Inception e a Autohipnose: a importância do preparo

Até hoje fico matutando na profundidade do filme A ORIGEM (Inception), do genial Christopher Nolan. E cada dia que mergulho mais na prática da autohipnose ericksoniana, na meditação e nos exercícios de co-criação, mais eu me assombro com a abordagem desse filme.

“Qual é o parasita mais resistente? Uma bactéria? Um vírus? Não. Uma idéia! Resistente e altamente contagiosa. Uma vez que uma idéia se apodera da mente, é quase impossível erradicá-la. Uma idéia que é totalmente formada e compreendida, permanece”

Eis as frases que provocam um baita impacto logo no início do longa metragem. A pergunta que elas deixam é a seguinte: – Como uma ideia se apodera da mente? 
A resposta parece vir do que venho notando nos livros sobre os quais tenho estudado e praticado. Mais especificamente no contexto comum de todos eles. Sabe qua é? É a importância de deixar a mente num estado mais relaxado para que essa “inserção” ocorra de forma efetiva. 
E para se aquietar a mente, a fim de que o terreno esteja fértil para receber a autohipnose (as técnicas de co-criação), a ferramenta à nossa disposição chama-se RESPIRAÇÃO
Deepak Chopra, no livro A Realização Espontânea do Desejo, diz (página 125):
“Ao acalmar a respiração, você aquieta a mente.”
Veja nesta parte do documentário “Quem somos nós?” (What The Bleep Do We Know) que eu recortei de um vídeo do youtube, o que Joe Dispenza fala:

 

Ele salienta que demanda um certo tempo – na meditação de cada dia – até nossos pensamentos chegarem num nível em que é possível colocar no ponto a nossa intenção para co-criar o nosso dia. É bem aquele ponto em que nossa mente se encontra no estágio alfa de frequência mental. 
E a autohipnose ericksoniana (da Teresa Robles) também salienta o quanto a respiração é que nos permite chegar nesse patamar em que a hipnose natural pode ocorrer. Sabe o que é Hipnose Natural? Com a palavra, Teresa Robles:
“A hipnose natural é um estado alterado de consciência durante o qual a pessoa permanece desperta e participando  ativamente em seu próprio processo.” (Página 9 do livro Revisando o Passado para Construir o Futuro).
Vale a pena, então, nos concentrarmos nessa etapa do preparo (por meio da meditação/ relaxamento/respiração), a fim de criarmos um estado de espírito receptivo para as ideias serem inseridas em nosso íntimo. E observar o florescimento das mesmas no dia-a-dia.
Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *