Prison Break e o SIGNO DE PEIXES!!

Há alguns anos, minha prima-irmã Marina havia sugerido a mim e à Cris para assistirmos a série Prison Break. Como na época acompanhávamos várias, estávamos completamente resistentes a começar uma nova. E fomos deixando de lado essa indicação da Byuzinha.

Porém, toda propaganda de Prison Break me chamava a atenção. Talvez porque sempre gostei de filmes em que o cenário é a prisão. E um dos livros que mais me marcou na adolescência foi PAPILLON.

 Na verdade, quando eu era criança, eu assisti o filme ao lado de meus pais. Lembro-me do ator Steve MacQueen; eles eram fãs dele. E da cena em que ele come uma barata. Aquilo me marcou. Em 2004, se não me engano, eu reli Papillon. Putz.. AMEI!!

E o que isso tem a ver com o Signo de Peixes??

Talvez comece pelo que me levou a ver esta série. Vivo escrevendo sobre sincronicidades lá no outro blog (o universo simbólico). Só que vivi uma experiência surreal: duas sincronicidades ocorrendo DENTRO DE MEU SONHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

No próprio sonho, quando eu participava de um reality show, o BBB, intuíra a necessidade de assistir a série Prison Break. Mas não dei muita bola. Continuei tocando minha vida lá no sonho. Até que eu, andando pelo local onde estava, ouvi uma pessoa falar com outra sobre a série Prison Break. Aquilo me chamou a atenção. Considerei uma sincronicidade: eu pensando em assistir e uma conversa alheia a mim falando sobre a série. Continuei andando e mais uma vez ouço uma mulher falando com outra sobre um detalhe da série. Aí eu não tive como discordar. Era uma sincronicidade, uma confirmação da necessidade de assistir a série.

Ao acordar e anotar o sonho, já senti o impulso de começar a assistir Prison Break. Até que eu e Cris compramos o box com todas as temporadas. E estamos devorando… É viciante! Opa! Vício é um tema altamente pisciano. Assim como PRISÃO!!

Sim, a Casa 12 – domicílio de Peixes – é considerada a PRISÃO. Na verdade, qualquer tipo de prisão está indicada ali: a prisão propriamente dita, bem como os hospitais e manicômios – onde ficamos internados, presos, diante da necessidade de recuperar de algum problema de saúde (oposição à Casa 6 – da saúde – domicílio de Virgem). E também a prisão emocional, tipo da mulher que só se relaciona com homens casados e tem a “sina” de ser amante. De ser aquela que se relaciona escondido (Casa 12) com um homem.

Pessoas com problemas mentais, espirituais-mediúnicos, isto é, presas às correntes do irromper inconsciente e do campo psíquico/astral também são habitantes da Casa 12. Do mesmo modo, terapeutas, médiuns, sacerdotes e sacerdotisas, padres, pastores, gurus, médicos, enfim, profissionais que cuidam das dores da alma, dos sintomas/doenças.

Esse é o cenário de Prison Break: uma penitenciária! Muitos dizem que Peixes são muitos, representam tantos… por isso são ÓTIMOS atores, porque não se identificam apenas com uma persona. Elas são tantas pessoas numa só que fica fácil representar. Peixes tem essa versatilidade. E essa dispersão… quem sou se sou tudo isso e nada disso?

Por isso, muita gente fica brava com a gente de Peixes… Porque os consideram falsos, mentirosos… é porque Peixes vive numa confusão só. No fundo, são uma confusão… uma confusão de identidades… uma confusão de sentimentos. Basta a gente passar por trânsitos de Netuno ou por muitos Planetas em Peixes (como atualmente, dia 18/02 até 19/03, em que há trocentos planetas transitando por esse Signos) para sabermos o quanto é difícil saber o que vem da gente e o que vem do outro, dos outros.

Em outras palavras, os sentimentos se alteram, mudam, oscilam, se confundem, se misturam e nos enlouquecem. Porque estamos com determinado estado de espírito. E ao entrar em contato com outras pessoas, outros ambientes, novas correntes começam a navegar por nós e essas ondas psíquicas nos fazem mergulhar em estados emocionais diferentes do que sentíamos a dois segundos atrás… Mas que diabos!! O que é isso que estou sentindo? De onde vem? De quem? De mim? Do outro? De quem mais?

Por isso Peixes é o mistério… o incomensurável desconhecido que habita os oceanos inconscientes, o fundo do mar. Lembro de um primo querido (esse post está reverenciando meus primos) me perguntando sobre sua recente namorada (hoje sua esposa). Estávamos no sítio. Eu, Cris, ele e ela. Quando ele me fez essa pergunta, eu lhe perguntei:

– Você quer saber como ela é? Não sei… ela tem a Lua em Peixes. Ela pode ser tudo!

Quando falei isso, ele que estava ao lado dela, instintivamente se afastou e foi se distanciando dela. Eu apontei para a reação que ele estava tendo. E disse:

– Ela pode ser tudo que você quiser que ela seja… (e sorri). Ela captará isso e assim será… (mais risos).

Aí falei sério.

– As pessoas não deveriam me perguntar como é uma outra pessoa, quando essa pessoa é de Peixes, tem o Ascendente em Peixes ou a Lua em Peixes. Porque não dá para dizer…

Enfim, eu pretendia neste post fazer várias associações de Prison Break com o Signo de Peixes. Eu me dispersei. Isso é Peixes. Droga… Isso é também é Peixes… Não dá para cobrar uma lógica racional, um encadeamento cronometrado e um direcionamento ponderado. O caos entra e te guia. E você vai para onde a maré aponta.

Então, desculpa aí se te decepcionei… Não dá para exigir de Peixes algo que o formate, que o enquadre, que o aprisione. Aquário não é para peixe. E Aquário é um outro Signo. Não dá para Peixes entrar dentro do Aquário…

Terminou confuso? Então, terminou bem. Porque isso é Peixes.

Beijãozão nocês…
Yub

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.