Elisabeth Kübler-Ross, os Nodos Lunares e o Karma

Hoje pela manhã, na minha prática meditativa e voltada para a cocriação, li umas passagens do livro de Deepak Chopra (A Realização Espontânea dos Desejos). Refletia sobre o Sétimo Princípio (do mantra RITAM). Ali, o autor escreve o seguinte:

Cada evento possui uma chance particular de acontecer, ou probabilidade. Maximizamos a probabilidade de que algo irá acontecer por meio das nossas ações e muitas delas são determinadas pelo condicionamento kármico, ou seja, as interpretações das experiências e relacionamentos passados que formam e afetam as memórias e desejos da nossa vida.

Não sei o porquê, mas me lembrei dos Nodos Lunares. Você poderá encontrar em seu Mapa Astral a presença deles (do nodo lunar sul e do nodo lunar norte). Eles se parecem com um fone de ouvido grandão.

 Também são conhecidos como cabeça (norte) e cauda (sul) do Dragão.
Os astrólogos kármicos gostam de trabalhar o nodo sul e o nodo norte como o posicionamento astrológico que mais evidencia a nossa herança kármica (de vidas passadas). Tanto em termos do que estamos habituados e temos facilidades (nodo sul) quanto do que necessitamos desenvolver e realizar nesta atual encarnação (nodo norte).
Independente se existe ou não vidas passadas, é bem visível nossa facilidade de viver os assuntos e questões associadas à Casa Astrológica onde nosso Nodo Sul se encontra em nosso Mapa Astral, a partir das características do Signo desse nodo. Assim como temos medo, resistência e insegurança de desenvolvermos as características do Signo de nosso Nodo Norte, nas atividades e circunstâncias vinculadas à Casa de nosso Nodo Norte.
Dizem que a grande arte é equilibrar esses dois pólos. Utilizar como base os atributos do Signo/Casa de nosso Nodo Sul para desenvolvermos as características do Signo de nosso Nodo Norte nos assuntos da Casa Astrológica em que este se encontra.
Um Exemplo bem simples: tenho nodo sul no Signo de Câncer na Casa 4. Consequentemente, tenho o nodo norte em Capricórnio na Casa 10. Câncer e Casa 4 envolvem o lar, nossa residência. Capricórnio e Casa 10 retratam nosso lado profissional, trabalho. Portanto, preciso unir meu lar/residência (Casa 4/Câncer) com meu trabalho/minha vida profissional (Casa 10/Capricórnio). E… eu trabalho em casa. :-)))
Hoje, quando abri meus e-mails. Vi o comentário do Sandro no post anterior (sobre Plutão e o medo da perda). Ele comentava que tinha o nodo sul em conjunção com Plutão na Casa 7. Isso me fez lembrar vagamente do Mapa de Elisabeth Kübler-Ross. Há uns cinco anos atrás, uma aluna de Astrologia (a Nira) me emprestou o livro A Roda da Vida. Fiquei impressionado com o que a autora tinha passado em sua vida… uma vida intensa, repleta de perdas, doenças e renascimentos.
Tive, então, na época, de procurar o Mapa Astral de Elisabeth Kübler-Ross. Vi que ela tinha Sol em Conjunção com Plutão junto com um dos nodos. Hoje não me lembrava de qual. Fui verificar e vi que tal conjunção ocorre com o Nodo Norte da autora, no Signo de Câncer e na Casa 5. Veja:
Foi aí que me assombrei mais ainda. Elisabeth Kübler-Ross tem uma cacetada de posicionamentos astrológicos que envolvem o tema morte-crise-renascimento: Sol em Conjunção com Plutão. Lua em Conjunção com Plutão. Plutão em Conjunção com o Nodo Norte. Saturno em Escorpião. Saturno na Casa 8. Marte em Quadratura com Plutão. Putz… tinha de trabalhar mesmo com o tema MORTE… rsrs
E um detalhe belo… O Ascendente costuma ser o filtro por meio do qual todas as características representadas pelos posicionamentos do Mapa Astral passam. Ela tem o Ascendente em Peixes, com Urano ali, na Casa 1. Ou seja, os atributos de sua personalidade e de sua vida passaram por esse filtro (Ascendente): a capacidade de se sacrificar para ajudar as pessoas (Peixes) de  uma forma original e inovadora (Urano). Kübler-Ross é conhecida como aquela que fez um trabalho inovador (Urano). Foi pioneira (Urano) no trabalho de preparação para a morte (seu lado marcantemente escorpiano/plutoniano).
Se enxergarmos o nodo norte como essa missão que temos, Elisabeth Kübler-Ross cumpriu maravilhosamente o que seu nodo norte em conjunção com Plutão designava… Dedicou a sua vida (nodo norte) ao tema morte (Plutão).
obs.: uma outra sincronicidade que me fez comprovar que deveria escrever sobre esse tema hoje foi o e-mail que recebi minutos antes de pesquisar sobre Kubler-Ross. Uma aluna, cliente e amiga (a Cintia Rodrigues) me enviou seu feedback sobre o Estudo Interpretativo 2009-2010. E falou sobre a Elisabeth Kubler-Ross… rsrs
Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *