fbpx

Mediunidade: o que fazer quando está desequilibrada?

Sexta-feira passada foi o dia de encontrar médiuns. À tarde, eu e o Kél proseamos ali na Pça da Liberdade. Ele, além de fazer as reuniões em sua casa, agora está atendendo numa salinha aqui em BH http://universofiholosofico.blogspot.com/.
Prosa vai, prosa vem, eu pergunto pra ele:
– Kél, agora que você está atendendo mais intensamente usando sua mediunidade, você tem sentido que sua sensibilidade perceptiva está maior no dia-a-dia, enxergando detalhes mais sutis das pessoas e ambientes em que se encontra?
Foi então que Kél respondeu ser capaz de “desligar” essa percepção mediúnica quando quer. Até brinquei com ele: “Você não leva serviço pra casa, né?”
Mais à tarde, eu e a Cris fomos comemorar o primeiro ultrassom que fizemos para ver nossa filhinha (com 13 semanas e dois dias na sexta). E encontramos ao acaso minha prima Mery, seu marido e seu filho de um aninho.
Foi bem gostoso. Os papos giraram em torno de gravidez, parto, filhos, etc. Porém, em determinado momento, ela se abriu comigo. Disse que a semana foi muito difícil pra ela. Viu certas presenças em sua casa e durante o dia que estavam mexendo com ela. Ou seja, sua mediunidade estava escancarada. Ela, então, me perguntou:
– Como você faz para não ficar vendo esses espíritos e essas energias no dia-a-dia, a todo momento?
Eu disse que minha sensibilidade mediúnica (isso soou como redundância agora que escrevi) não é tão forte quanto a dela e a de Kél. Eu não enxergo. Eu apenas sinto. O que fiz, quando comecei a ver, foi ordenar (é, eu sou metido a mandão e controlador mesmo) à espiritualidade (anjos, guias, Deus, etc) que eu não queria ver. Eu queria apenas sentir e intuir. E, desde então, raramente eu vejo um espírito ou uma forma-energia. 
Como havia conversado com o Kél mais cedo, eu pude compartilhar a experiência dele. Ou seja, ele “desliga” essa visão dos planos mais sutis quando quer. 
Minha prima, angustiada, disse que não conseguia. E queria saber como fazer para não sofrer com essas situações que a estavam deixando muito mau. 
Aí eu me lembrei de 2008, quando sofri alguns ataques espirituais e a influência estava forte. Lembrei que meu corpo estava debilitado. E comecei a me reequilibrar para não ser mais detonado pela aquela mistureba de energia, sentimentos e visões através de uma disciplina em atividades físicas. E falei para minha prima:
– Exercita o corpo, Mery! Você tem feito atividades físicas?
– Não – respondeu-me.
Ela tá num batido de trabalho aceleradaço. E ainda tem de cuidar da casa e de seu filho. Ou seja, não tá dormindo quase nada. E se encontra num estado de exaustão física. 
Falei para ela que quando o corpo está exausto, está debilitado, há muito cansaço, isso abre brecha para a mediunidade se desequilibrar e as energias/visões gerarem um desequilíbrio em nós. 
Foi aí que vislumbrei um detalhe muito importante. O fundamento astrológico envolvendo a Casa 12 (mediunidade) e a Casa 6 (o corpo). Quando o corpo está debilitado, exausto (Casa 6 capenga), reflete numa mediunidade desequilibra (Casa 12 também capenga). E uma forma de equilibrar a mediunidade é trabalhar bem o corpo, é buscar meios de se alimentar com moderação e fazer atividades físicas. 
É simples assim em MUITOS casos. Óbvio que há casos em que é fundamental uma BELA terapia. Porque o desequilíbrio mediúnico, pra mim, está TAMBÉM representando algo psíquico, interno, emocional que está precisando ser compreendido, ajustado e melhor expressado. E, para isso, a terapia é fundamental. 
No mesmo ano de 2008, quando tive uma baita crise de exaustão de energia e minha sensibilidade desequilibrou legal, eu comecei a fazer terapia. E desde então estou nesse processo terapêutico (mudei de psicólogo porque iniciei neste ano a terapia com um psicólogo junguiano, uma vez que anoto meus sonhos desde 1996 e mergulho na Psicologia Analítica Jung desde então). 
Vamos ver se minha prima procura um espaço em seu dia-a-dia para as atividades físicas regulares. Isso será muito bom para ela. Como entramos ontem na Lua Nova (um novo ciclo de lunação) do Signo de Virgem, creio que o momento é bem apropriado para ela iniciar um maior envolvimento com o seu corpo. 
Estou escrevendo as previsões para cada Signo em relação a Setembro. Enquanto isso, se quiser ler o que esse ciclo de lunação representa, aqui está o link do que já escrevi a respeito: http://www.yub-interpretacoesastrologicas.blogspot.com/
Beijãozão nocês…
Yub   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.