Exemplos práticos de como o outro pode viver o SEU Mapa!

Eu havia refletido sobre o fato da Astrologia ser muito louca nessa parada de o outro viver algo que está no SEU Mapa. Foi aqui, neste post: http://yub-interpretacoesastrologicas.blogspot.com.br/2013/03/astrologia-e-muito-louca-ate-que-ponto.html

Agora eu compartilharei dois exemplos de como isso ocorre. E o doido é que ambos são do PAI vivendo algo que estava no Mapa Astral da FILHA. Vou relatar o exemplo meu e da Sophia. E também da nossa Querida Lucia Fontes e seu pai. Vou começar por ela.

A Lu escreve no blog www.yub-universosimbolico.blogspot.com sobre Numerologia (ela foi minha aluna do curso via internet) e co-criação. E ela vem estudando astrologia comigo, no curso virtual. Já já adentraremos no tema PREVISÕES. Mas eu quis fazer uma pergunta para ela, graças ao que vi na aula sobre OS ASPECTOS ASTROLÓGICOS envolvendo o SOL.

A Lu tem o Sol a 8 graus de Virgem. E tem Marte a 18 graus de Sagitário. Esses astros estão em Quadratura. O Sol – astro mais rápido que Marte – está indo em direção à formação do aspecto QUADRATURA EXATO!! Faltam 10 graus.

Tem uma técnica preditiva na Astrologia chamada PROGRESSÕES.

Funciona assim: Sol está a 8 graus de Virgem. Marte está a 18 graus de Sagitário. Nesse método, andamos um grau com o Sol representando um ano de vida. Com 10 anos, ou seja, quando o Sol andou 10 graus, ele fez quadratura exata com o seu Marte em Sagitário. 

Aspectos astrológicos com Marte podem indicar acidentes. E o Sol simboliza a identidade da pessoa OU o pai. Daí perguntei se ela ou seu pai (Sol) tinham sofrido um acidente (Marte) quando ela tinha 10 anos (10 graus = 10 anos). 

  • A resposta da Lucia Fontes

Houve um acidente, sim. Foi com meu pai: ele bateu o carro e parece que foi um acidente feio, mas a única coisa que sei de verdade é que ele se cortou todo com os estilhaços do vidro da frente quebrado. O rosto dele ficou bem marcado, mas agora nem se nota.

Por que eu não sei detalhes? Porque meu pai detesta falar sobre morte, acidentes e doenças e porque minha mãe não se lembra,além de que meu pai não contou para ela toda a verdade sobre o que houve no acidente. Nessa época eles tinham acabado de se separar (eu tinha nove anos para dez) e eles não moravam mais juntos. Quando ele sofreu o acidente eu e minha mãe estávamos passando uns dias na casa da minha avó (mãe da minha mãe) – acho que eram minhas férias de meio do ano. Então, como sou de agosto, ou eu ia fazer 10 anos ou ia fazer 11, mas tenho quase certeza de que ia fazer 10.

Batata, não? E por que o pai (Sol) viveu esse acidente (quadratura com Marte) ao invés da própria Lu??

Agora vem o meu exemplo.

Minha filha tem o Sol nos primeiros graus de Aquário. E Marte transitava por Aquário no final do ano passado (2012) e início deste ano (2013). Fomos passar o Reveillon lá no sítio. Nossa afilhada Laurinha, sua mãe Letícia e nossa amiga Maíra foram também.

Eu, então, fui para o sítio consciente de que poderia haver algum acidente ou corte (Marte) envolvendo a Sophia (Sol). E fiquei esperto comigo também, inclusive dirigindo na estrada, já que sou o pai (Sol) dela.

Curtimos bons momentos lá. Sophia teve espaço para brincar à beça. Eu pensei:

– Marte representa a necessidade de muita atividade física. É uma forma de não reprimirmos a imensa energia que esse astro simboliza. E “gastarmos” essa energia. Então, vou incentiva-la ao máximo a brincar até e aproveitar ao máximo. Quem sabe assim reduzo a possibilidade de rolar um acidente com ela, dela se cortar ou bater a cabeça (Marte rege a cabeça).

Aí, num determinado dia, eu fui à casa do caseiro e lhe perguntei onde estavam as cadeiras que costumávamos usar à beira da piscina. Haviam três e eu não estava localizando a terceira.

Ele, então, me falou que estava num canto lá perto da churrasqueira. E me alertou também de que a cadeira estava um pouco bamba… Um pouco… rsrs

Fui até a churrasqueira e achei a cadeira. Só de olhar, vi que estava era muito detonada. Mas peguei assim mesmo. E intuí, logo ao colocá-la na beira da piscina:

– Vai ser agora que essa cadeira vai ruir quando eu sentar e poderei gastar a energia de acidente.

E fui me sentando cuidadosamente, mas consciente de que eram grandes a chances de eu não conseguir controlar a queda.

Sentei e… pah!! Deu aquele barulhão! A cadeira quebrou e eu segurei a minha queda com a mão direita.

No mesmo dia, quando eu estava lá no terraço com todo mundo, nós tirávamos várias fotos. E em determinado momento, eu agachei e carreguei tanto Sophia (quase 1 ano no dia) e Laurinha (quase 3 anos no dia). Fomos fazer pose para a foto e eu me desequilibrei. Fiquei naquele impasse: como me proteger da queda e não deixar que as duas se machuquem?

Consegui cair de bunda no chão e apoia-las no chão. Foi mais um desequilíbrio do que uma queda, porque estava agachado.

Sophia mesmo não teve NENHUM acidente. E esses foram os eventos comigo. Ou seja, eu vivi essa probabilidade de acidentes e cortes que o mapa DELA apontava… Sol = pai. Marte = acidente.

Tudo bem que um bebê é fácil ver o porquê dos pais viverem o que o MAPA ASTRAL da criança indica. Porque o bebê não pode viver muita coisa, não tem muitas oportunidades, situações e repertório ainda. E, creio eu, por isso, acaba que os pais é que vivem o que está ali na carta natal do bebê.

Mas no caso da Lu, ela tinha 10 anos. E 10 anos a gente já tem um repertório imenso de possibilidades, interações e capacidade física/mental de viver as predições astrológicas em nosso Mapa Natal…

Enfim, isso me intriga. 😀

Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *