compreender como poderá fazer para ter mais maturidade emocional. Principalmente na reação a essas situações.

Porque a MATURIDADE EMOCIONAL desse Aspecto é um grande aprendizado. Principalmente em termos da pessoa procurar se nutrir emocionalmente.

Assim, quando vc estiver se sentindo carente ou rejeitada emocionalmente, ou mesmo com febre, tente não depender demais de alguém para te nutrir, te dar colo, te fazer se sentir bem. Procure fazer sua própria sopinha para curar a gripe. Procure pegar livros e filmes que vão te deixar repleta de satisfação quando se sentir excessivamente carente de colo, de intimidade emocional com uma pessoa parceira.

Quando a pessoa com tal aspecto consegue se nutrir, se gostar, se sentir satisfeita e segura, ela ganha maturidade emocional. E não corre o risco de atrair relacionamentos afetivos nem familiares marcados pela repressão, pela imaturidade emocional/carência excessiva nem pelo distanciamento emocional.

Viverá tais relações de forma madura, porque comprovou que não NECESSITA de ninguém para te nutrir. PRECISAR, todos nós precisamos e é uma delícia. Principalmente quanto temos essa maturidade emocional. 😉

Beijãozão nocê…
Yub

Ask me anything

Be Sociable, Share!

Rainha de Espadas: Dilma Rousseff e Diabo Veste Prada

Ei! Você viu uma Rainha de Espadas andando por aí? Uma delas pode se tornar a primeira mulher no cargo de Presidente da República do Brasil. Sim, a Dilma Rousseff. Você também já se deparou com um bom exemplar desse Arcano no cinema: o papel de Meryl Streep no filme O Diabo Veste Prada.
Você pode perguntar:
– Tudo bem, são exemplos de mulheres que retratam bem a simbologia da Rainha de Espadas. Mas eu gostaria de um mais prático, do dia-a-dia.

– ok – eu respondo. – Aqui vai!

Aquela mulher executiva, responsável por uma empresa, por exemplo. Ou mesmo mulheres que ocupam um cargo de destaque e se vestem com um terninho.
Tem também aquela professora universitária rigorosa e com Doutorado no Curriculo.
Por que são exemplos práticos da dinâmica deste Arcano?
Primeiro porque são mulheres. E as Rainhas no Tarot costumam indicar literalmente a presença de uma mulher na questão por nós abordada. Segundo, porque são mulheres poderosas. Elas exigem respeito. E o conquistam com uma postura repleta de autoridade.
Você já reparou na habilidade verbal da petista Dilma Rousseff? Parece um Fernando Henrique Cardoso de saia. Responde a qualquer pergunta de uma maneira impecável. Tem resposta bem elaborada para qualquer questionamento. Aparentemente, muito controlada emocionalmente. Não perde a linha. Também não sorri. Muito séria e compenetrada no desempenho de seu cargo público. Parece que não tem nenhuma dúvida rondando sua mente.
Ops!! Veja a imagem da Rainha de Espadas de Rider-Waite. Sua cabeça (mente) paira acima das nuvens (das incertezas). Quem gosta do zen-budismo como eu sabe que as nuvens são retratadas como pensamentos. Pensamentos que vêm e vão – e nos distraem. E muitas vezes nublam nossa meditação e nosso dia-a-dia. Uma forte concentração de pensamentos diversos pode trazer confusão mental, intelectual e comunicativa. Dilma Rousseff está acima dessas incertezas e dessas confusões. Sabe como usar sua espada mental e cortar aquelas ideias que poderiam deixa-la sem resposta.
Certa vez, no jogo Mandala que fiz para uma cliente, saiu a dita cuja na Casa 10. Não, a Dilma não. A Rainha de Espadas. Essa Casa retrata o trabalho, a profissão, o patrão. Minha cliente tinha recém-entrado numa empresa. Você acha que quem comandava era um patrão ou uma patroa? Óbvio que era uma mulher. A Rainha de Espadas! Ali estava representada a chefe dela. Rigorosa, exigiu tanto de minha cliente…
O mais bacana é esta dinâmica do Tarot, principalmente quando uma Figura da Corte aparece no jogo. A de indicar uma pessoa a influenciar o consulente. O real objetivo é o próprio consulente desenvolver essas características em si e expressa-las. Foi o que a Rainha de Espadas, ops, a chefe da minha cliente exigiu. E esta correspondeu. No turno da noite, quem era responsável por administrar os funcionários e a casa noturna em que ela começou a trabalhar foi justamente essa minha cliente.
Nossa reverência à autoridade da Rainha de Espadas, a qual busca preservar com nervos de aço e uma mente afiada.
Beijãozão nocês…
Yub
Be Sociable, Share!

Soletrando (Caldeirão do Huck) e Pajem de Espadas

Sou fascinado pelo Tarot. Quando vejo na prática, no dia-a-dia, a manifestação de um Arcano, sinto muito prazer. Por isso, é uma fonte de aprendizado e de satisfação tentar observar um simbolismo se mostrar nos eventos cotidianos.
Nesse intuito de olhar a vida com olhos simbólicos, fui convidado pela minha Querida Cynthia para escrever sobre o Pajem de Espadas para o seu blog (http://oraculolenormand.com.br/42212.html). Ao aceitar o convite dela, me abri para as mensagens do inconsciente. Fiz o pedido ao Universo: quero que me mostre uma situação prática que represente o Pajem de Espadas.
Depois desse pacto com a Vida, continuei vivendo. Confiei que reconheceria uma circunstância fiel à manifestação do que o Pajem de Espadas simboliza. E assim ocorreu. Sabe o que percebi? Vou contar daqui a pouco. Primeiro falarei sobre a simbologia desse Arcano. Assim, quando contar para você qual experiência me retratou os significados dessa Carta, você sorrirá comigo.
Todos os Pajens (independente do Naipe) retratam uma situação incipiente. Há uma promessa de que algo poderá ser desenvolvido a partir daquela semente. Surge um convite, um pedido, enfim, a possibilidade de alguma experiência.
O Naipe de Espadas representa a mente, o intelecto, a comunicação. Simboliza também um estado de espírito voltado para a realização de nossos próprios desejos. Muitas vezes, por egoísmo e imaturidade, tais desejos não levam em consideração outras perspectivas. Achamos que estamos corretos. Daí a consequência de conflitos ou sofrimentos que esse Naipe veicula.
Portanto, se unirmos a essência dos significados dos Pajens ao do Naipe de Espadas, teremos a seguinte dinâmica: haverá um clima (Pajem) tenso (Espadas), porque temos a possibilidade (Pajem) de fazer valer a nossa vontade, os nossos desejos (Espadas). Principalmente a nível intelectual e mental (Espadas).
Você sabia que as Figuras da Corte (Pajens, Cavaleiros, Rainhas e Reis) podem representar alguma pessoa? Sim, tais Arcanos – quando saem em algum jogo de Tarot – tendem a mostrar que alguma pessoa poderá influenciar nossa vivência na questão abordada. No caso dos Pajens, pode ser uma criança ou mesmo alguém imaturo.
Nesse último Sábado, Dia 10/04/2010, vi uma situação que descreve bem a manifestação do Pajem de Espadas: crianças (Pajem) numa disputa intelectual (Espadas). Isso mesmo! Foi a final do Soletrando 2010 no programa Caldeirão do Huck. Bacana, né? Aquelas crianças, cada qual escolhida por representar seu Estado, procuram vencer a competição nacional. Uma manifestação literal do Pajem de Espadas.
E uma outra situação, mais comum em nosso dia-a-dia, que também representa a dinâmica desse Arcano, ocorre quando surge aquele climão entre namorados, por exemplo. Um falou uma “verdade” que incomodou, feriu, machucou a pessoa parceira. E isso fez gerar um clima tenso de conflito (pajem de espadas). O casal precisará dialogar e esclarecer esses pontos de discordância, a fim de superar esse clima tenso. Este foi gerado por críticas e palavras cortantes (Pajem de Espadas) em que cada qual dizia-se coberto de razão (espadas).
Aprendemos muito tentando enxergar o simbolismo do Tarot nas situações arquetípicas (comuns a todas as pessoas).
Beijãozão nocês…
Yub
Be Sociable, Share!

Reflexões sobre Previsões e o desenvolvimento da Intuição

Colocarei um papo que tive com um amigo meu, o Kél. Refletimos sobre as Previsões e outros detalhes. Boa leitura a todos!!
Saudações PREDITIVAS, meu Querido Kél!!
Vamos prosear!!
VC ESCREVEU:
O problema da previsão para mim é saber e demarcar qual é o limite do simbolo e da interpretação simbolica? Esta pergunta me ocorreu apos assistir a bela palestra do Gustavo sobre 2012.

YUB: Por que a palestra do Gustavo te suscitou essa pergunta, Kél?

KÉL:
De certa forma trago a mesma problemática para ca ao pensar a questão da previsão. Afinal: como que fazendo uso de um instrumental simbolico pretende-se tocar a realidade?

YUB: a realidade É simbólica, a meu ver. O símbolo É a realidade…Trabalhar com os símbolos, pra mim, é tocar a realidade. E vice-versa.

KÉL:
Em qual nivel de interação o real e o simbolico se cruzam? No que tange aos videntes, como saber se a imagem vista é real e nao simbolica? Eu não tenho resposta para estas questoes, mas ficarei aqui falando sobre isso.

YUB: eu também não tenho, mas também ficarei falando sobre isso. Vou compartilhar com vc algumas dúvidas que tive e as que ainda tenho nesse processo de pescar do SÍMBOLO aquilo que de fato se realizará.

Quando uma pessoa vive o Ano Pessoal simbolizado pelo 1, por exemplo, é batata que ela estará desejosa de adquirir mais independência (1) neste ano que vive sob essa simbologia (Ano Pessoal). Para conquistarmos independência (1), muito provavelmente precisaremos afrontar com alguma figura de autoridade, seja o pai, a mãe, o marido, a esposa, o patrão.

Tenho uma cliente que está no Ano Pessoal 1. Está cansada de depender do marido para levá-la de carro aos locais que ela deseja ir. O marido trabalha demais. E sempre reclama quando tem de parar seu serviço para levar a esposa (minha cliente) até determinado lugar.

Ela, então, sentindo o ímpeto e a coragem de ousar para buscar mais independência típica deste Ano Pessoal 1 em que se encontra, quer tirar carteira, comprar um carro e conquistar essa autonomia.

O que eu consigo enxergar a partir da simbologia do Ano Pessoal 1 foi a necessidade de independência e de se enfrentar alguns conflitos com alguma figura de autoridade. No caso dessa minha cliente, NUNCA enxergaria que essa situação envolveria tirar a carteira, comprar um carro e não depender do marido para se locomover pela cidade. Pra mim, só um vidente teria condições de dizer que a necessidade de independência dela se daria por meio desse FATO. Que a pessoa com a qual ela entraria em conflito seria com o MARIDO e por causa dessa questão de locomoção.

Muitas vezes, pra mim, a previsão tem esse limite. Mostra a situação, o aprendizado (independência, no caso), mas não revela ATRAVÉS DE QUAIS FATOS esse aprendizado ocorrerá. Isso demarca o limite entre o símbolo e o real.

KÉL:
Outro ponto que gostaria de enfatizar é que ninguem acerta uma previsão, porque os acontecimentos mudam, quando ousamos prever. Esta linha é para mim a mais factivel de análise. Vem comigo:

O vidente acorda pela manha. Escova os dentes, penteia o cabelo, toma cafe e na xicara ve as primeiras imagens do dia. Meio apreensivo e assustado vai até a sua bola de cristal e lá ve, nitidamente, Joana vai bater o carro, Tulio se envolvera em uma briga e Cadu ganhara o BBB. Tudo isso seria assim e é assim, enquanto ele guardar silencio. No momento no qual ele liga para Joana tomar cuidado, para Cadu ficar mais tolerante e escreve que Cadu será o vencedor, ele produziu uma alteração na linha do destino. Aqui o sentido seria fazer a observação de que toda linha é curva e qualquer previsão coloca as coisas de cabeça para baixo. Por esta linha de raciocinio a previsão perfeita é a incomunicavel. Quando comunica-se, ela altera e é alterada por aqueles que a difundiram em maior ou menos grau.

YUB: creio que há um pouco de RADICALISMO aí. O de que NINGUÉM ACERTA UMA PREVISÃO PORQUE OS ACONTECIMENTOS MUDAM.

Tenho percebido que o Tarot se mostra INFALÍVEL nas previsões do MÉTODO MANDALA (desenho do início deste post) que jogo para mim, para a Cris e para meus clientes. O tempo de TRÊS MESES, quando mostrado via TAROT, revela algo IMUTÁVEL. É como se nesse tempo NÃO TIVÉSSEMOS LIVRE-ARBÍTRIO para mudar algo que o Tarot mostrou no Mandala, por exemplo.

Por mais que aconselho meus clientes a ficarem mais espertos com determinadas situações em função da presença de certo par de Arcanos em determinada Casa, sei que não vai adiantar nada. Nos próximos três meses, vai rolar aquilo ali que está demonstrado.

Mas é algo tipo a previsão do NÚMERO 1 COMO ANO PESSOAL citado acima. Não sei os fatos ao certo, mas o colorido da dinâmica que ocorrerá. Muitas vezes, pela troca de emails com meus clientes, eles já me contam os fatos que o Tarot mostrou por via do colorido da dinâmica que marcará aquela área da vida deles pelos próximos três meses (tempo de validade do Mandala). E ainda não vi cliente mudando tal situação para algo diferente do que estava mostrado no Tarot para aquele tempo…

Há outros casos que percebo isso que vc falou, Kél. Lembro de uma cliente minha. Saiu A IMPERATRIZ com 10 DE COPAS na Casa 7 do Mandala. Ou seja, ela, que queria um namorado, encontraria um naqueles três meses. Afinal, IMPERATRIZ frutifica, traz um resultado favorável, de acordo com o tema da Casa em que tal Arcano sai. E ainda com o feliz 10 de copas, nem se fala.

Pergunta se ela namorou naqueles três meses?

NÃO!!!!!!!!!

Porque não quis se comprometer. Por MEDO, por não querer reviver o que viveu com seu ex-marido. Então, OPORTUNIDADE de conhecer e ficar com vários caras ela teve naquele período. Mas não quis preservar um deles para romance… Frutificou (imperatriz) oportunidades de relacionamento (Casa 7), que a deixaram com a autoestima elevada (imperatriz e 10 de copas). Mas por medo de se envolver mais profundamente, ela não se comprometeu com nenhum pretendente/ficante.

Então, SIM, concordo com vc que DETERMINADAS PREVISÕES não merecer ser DITAS DE FORMA ESCANCARADA. Porque poderá fazer o CLIENTE se fechar às experiências previstas. Justamente por medo e resistência do CLIENTE com o que foi PREVISTO.

KÉL:
Nessas novas portas abertas e rumos rumados trago de novo a pergunta: como e quando as multiplas possibilidades do simbolo se faz e se torna objeto único, expressão da realidade manifesta? De novo não sei a resposta para as perguntas que levanto.

YUB: eu tenho percebido isso por meio de um detalhe bem bacana.

Quanto mais se estuda, angaria informação, lê, observa e aprende o que se busca conhecer, mais a intuição funciona para acertar em cheio na previsão.

É bem a união entre a Casa 3 e a Casa 9 da Astrologia. Esse pólo, quando unido naquilo que representa, permite a previsão certeira. Ou seja, muito estudo e conhecimento (Casa 3 – domicílio de Gêmeos) nos permite traduzir as múltiplas possibilidades de um símbolo (Casa 9) em um objeto único manifesto na realidade. E isso ocorre via INTUIÇÃO (Casa 9 – domicílio de Sagitário), a qual é “ativada” via muito estudo (Casa 3).

E creio que foi isso que me faltou nas análises do BBB10, principalmente na previsão da FINAL. Faltou mais conhecimento do MÉTODO PÈLADAN aplicado a esse tipo de pergunta/questão abordada pelo Tarot. Se tivesse esse conhecimento (Casa 3), isso teria me ajudado a acertar através da intuição (Casa 9) a resposta da FINAL.

Por isso é tão importante o estudo do simbolismo do Tarot. Ele aprimora e é pré-requisito para a previsão ser certeira.

E, nesse processo, é importante não se intimidar pela extensa interpretação simbólica dos pares de Arcanos que saem num jogo de Tarot. Por meio dessa interpretação dos possíveis significados ali, aprimoramos nossa intuição para fazer uma leitura global do todo que se apresenta ali em todos os pares de arcanos (Casa 9) e decretar a resposta (Casa 9).

KEL:
Eu achei a metodologia aplicada por meu irmão demasiadamente complexa. Num paredão triplo fazia a mesma pergunta para tres candidatos, lia as tres combinaçoes e deduzia qual seria a mais propicia de acontecer.

YUB: porque eu estava praticando o que acabei de falar no parágrafo acima. Essa inicial complexidade, com a prática, vira síntese. E por meio dessa visão sintética do todo (Casa 9), após ter passado por uma análise exaustiva (Casa 3), chega-se à INTUIÇÃO CERTEIRA DO RESULTADO.

Agora que percebi isso e aprendi essa prática, aprimorei e continuo aprimorando minha intuição. Os meus acertos (até então registrados em jogos aqui no meu caderno de Tarot) cresceram. Aos poucos, vou divulgando esses jogos na lista e no blog.

KÉL:
Numa tentativa de entender a metodologia, a conclusão que cheguei, foi a de que a ele não interessava o acerto e sim a análise das tendencias.

YUB: INICIALMENTE, sim. Justamente para chegar ao acerto da resposta final. Com o treino, essa análise das tendências (CAsa 3) nos leva a ter clareza sobre o mais provável resultado final (Casa 9), quando a intuição entra em cena e ajuda (Casa 9). Afinal, ela estará embasada nos conhecimentos adquiridos e análises feitas (Casa 3).

KÉL:
Porque para acertar o procedimento era muito mais simples, bastava perguntar quem vai sair? E utilizar uma, no máximo duas cartas para saber a resposta, que seria dada de forma direta, objetiva.

YUB; também achava isso bem no início de minha prática com o Tarot, Kél. Se vc tiver paciência para testar o JOGAR COM UMA OU NO MÁXIMO DUAS CARTAS, verá que é furada. Ele não dá certo. Porque a própria pergunta demanda uma análise mais complexa, ou melhor, de mais variáveis e detalhes, a fim de se chegar ao RESULTADO EFETIVO. E apenas uma ou um par de Arcanos é impossível.

É o mesmo que pedir para uma criança desenhar o arco-iris com um lápis preto. Vai dar errado. Ela precisa ter mais cores, mais variáveis, para atingir o resultado exato de desenhar um arco-iris verdadeiro.

KÉL:
No entanto o procedimento utilizado era o Peladan (peladão) que desnudava muito mais nuances do que as necessárias para a pergunta. Na pergunta direta: quem sai, quem será eliminado cabe muito pouco, fugas ou distraçoes. Ja em uma tiragem Peladan meu irmão Yub introduziu uma variavel psicologica, comportamental, que tirava o foco da pergunta central: quem será eliminado. E abria para reaçoes internas, externas, individuais, coletivas de cada um.

YUB: eu discordo, como expliquei acima, Kél. Mas respeito seu ponto de vista. Te convido a testar jogar um par de Arcanos para as perguntas que fizer com o Tarot para se obter respostas em questões deste âmbito. Veja se consegue acertar por meio das simbologias mostradas no par de Arcanos… Depois tente com o PELADAN…

KÉL:
De qualquer forma para se saber apenas quem será eliminado, o melhor é a matemática e não as artes divinatorias.

YUB: bom, se eu tivesse mais tesão em usar a matemática do que o Tarot, faria isso. Mas como sinto bem mais prazer em usar o Tarot para esse exercício/brincadeira de fazer previsões, vou continuar com ele… rsrs

KEL:
Na vida real, concreta e absoluta uma pergunta sobre a gravidez depois de uma trepada é objetiva, concreta e absoluta. Temos uma questão posta a ser averiguada pela disposição simbolica das cartas, do jogo. Perguntas da consulente se ela vai casar com o João ou se com a michelly, se vai ficar rico trabalhando ou se aliando ao marcos valerio, geram predisposiçoes simbolicas que o tarot e as artes divinátorias tem amplas condiçoes de responder, porque tanto as pessoas como as perguntas tocam, tangenciam a realidade.

Já, aos meus olhos, o BBB já é o proprio simbolo. Os candidatos que lá estão já são os proprios arcanos, e, finalmente, mas não por último, os tres, dois envolvidos no paredão criam uma dinamica muito peculiar. De tal forma que a questão, aos meus olhos, não é buscar o simbolo para descrever o simbolo e sim entender qual simbolo será eliminado e por quais motivos. O jogo é outro. É quase o jogo do jogo e sobre isso escrevi um outro e-mail paranoico.

De forma que aplicar a metodologia de previsao no BBB é similar a perguntar no tarot, ou na astro, ou na numerologia, se Capitu traiu ou não Bentinho. Se a Helena do Manuel Carlos vai ou não se casar com o Tiago Lacerda…. não consegue alcançar, tangenciar a realidade.

Creio que a aplicação simbolica das artes divinatorias naquilo que já é simbolico, ficticio, amplia demais as possibilidades de entendimento do jogo e o leva para um padrão do impoderavel.

YUB: respeito sua opinião, Kél. Mas discordo. Eu até bem pouco tempo achava isso também. De que é impossível utilizar o Tarot quando envolve tantas variáveis que influenciam o resultado de uma questão. Mas tenho observado na prática que não é assim não. Por mais que eu seja um cara só, fazer previsões para mim é tão difícil quanto para um grupo de amigos. Porque eu estou conectado com uma variável de pessoas, situações, época, ambientes, passado, história de vida, medos, desejos etc. E, claro, tais fatores contribuem para a complexidade da previsão.

No fundo, tudo está interconectado a tudo e influencia e é influenciado por tudo. Por mais que na aparência parece que fazer previsões para mim é menos complexo do que para o meu time de futebol, o Cruzeiro.

Não é. Mas não tenho como argumentar isso. A prática vem me convencendo de que não há diferença se vou fazer previsão para mim ou para um participando do BBB. O TAROT VAI MOSTRAR A RESPOSTA EXATA, SE FEITA A PERGUNTA CORRETA E UTILIZADO O MÉTODO APROPRIADO PARA A MESMA.

Quem erra NÃO É O TAROT; é o TARÓLOGO.

Beijãozão nocê…
Yub
Be Sociable, Share!

A Numerologia de Chico Xavier!

No dia 02 de abril de 2010, Chico Xavier completaria 100 anos. O mineiro deixou uma marca impressionante: mais de 400 livros psicografados. A caridade pela qual ficou reconhecido é confirmada pela Numerologia de seu nome de batismo (Francisco de Paula Cândido).

Encontramos no Mapa Numerológico de Chico Xavier o Número de Expressão 99/18/9. Este é considerado um Número Mestre (que é encontrado quando um algarismo se repete). Como se não bastasse o 9 simbolizar uma postura compassiva e sábia, Chico tinha-o como Número Mestre 99. Por isso, mais que se doar em prol das pessoas (Expressão 9), ela fazia isso com grande humanitarismo, influenciando a vida de muita gente (Número Mestre 99). Suas obras de caridade são exemplos claros do que essa simbologia representa.

Seu talento literário e sua habilidade comunicativa se destacaram. Não somente por via da psicografia, mas também por suas entrevistas e pela divulgação do espiritismo. Ele tinha o Número de Impressão 3, que sugere uma pessoa sensível e de fala fluente. Suas palavras comoviam as pessoas que o procuravam.

Chico Xavier também tinha o Número de Potencial e de Compromisso simbolizados pelo 8. Essa simbologia representa a forte possibilidade da pessoa ser reconhecida e obter muito sucesso, inclusive financeiro. Ele é reconhecido como o médium mais famoso do Brasil. E ganhou muito dinheiro na vendagem de seus livros. Porém, seu lado doador simbolizado pelo Número Mestre 99 o fez ceder os direitos autorais para obras de caridade.

Outro ponto de destaque na sua personalidade foi seu lado doce, sensível e amoroso. Este pode ser visto pela sua Lição Existencial e pelo seu Desafio simbolizados pelo Número 2. Esse simbolismo representa uma atitude protetora, carinhosa e serena. Chico tinha a capacidade de apaziguar os corações aflitos e criar uma atmosfera de paz ao seu redor. São talentos condizentes com o Número 2.

Por fim, observando os Desafios do Mapa Numerológico de Chico Xavier, encontramos três números que simbolizam uma força psíquica considerável. Ele tem os Desafios do 2, do 7 e do 9. Quando encontramos tais símbolos em evidência, a pessoa terá uma aptidão para enxergar além das aparências, pois estes números representam a capacidade de sintonizar com estado emocional e psíquico de outras pessoas e ambientes.

Artigo originalmente publicado em:

http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=23806728

Beijãozão nocês…
Yub

Be Sociable, Share!

Testando o Método de Tarot Pèladan, principalmente a Casa 1

Bom, desde quando fiz as reflexões pós-BBB10 sobre a influência da Casa 1 sobre o resultado final de um jogo de Tarot usando o MÉTODO PÈLADAN, passei a testar ainda mais. Vários jogos tenho feito quase que diariamente para identificar até que ponto a Casa 1 influencia ou não na resposta final que o Tarot nos dá.
Na quinta-feira passada, antes de viajar para o feriado, fiz duas perguntas. Uma delas teve seu resultado final ontem. Compartilho agora com vocês.
Fiz a PERGUNTA:
A Professora X dará aula de YY na 2a.feira, dia 05/04/2010, para o 6o.Período de Psicologia (turno noite)??
Casa 01 (o que está propício de ocorrer na questão): imperatriz / 9 paus
Casa 02: (o grande desafio a ser superado na questão): carro / 4 paus
Casa 03 (o desenrolar da questão): mago / cavaleiro espadas
Casa 04 (o resultado final da questão): torre / cavaleiro copas
Casa 05 (qual a expectativa da consulente diante da questão): justiça / 6 espadas
Contextualizando a questão:
A Cris faz faculdade de Psicologia. Está havendo um movimento de reinvidicação dos professores da rede particular de ensino aqui em BH. Na última semana de março, antes do feriado, houve um incentivo para que todos os professores não desse aula. Porém, na Faculdade da Cris, os professores compareceram.
Então, ontem (2a.feira, dia 05/04/2010), existia a forte possibilidade de tais professores dessa Faculdade continuarem dando aulas. De todo modo, resolvemos fazer a pergunta acima citada.
Eu disse à Cris que a professora X NÃO daria aula para sua turma, uma vez que a Casa 3 e a 4 me mostravam essa opção. A Cris foi à Faculdade, pois não sabia se a professora aderiria à greve ou não. Chegou lá, viu muitos professores reunidos na sala deles. Eles conversavam a respeito. E decidiram aderir à greve.
A professora X, então, foi até à sala da turma da Cris e disse aos alunos os motivos que a levaram a aderir ao movimento dos professores da rede particular de ensino. E deu uma tarefa para os alunos cumprirem FORA da faculdade. Assistirem um filme sobre o tema que estão estudando.
Foi aí que eu vi a manifestação do CAVALEIRO DE COPAS acompanhando A TORRE na Casa 4.
Bem, acho que vale a pena eu interpretar o jogo. Ainda mais que, como podem notar, a Casa 1 era positiva. Se dependesse dela, existia a forte possibilidade da professora X dar aula. Porém, por mais que ela quisesse dar aula, não influenciou o resultado mostrado pelas Casas 3 e 4: IMPOSSIBILIDADE DE HAVER AULA.
Casa 1: Estava favorável (Casa 1) ocorrer a expansão do que foi perguntado (imperatriz). No caso, haver aula da professora X. Embora ela precisasse se esforçar para vencer os obstáculos (9 de paus) nesse sentido.
Casa 02: o grande obstáculo que existia para a professora X dar aula (Casa 2) girava em torno da coragem em avançar (Carro) e enfrentar os desafios desse avanço (4 paus). Ou seja, ela se bancar (Carro) e não se sentir intimidada pelos obstáculos da greve (4 paus).
obs.: A 1 mostrava que ela tinha essa força, essa capacidade de vencer tal obstáculo (Casa 2).
Porém, o processo para dar aula (Casa 3) implicava a esperteza, a habilidade de negociação e a capacidade de dar um jeitinho (Mago) para avançar em meio aos conflitos e oposições (Cavaleiro de Espadas). Porém, por mais que a professora X aspirasse dar um jeito nesse embate (mago/cavaleiro espadas), ela não daria aula ontem.
Porque como resultado (Casa 4), encontramos A TORRE ali. Ou seja, ela impede a manifestação de algo, pois o faz ruir (Torre). Porém, esse impedimento de dar aula (Torre na 4) foi acompanhado do Cavaleiro de Copas.
O Cavaleiro de Copas é um movimento sutil, um pouco passivo e baseado apenas na receptividade de  uma oportunidade condizente para o levar no rumo do que almeja. Creio que foi a tarefa que a professora deu à turma para executar em casa. Ver o filme recomendado como conteúdo da aula que não deu.
Assim, nesse caso, a Casa 1 não teve influência sobre o resultado. As Casas 3 e 4 foram muito ruins para se realizar o que foi perguntado: a professora X dar aula para a turma da Cris ontem.
Em breve, compartilharei outros jogos aqui para aprofundarmos nesses meandros que envolvem a influência da Casa 1 no resultado do jogo.
Beijãozão nocês…
Yub
Be Sociable, Share!