fbpx

Crenças X Desejos: o Embate da Co-criação!

 
“A INTENÇÃO INCONSCIENTE DE UMA AÇÃO SE REVELA NO SEU RESULTADO.”     Freud
 
 
Ao escrever a mensagem (Bebê Abandoado, Reflexões
Profundas e Psicologia Analítica/vide abaixo aqui no Blog: http://www.yub-universosimbolico.blogspot.com), coloquei em movimento algo que gerou uma
enxurrada de e-maisl em PVT pra mim.

Na maioria deles, uma tônica:

– Como pode você, Yub, que sempre escreve valorizando nossa capacidade de
co-criação, dizer que muito daquilo que dizemos conscientemente querer é
sobrepujado pelo nosso inconsciente??

Pois é… rsrs

Talvez seja porque eu, em minha própria experiência, tenho percebido que
co-criar qualquer coisa na minha vida segundo as técnicas e as motivações
preconizadas no filme O SEGREDO (e QUEM SOMOS NÓS) – para que ELAS SE REALIZEM
-, me leva NECESSARIAMENTE a encarar os processos AUTO-SABOTADORES que estão
enraizados em meu inconsciente…

Sim, não adianta apenas visualizar um relacionamento afetivo lindo,
maravilhoso, enriquecedor e repleto de afinidade com uma pessoa-parceira se a
gente não trabalha em nós os nossos arraigados medos da intimidade e do que a
troca íntima implica na dinâmica de uma relação amorosa.

Não adianta nada apenas visualizarmos e colocarmos em prática todas as dicas e
técnicas mostradas nos filmes THE SECRETE e WHAT THE BLEEP… sobre como
conquistar a abundância material se nós não reconhecemos (compreendemos e
trabalhamos) nossas crenças de que, por exemplo, o dinheiro é sujo, de que rico
é tudo FDP/ladrão, de que dinheiro e felicidade não combinam, etc.

 

Como gosto MUITO de tentar praticar aquilo que estudo e procuro
compreender, experimento. Venho – desde o boom do lançamento de
filmes e livros na linha THE SECRET e WHAT THE BLEEP – praticando
VÁRIOS exercícios e técnicas de CO-CRIAÇÃO.

Então, várias coisas que eu venho desejando e co-criando via tais
técnicas surgiram em minha vida. As oportunidades de vivenciá-las
apareceram e eu adentrei nas mesmas

 

Não posso falar aqui quais situações são estas, porque eu iria expor
várias pessoas que não gostariam de ser expostas pra tanta gente.
Então, posso dizer que 4 circunstâncias que tanto desejava surgiram no final de março/2008.
Fiquei empolgadíssimo, percebendo – na prática – o funcionamento da
aplicação consciente de tais técnicas de co-criação.

Assim, tais situações foram se desenvolvendo e chegando no ponto-
chave em que iria, de fato, concretizá-las e desfrutá-las como
sempre desejei.

Aí… numa mesma semana, todas essas 4 situações iriam se
solidificar. Elas iriam se concretizar e eu poderia sentir-me
satisfeito por meus desejos terem realmente se realizado.

Porém, há cerca de seis dias da culminação e conquista das mesmas,
eu começo a sentir fraqueza. Meu corpo pede descanso. Meu nível de
vitalidade estava em baixa. Eu, então, comecei a ficar ansioso. Não,
agora não! Este não é o momento de reduzir o ritmo! Mais do que
nunca, preciso de energia para realmente solidificar tais desejos!
Não, mil vezes não.

Não ouvi meu corpo pedindo por diminuição do ritmo. Não tive a fé de
continuar seguindo o ritmo que me levou à realização de tais
desejos. Quis controlar tudo e todos para que não houvesse a mínima
possibilidade de meus desejos não serem realizados. Forcei meu corpo
a ter energia. Quanto mais ele pedia descanso e diminuição do ritmo,
menos dormia e mais me dedicava – ansiosamente – a manter o pique
para chegar ao ponto de culminância de meus desejos.

Até que peguei uma infecção e fui obrigado a repouso absoluto,
justamente nos dias em que efetivaria 3 desses 4 desejos tão
sonhados por mim. Não acreditei… E me perguntei: por quê?

E percebi que tudo o que desejamos, chega até nós sim. Porém, não
basta apenas desejar. É necessário que as crenças que temos sejam
compatíveis com aquilo que desejamos. Percebi o quanto essas 4
coisas que desejei e co-criei eram questões que EU NUNCA ACREDITEI
que conseguiria, entende? Percebi que as crenças que construí há
anos atrás eram justamente OPOSTAS à realização desses 4 desejos que
se materializaram em minha vida

Nesse repouso absoluto, a Vida me jogou pra dentro de mim. Nessa
última semana de março e primeira semana de abril, 
eu
fui “obrigado” a perceber as auto-sabotagens de minhas crenças.
Estas foram alimentadas durante anos em termos de acreditar que
NUNCA teria tais desejos que estavam sendo realizados no meu
existir.

Ainda bem que a realização de tais desejos foi ADIADA. Não cheguei a
miná-los/perdê-los por completo em função de meu repouso absoluto
para recuperar-me. E pude – e estou podendo – trabalhar em terapia e
comigo mesmo tais crenças OPOSTAS aos meus atuais desejos.

 
Ao compartilhar tais situações com duas amigas (a Carol/Carolina Senna e a Lu/Luciana Ramalho), elas me mostraram algo muito belo:

Elas perceberam que o tempo de NÃO CONCRETIZAÇÃO EFETIVA
DE UM DESEJO (de uma situação) é o tempo PERFEITO – por mais que
pareça lento demais – pra amadurecermos e vivenciarmos tais projetos
com mais força e potencial. Ou seja, com mais confiança, preparo e
maturidade. Com as crenças devidamente trabalhadas em termos de
compatibilidade verdadeira com o que desejamos… ;D

Então, só pra deixar claro, eu preconizo e AMO a mensagem desses filmes porque sei, por experiência
própria, o quanto se demanda um PROCESSO INTERNO de autoconhecimento (com tudo o
que ele implica em termos de trabalho alquímico com aquilo que paira em nosso
inconsciente e que costuma nos sabotar) para efetivamente CO-CRIARMOS o que
desejamos e para MANTERMOS saudavelmente o que co-criamos, desfrutando-os
prazerosa e naturalmente.

Ao vizualizar, mentalizar e aplicar diversas técnicas para melhorar minha vida
profissional, afetiva, financeira, familiar, humanitária, intelectual,
comunicativa, corporal, espiritual, etc., vou TENTANDO perceber minhas
resistências internas JUSTAMENTE sobre aquilo que tenciono co-criar.

Não há milagres nem saltos quânticos que nos levem (ou tragam) magicamente ao
que desejamos sem que passemos por um processo alquímico de trabalhar aquilo que
EM NÓS MESMOS impede e/ou sabota o alvo de nossas aspirações co-criadoras.

É assim que percebemos o quanto a permissão interna (não mágica, mas
trabalhada) inevitavelmente nos trás oportunidades, possibilidades, idéias e até
mesmo aquilo que desejamos co-criar.

Creio que agora ficou mais claro o quanto valorizo, gosto e indico livros e
filmes nessa linha THE SECRET e QUEM SOMOS NÓS, uma vez que essas ferramentas
nos estimulam, incentivam e nos movimentam rumo a um existir mais inteiro, mais
apaixonado, mais dinâmico, mais “positivo” – DESDE QUE NÃO DESANIMEMOS COM A
PRÓXIMA ETAPA:

ou seja: *** trabalharmos alquimicamente/internamente o que existe a nível
ainda inconsciente e que tende a sabotar e/ou impedir a conquista daquilo que
tanto desejamos e buscamos co-criar. ***

Se eu fosse contra as mensagens e ferramentas no estilo O SEGREDO e QUEM SOMOS
NÓS, eu também deveria ser contra que os bebês deixassem de engatinhar para
andar – já que ficar de pé e andar ereto os levam inevitavelmente a várias outras
experiências na vida que os ensinam COMO caminhar melhor e AONDE podem chegar…

 
Beijos vivenciais nocês…
Yub


Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.