fbpx

O Julgamento: o terror dos Tarólogos!! E a insatisfação do cliente!

Se há um Arcano que fico torcendo para não aparecer nos jogos que faço para minhas clientes é o JULGAMENTO. Porque ele apresenta a resposta que NENHUM tarólogo quer dar ao seu consulente. O tal do “Não sei o que ocorrerá.” 
Imagine o cliente – ainda mais aquele que não é familiarizado com os significados das cartas (graças a Deus, a maioria de minha clientela entende de Tarot) – que vem todo cheio de expectativas para ter uma resposta para algo que vem angustiando-o. E recebe a resposta “não sei” do Tarólogo. É tudo que ele não quer ouvir. Prefere saber que seu objetivo não será alcançado do que ouvir um “não sei.”
Então, me vejo na necessidade de compartilhar um jogo que fiz pra mim no ano passado. E que saiu O JULGAMENTO na Casa 4 (o Resultado) do Pèladan. Os pares de Arcanos que saíram foram estes:
Casa 1 (o que está favorável de ocorrer na situação perguntada): IMPERADOR / 6 DE OUROS
Casa 2 (quais os obstáculos para tal situação): MORTE / 3 DE PAUS
Casa 3 (como será o desenrolar desta situação): MAGO / 2 DE PAUS
Casa 4 (como será o resultado desta situação): JULGAMENTO / 7 DE PAUS
Casa 5 (como o consulente se encontra diante dessa situação): FORÇA / PAJEM DE PAUS
A pergunta que fiz foi se o sítio de meu pai seria vendido até 31 de Dezembro de 2013.
Meu pai havia combinado comigo e com minhas duas irmãs que, ao vender o sítio, daria uma quantia para cada um – o suficiente para eu dar uma entrada num apê e sair de onde estou. Em vez de pagar aluguel, pagaria as prestações da casa própria. 
Como a Cris já terminara a faculdade em Julho do ano passado, não fazia mais sentido morarmos onde moramos (é ao lado de onde ela estudava e dava para ela vir amamentar a Sophia nos intervalos das aulas). Sem contar que a vizinhança aqui é muito barulhenta, fã de funk no talo aos finais de semana, tiros e fogos de artifício – o que deixa minha cadelinha apavorada e costuma acordar minha filha de seu sono noturno. 
Aquela Força ali na Casa 5 era eu, tenso e voraz na espera (Força) de uma boa notícia (Pajem de Paus): a venda do sítio. 
Como vi aquele Imperador e 6 de Ouros na Casa 1, pensei:
– Ótimo! Está favorável de ocorrer (Casa 1): meu pai (Imperador) me ajudando o suficiente (6 de ouros) para dar entrada num apê.
Haveria várias oportunidades e possíveis compradores (Mago), mas obstáculos (2 de paus). E poderia apenas ficar na promessa (Mago) de venda desses interessados, porque outras coisas precisavam ser resolvidas (2 de paus). Dito e feito. Eu havia entrado em contato com diversas imobiliárias em outubro, muitas especializadas em imóveis rurais. Então, o número de visitas de pessoas querendo ver o sítio foi grande mesmo. Mas propostas que não valiam a pena. Trocas com outros imóveis, carros, propostas de valor bem inferior ao que pedíamos. 
Mas o que mais me causou arrepios foi ver O JULGAMENTO ali na Casa 4 – do resultado. Iria acontecer algo que ninguém esperava, pensava, imaginava. Algo surpreendente traria uma outra dinâmica para essa questão da venda do sítio. O que seria??? Maldito Julgamento que não nos permite ter clareza sobre o que ocorrerá numa questão perguntada ao Tarot. 
Só no início deste ano eu fui saber que surpresa era essa… 
Meu pai teve uma ideia completamente inusitada! Ele tem uma casa imensa. E na casa há tanto sua casa quanto três escritórios de contabilidade. E os funcionários estavam distribuídos em dois andares. O que meu pai vislumbrou?
Uma reforma em vários locais da casa e a construção de uma ampla sala no que era o terraço da casa. E ali ele teve a ideia de levar os funcionários que ocupavam uma parte da casa para lá. E nesses cômodos vagos, ele me proporia morar lá. 
Eis aí o Imperador / 6 de Ouros!!! Através de uma reforma/construção (Imperador) feita por uma figura de autoridade/paternal (Imperador), eu seria ajudado (6 de ouros). 
Eis aí o Julgamento apontando para uma situação que nem fazemos ideia quando elaboramos e interpretamos a pergunta ao Tarot. 
Claro que topamos! Agora é só esperar a obra terminar e ir para uma rua sossegada, perto do metrô, perto de várias linhas de ônibus, com espaço para a Cris atender (pois ela terá ali um amplo consultório de psicologia), com espaço para eu dar cursos e palestras, com espaço para minha filha brincar, perto de meus pais, enfim, com vários itens que eu e a Cris vínhamos desejando e co-criando. O universo nos trouxe esse tipo de oportunidade para realizarmos vários sonhos. 
Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.