Tarot: Mediunidade ou Estudo?

Saudações REFLEXIVAS a todos!!

Tenho recebido em PVT alguns e-mails. E sabem
qual o teor central dessas mensagens???

Vou apenas transcrever o trecho de uma delas, o
qual retrata a essência de todas. Eis:

“Eu tenho uma amiga, que
geralmente joga pra
mim o tarô, ela ainda é iniciante, e usa muito a
intuição/mediunidade,
assim como eu.

Apesar de ela, quase sempre acertar o que diz, eu
tenho tido dúvidas
de muitas coisas, inclusive da seriedade do uso
do tarô com a
mediunidade. Vc sabe como o tarô funciona?”

YUB: muita gente associa JOGAR TAROT com
MEDIUNIDADE. Talvez pelo fato de que, na grande
maioria das vezes, vemos anúncios de VIDENTES e
CARTOMANTES que jogam o Tarot.

A pessoa sendo VIDENTE, ela é capaz de acessar as
informações a respeito das outras pessoas por
vários meios, sejam os búzios, uma bola de
cristal, as runas e até mesmo as próprias cartas.

E o que costuma ocorrer, na grande maioria das
vezes, é que tais VIDENTES não se dedicaram pra
valer ao ESTUDO do SIMBOLISMO das Cartas. Eles
simplesmente usam OS SÍMBOLOS dos Arcanos do
Tarot como um estímulo para “ativar” sua
VIDÊNCIA.

O Tarot, usado dessa maneira, acaba sendo muito
mais um veículo propiciador de intuições
(VIDÊNCIA) do que propriamente um instrumento a
ser lido, segundo as simbologias presentes em
cada Carta/Arcano.

E, muitas vezes, esses videntes acabam não se
dedicando ao ESTUDO das Cartas, de modo a
adquirirem o CONHECIMENTO SIMBÓLICO dos
significados do SIMBOLISMO dos Arcanos.

Esses videntes usam a mediunidade “ativada” por
intermédio das Cartas para passarem suas
informações, mas não possuem um embasamento
teórico sobre os significados dos SÍMBOLOS
presentes nas Cartas do Tarot.

Aí, qdo a mediunidade deles (como a vidência, por
exemplo) fica nublada por alguns possíveis
motivos, tais como o envolvimento emocional com a
questão abordada ou com a pessoa que está ali
fazendo a consulta, o risco de passar informações
erradas e deturpadas é maior.

Daí a importância de se estudar pra valer o TAROT
como uma LINGUAGEM SIMBÓLICA, compreendendo os
significados dos SIMBOLISMOS dos Arcanos e dos
MÉTODOS de se jogá-los (de acordo com o tipo de
questão abordada: afetiva, profissional,
espiritual, material, etc.)

Assim, estudando o SIMBOLOGIA do Tarot, o risco
de haver uma interpretação capenga e detonada da
leitura das Cartas DIMINUI. E a partir do
CONHECIMENTO dos Arcanos, a possibilidade de
nossa INTUIÇÃO atuar em conformidade com o
EMBASAMENTO TEÓRICO só vem a ACRESCENTAR à
qualidade da leitura tarológica que fazemos.

Muita gente acha que se estudar, acaba perdendo a
MEDIUNIDADE (como a intuição, por exemplo)? Esse
é um medo infundado. A própria Astrologia mostra
isso: A Casa 3 (que representa o estudo, a teoria
e o embasamento intelectual) é COMPLEMENTAR à
Casa 9 (que representa a intuição e a capacidade
de encontrar um significado daquilo que se
estudou e aprendeu teoricamente) .

Então, não matemos nossa capacidade de estudo e
de aprendizagem. Busquemos usar o que aprendemos
intelectualmente JUNTO com nosso poder INTUITIVO,
pois assim não corremos o risco de passar
informações truncadas e confusas a quem nos
procura para JOGAR O TAROT. Muito pelo contrário,
USAREMOS NOSSA MEDIUNIDADE (intuição, vidência,
etc) em COMUNHÃO COM NOSSA INTELIGÊNCIA
INTELECTUAL, NOSSOS ESTUDOS E O QUE APRENDEMOS A
PARTIR DOS MESMOS.

