fbpx

Praticando as técnicas de autohipnose ericksoniana

Na 6a.feira passada, dia 19/11/2010, eu li o delicioso,  objetivo e prático livro da Teresa Robles: Autohipnose. Anotei cinco exercícios para praticar. E já iniciei pelo primeiro: o exercício do repouso. Falo um pouco dessa experiência, associando com o Tarot, no meu outro blog:
Como o livro é emprestado, anotei algumas questões num caderno. E agora me falta transcrever as cinco técnicas que ire praticar. Uma eu já fiz, na própria sexta-feira. E fiquei impressionado com o resultado.
Mas o que quero salientar aqui neste post é um padrão que identifiquei em TODAS as técnicas ensinadas por Teresa Robles neste livro. A importância, primeiro, da respiração. A respiração e o foco do olhar sobre a parte central da testa são os pré-requisitos para se começar efetivamente cada técnica.
Quem gosta de meditar, como eu, sabe da importância de se olhar para o centro da testa – quer com olho aberto ou fechado.

E um outro detalhe em comum é o fato de se verbalizar mentalmente determinadas frases de um modo muuuuito pausado. Ou seja, através do desmembramento de cada palavra em sílabas, pronunciam-se na imaginação – ou em voz alta – essas sílabas.
I-gual es-tou es-cre-ven-do.
Percebi o quanto isso é EXCELENTE. Porque nos coloca no momento presente, nos tranquiliza (ainda mais com a ajuda da respiração e o olhar sobre o centro da testa) e nos permite prestar bastante atenção ao que estamos gerando por meio dessa mentalização pausada.
Isso me fez praticar esse estilo de mentalização nos “mantras” que já costumo fazer durante minha meditação pela manhã. Fiz essa prática no sábado, no domingo e hoje de manhã. Gostei demais!
Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.