fbpx

Dia dos Namorados – Reflexões a partir de Libra/Casa 7

Uma das primeiras ilusões que o terapeuta de casal precisa destruir, e a mais dura de morrer, a idéia de que o casamento é aquele ambiente idealizado em nossa infância, onde somos amados sem reservas e tudo funciona por conta própria, e, se não funcionar, é culpa do outro.

 

Kitty LaPerrière

 

            No Mapa Natal, a Casa Astrológica que retrata mais diretamente a relação afetiva é a Casa 7. É conhecida, na Astrologia Antiga, como a Casa do Casamento. Neste Dia dos Namorados, quis escrever algo a respeito de relacionamento. Então, a Cris – aqui ao meu lado –, estudando para a prova final de Sistêmica na semana que vem, compartilhou comigo a frase acima.

            Foi o click que precisava para me inspirar e criar este post aqui no Blog. No instante em que a ouvi, eu me lembrei do Signo de Libra. O domicílio desse signo é a Casa 7. Retratam uma dinâmica que nos permite refletir sobre alguns obstáculos presentes numa relação afetiva.

            Observo o quanto Libra evita conflitos. Sente-se bastante incomodado com a desarmonia e o desequilíbrio que ocorrem com os desentendimentos. E, muitas vezes, para não sentir esse incômodo, tende a relutar em admitir que há divergências no seu relacionamento. Não admite que há ajustes a fazer. Prefere manter a aparência de paz e tranquilidade. Enquanto várias insatisfações reinam verdadeiramente no seu vínculo.

            No seu culto à paz, Libra confunde a paz estática com a paz dinâmica. Ou seja, acredita que a paz é mantida “por conta própria” e os conflitos se esvaem também “por conta própria.” Tem dificuldade de perceber que a paz é conquistada a cada nível de entendimento alcançado por meio da superação dos conflitos mais prementes existentes entre um casal.

            A fim de uma união afetiva ser estabelecida e, com ela, a calma, a tranquilidade, a paz e a harmonia marcarem presença, demanda-se o enfrentamento direto e objetivo das divergências e diferenças que estão provocando os conflitos num relacionamento. Nesse movimento de aceitação dos conflitos, de entendimento das insatisfações e de resoluções justas entre cada parte que forma um casal é que a união é alcançada de maneira bem satisfatória. O laço que unifica o casal atinge uma nova oitava, um novo patamar de paz, harmonia e tranquilidade.

            Esse estado pacífico em breve passará por uma nova fase de divergências a serem ajustadas e resolvidas. E a paz ser restabelecida novamente. Não há como alcançar uma harmonia num relacionamento e tentar manter esse nível de paz ad infinitum. Isso é impossível. Não reconhecer nem aceitar que os conflitos virão novamente, sempre e sempre, é tapar o sol com a peneira e se focar numa ilusão. A ilusão da “idéia de que o casamento é aquele ambiente idealizado em nossa infância, onde somos amados sem reservas e tudo funciona por conta própria, e, se não funcionar, é culpa do outro.”

            E, com isso, os conflitos se acentuarão. Porque as divergências, diferenças e insatisfação crescerão, na mesma proporção que nos recusarmos a enxerga-las, aceita-las, admiti-las e procurar resolve-las. Porque quando a crise for realmente reconhecida, quando o conflito for de fato percebido, poderá ser tarde demais. E o sofrimento ser maior do que o que seria necessário para resolver aqueles primeiros sinais de desentendimento surgidos lá atrás. Além da relação correr o risco de não ser mais reconstruída.

            Então, se nosso lado Libra/Casa 7 se conscientizar de que a verdadeira paz num relacionamento é a paz dinâmica, teremos melhores condições de dar e receber afeto de uma maneira bem mais satisfatória e enriquecedora – tanto para nós quanto para quem a gente namora.

            Beijos unificadores nocês…

            Yub

 


Veja quais são os assuntos do momento no Yahoo! + Buscados: Top 10CelebridadesMúsicaEsportes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.