fbpx

Mais algumas experiências com a co-criação

Desde o início deste mês de Novembro, eu me foquei em três novas situações para serem co-criadas. E venho incluindo-as diariamente em minhas meditações matinais. 
Na segunda-feira desta semana, eu senti uma resistência em continuar trabalhando na co-criação de uma dessas três questões. Falei para mim mesmo:
– Não preciso mentalizar, visualizar nem me focar nesta circunstância hoje novamente. Já fiz isso antes. O que trabalhei ontem já basta. 
Porém, eu me dizia ser necessário continuar, persistir. Então, não deixava de incluir esse item na co-criação matinal. 
Na terça-feira, houve novamente essa resistência. Mas persisti novamente. 
Então, ontem (5a.feira) eu entendi por que eu estava tão resistente a continuar persistindo no trabalho de co-criação desta respectiva circunstância. 
Surgiu uma crise, uma situação conflitante. E a necessidade de várias mudanças mais enriquecedoras entre as partes envolvidas. Causou mal-estar. Gerou um ranço. Ficou um mal-entendido no ar. 
Mais à noite, então, eu compreendi a causa dessa sensação de resistência a esta respectiva circunstância que venho co-criando desde o início do mês de Novembro. Era porque eu queria evitar a crise, o conflito. Não queria ter vivido esse mal-estar e esse mal-entendido. 
Porém, justamente diante deste conflito deflagrado ontem, eu compreendi que, muitas vezes, as oportunidades para a realização do que estamos co-criando surgem por intermédio de crises. Os conflitos podem ser o instrumento da Vida para que a gente saia de determinada zona de conforto e possa ir em direção ao que realmente queremos – e estamos co-criando. 
Por isso, quando você detectar que quer desistir de algum processo ou técnica de co-criação relacionada a algum desejo, observe se a causa não está no medo de que precisará sair da zona de conforto e enfrentar desafios marcados por uma crise ou conflito para poder ter o que quer.
Por exemplo: Você quer um relacionamento afetivo mais satisfatório com seu/sua namorado/a. Trabalha na co-criação do mesmo. Porém, sabe que, para a realização dessa maior satisfação afetiva, precisará mudar certos hábitos e a pessoa parceira também necessitará fazer algumas mudanças. E isso pode ser o ponto de sua autossabotagem no processo de co-criação. Justamente para evitar a deflagração da crise na relação. Ou o conflito pela colocação explícita das divergências que precisam ser ajustadas para um melhor intercâmbio amoroso em seu relacionamento.
Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.