Beijãozão nocês…
Yub

Be Sociable, Share!

About YubMiranda

Sou Astrólogo, Numerólogo e Tarólogo. Formado em Filosofia pela PUC/MG (1996-1999) Simbologista e pesquisador da Psicologia Analítica (psicologia junguiana).

3 comments on “Tarot: Mediunidade ou Estudo?

  1. Yub,
    Muito obrigada por responder ao meu post, com certeza o seu blog ira me ajudar bastante para compreender algumas coisas as quais eu necessito, não só a mim como também a muita gente que também possa estar precisando! =)
    Bom, quando a minha amiga disse que eu não deveria mais ler o tarô, ela disse q é devido às energias, que vão todas para o tarólogo, e que este só pode fazer consulta se estiver preparado espiritualmente e tiver permissão, enfatizando ainda que eu não devo “mexer com o que não se conhece”, e que mesmo que eu jogasse na inocência, não tinha consciência da quantidade de energias e até mesmo as entidades que estão envolvidas nisso. Entendo a preocupação dela, mas não compreendo pq isso só ocorreu depois de 10 anos como taróloga, já perdi as contas da quantidades de consulentes que já tive…
    Quanto às coisas estranhas que senti, são leves formigamentos pelo corpo, taquicardia, vista cansada, sensação de leve esquentar na cabeça e formigamento na região do terceiro olho. Já ouvi falar, inclusive que alguns desses sintomas podem ser sinais de incoporação. Só ocorreram duas vezes, e nas duas me encontrava lendo o tarô.
    Para mim, leiga em grande parte dos assuntos espirituais, tudo isso é novo e muito assustador.
    Bom, mais uma vez, obrigada pela atenção! =D
    Um forte abraço!

  2. Olá, minha Querida Anônima!!

    Tudo jóia!!

    Taí! Belas questões!! Nunca tinha pensado nesse “caminho inverso”… Vou preparar um escrito a respeito e colocar aqui no Blog!! ÓTIMA idéia! ;D

    Gostaria que vc falasse mais sobre “essas coisas estranhas” que vem sentindo durante o jogo.

    Quanto ao conselho dessa pessoa espírita (para não mais jogar), talvez seja porque a maioria dos espíritas tem preconceito quanto ao Tarot… Eu vivi esse preconceito no centro espírita em que eu participava… e olha que é um de mesa “branquíssima” rsrs

    O que os espíritas sofrem de preconceito quanto a leigos que acham que centro espírita é terreir de macumba, eles acabam fazendo o mesmo com quem joga Tarot: acham que é tudo cartomante, no sentido pejorativo/senso comum do termo… rsrs

    Beijo bem carinhoso nocê…
    Yub

  3. Olá, Yub, tudo bem?
    Muito interessante a sua abordagem quanto à importância do estudo dos símbolos do tarô. Jogo há 10 anos e sempre me preocupei com a interpretação dos arquétipos, além de nunca ter errado nesse período. Porém, o que ocorre comigo é o inverso: sempre estudei fundamentada na perspectiva junguiana e não me atinha muito à questão espiritual. Há pouco, venho sentido coisas estranhas as quais nunca havia sentido ao fazer o jogo e já me disseram que isso pode ser a minha mediunidade aflorando. Uma pessoa que é espírita me aconselhou a nunca mais jogar tarô. Com isso, penso que seria interessante falar também desse tipo de ocorrido, pois em mim ficou a dúvida: a consulta de tarô só pode ser realizada por pessoas com alto nível espiritual? O que deve ser atentado acerca do uso das cartas?
    Saudações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

For spam filtering purposes, please copy the number 4336 to the field below: